sexta-feira, 12 de setembro de 2008

ABAIXO DA MÉDIA

De vez em quando postarei alguns textos de alguns amigos blogueiros. Este é o primeiro.

ABAIXO DA MÉDIA

Uma das maiores decepções que podemos ter, é a de sermos avaliados abaixo da média. Ser um aluno, um filho, ou namorado ou sei lá o quê abaixo da média, é frustrante para qualquer um, isso se agrava quando a média não é claramente estabelecida, quando os objetivos são supérfluos ou estabelecidos por um mundo plástico, descomprometido com a beleza interior do nosso ser. Estou lendo o livro “Madonna 50 Anos”, o livro conta a historia do meio século dessa grande Diva da música pop. Madonna tinha tudo para hoje ser uma dona de casa de Detroit, se não ousasse ir além. Madonna é uma mulher individualista, e ela não nega isso para ninguém. Creio que esse é o grande segredo do seu sucesso. Ela pouco se importa com as opiniões alheias, é autêntica e sempre procurou manter sua individualidade perante sua família. Quando damos vazão para outras pessoas viverem a nossa vida, ficamos divididos entre o que é importante para o nosso ser, e o que é importante para os demais. Quando isso ocorre, acabamos perdendo nossas características primárias, as belezas primitivas do nosso ser, acabamos sendo reduzidos pelo o que querem que nós sejamos, e não pelo o que somos ou desejamos ser. Perdemos a nossa identidade e com ela também perdemos sonhos, anseios e desejos de uma vida que prometia ser um completo devaneio. Na tentativa de nos enquadrarmos na média de um mundo plástico, sempre saímos perdendo, e mesmo quando nos enquadramos no "mundo" idealizado pelo outros, perdemos o que temos de maior valor, perdemos o nosso núcleo, a razão de existirmos, passamos a viver uma vida que não nos pertence, com sonhos, desejos e anseios que não são os nossos, acabamos nos anulando, e a partir daí não conseguiremos fazer mais nada, absolutamente nada sozinhos, seremos reduzidos a sombra de nossos “mentores”, e quando esses “mentores” se vão, nos deixam a sós, ficamos reduzidos ao nada, pois sem os tais “mentores” nem a sombra deles nos restará para nos projetarmos. Nesse momento buscaremos recursos internos, ai veremos que não temos o nosso núcleo, as nossas raízes, pois as mesmas foram arrancadas pelos tais "mentores" que nos deixou sem a luz do horizonte. Madonna nunca foi submissa a ninguém, e esse foi o principal fator para o seu sucesso, para o crescimento da sua carreira.

Post by Marcos Freitas.


5 comentários:

Talles Borges e Borges Moreira disse...

Nossa, q texto perfeito, 10 adorei, bom em relação a individualismo, haha isso eh uma palavra que corrói em minhas veias, nunca neguei meu individualismo, não podemos deixar que outras pessoas tomem o que é nosso, e muito menos invada nosso ser individual, tem coisas que só eu entendo e por mais que eu tentasse explicar com todas as letras ninguem as entenderia.

Beijaum fique com deus!

[Farelos e Sílabas] disse...

...


Poi, é, amigão. Abaixo da média (ou acima da média)? E quem estabelece o que é média para quem? E por que a projeção sobre o que terceiros consideram? São apenas considerações. Somos muito mais que uma média. Somos o que somos na riqueza da individualidade que nos torna tão diversos!

Viva a diversidade! E que cada um procure na sua individualidade (o sentido aqui não é o de auto-suficiência pra não incorrermos no equívoco do conceitual anverso), procurando, no entanto, crescer como ser humano, e não como uma mera estatística.

Beijo e obrigado pelo prazer de sua leitura no Farelos!

...

tiozinho disse...

Belo texto!
Obrigado pelo carinho, amigo.
Fique bem e bom fim de semana.

bj pra ti
=)

FOXX disse...

mas naum podemos esquecer q ela agradou o mercado não é?

Marcos Freitas disse...

Adorei o fato de vc ter republicado o meu post, nele estava falando de mim, acabei citando a Madonna pelo fato de estar lendo o livro e dela ter essa determinação fantástica, virei admirador da garra dessa mulher, não vejo a hora de ir ao show dela.