quinta-feira, 3 de junho de 2010

Ele não perde tempo!

O meu querido entrevistado  faz questão de manter a pose. Ele pode. Me confidenciou que vive no Jet Set da serra da cantareira e que espera ouvir eu te amo de alguém. Marcos tem um olhar firme, forte sobre as coisas que escreve e acredita. Pude entender nesta nossa conversa de onde ele vem. Os leoninos possuem um magnetismo natural. Sabem chamar atenção sobre si sem precisar muito. Marcos não foge a regra.
Ele não precisa do sucesso. Ele é.

Serginho Tavares: Deixa pegar o champagne!
Marcos Eduardo: Cristal, please.
Serginho Tavares: É sim. Então vamos lá que a champagne está pronta!
Marcos Eduardo: Oooolha! Ok.
Serginho Tavares: Ai, as taças de cristal Baccarat... Lindas não?
Marcos Eduardo: Lindíssimas. Um brinde à vida! E à amizade! Essa luz, eu quero sempre na minha vida.
Serginho Tavares: E ao cinema!
Marcos Eduardo: Também!
Serginho Tavares: "...e ao som da fanfarra da Fox comecemos a entrevista!"
Marcos Eduardo: Oh, que belo começo! (entusiamado)
Serginho Tavares: Então Marcos, conte me tudo e não nos esconda nada... Quando você se descobriu apaixonado pela sétima arte?
Marcos Eduardo: Ixi, Sergggg terei que usar a minha memória...Foi por assimilacão em casa. Meus pais se conheceram num cinema. Meu pai trabalhava em um, no centro de SP na decada de '50.
Ele era lanterninha e depois, projetista. Operador de projetor, pra ser mais exato. Ai, não tinha como não gostar. Tinhamos um projetor em casa. Várias sessões!
Serginho Tavares: E na infância, quais filmes te marcaram?
Marcos Eduardo: O Mágico de Oz, Crepúsculo dos Deuses, a primeira versão da Fantástica Fábrica de Chocolate e alguns musicais. A Gloria Swanson dizendo: "Os filmes que ficaram pequenos..." Não sai da minha cabeça!
Serginho Tavares: Você citou uma das lendas do cinema, quem mais aprendeu a gostar na época?
Marcos Eduardo: Deborah Kerr, Douglas Fairbanks, Chaplin, Rita Hayworth, Burt Lancaster, Hitchcock...
Serginho Tavares: Quais momentos cinematográficos te marcaram?
Marcos Eduardo: Então tem a nossa amada Bette Davis dizendo: "Apertem os cintos que hoje a noite vai ser cheia de turbulências!" em a Malvada; Jennifer Jones chorando no alto da montanha em Suplício de uma Saudade; Judy Garland batendo os sapatinhos vermelhos em O Mágico de Oz; Humprey Bogart dizendo a Ingrid Bergman: "Sempre teremos Paris..." em Casablanca; Audrey Hepburn em frente a Tiffany's em Bonequinha de Luxo e por ai vai!
Serginho Tavares: Se pudesse ser um realizador qual filme teria feito e o que mudaria?
Marcos Eduardo: Teria feito Humphrey Bogart e Ingrid Bergman ficarem juntos em Casablanca.
Serginho Tavares: Além do cinema, você também é apaixonado por música pop e moda, quem você destacaria?
Marcos Eduardo: Na música: Madonna, Whitney Houston, Dido, Marisa Monte, U2, Pink Floyd, Legião Urbana. Na moda: Yves saint Laurent, Valentino, Balenciaga, Chanel, Versace, Alexander McQueen, Gianfranco Ferré.
Serginho Tavares: A música pop influencia o cinema e vice versa assim como a moda, que momentos você percebe bem estes encontros?
Marcos Eduardo: Cinderela em Paris, Bonequinha de Luxo, Rainha Margot, O Diabo veste Prada, Pret-a-porte (Robert Altman, apesar do sarcasmo). Não me lembro de mais nenhum, no momento.... é uma grande colaboracão, de ambas as partes.
Serginho Tavares: O cinema sobreviveu a tv, ao vhs e ao dvd e com certeza ele sobreviverá ao blue ray... O homem criou algo que se tornou imortal. Quem no cinema você destacaria como representantes desta imortalidade da sétima arte?
Marcos Eduardo: Bette Davis, em primeiro lugar, seguida de Chaplin, Glenn Close, Fellini, Fernanda Montenegro, Woody Allen, Michelangelo Antonioni, Ana Magnani, Pedro Almodovar, Meryl Streep, apesar de estar se repetindo.
Esta turma "péssima" (risos)
Serginho Tavares: Do cinema à música e à moda, passamos agora à tv. O que assistia?
Marcos Eduardo: Eu via desenhos na Record (Os Super Fantásticos, O Sombra, Fantomas). Tinha um seriado japonês que era uma família de robôs mas não me recordo o nome agora. Thundercats, He-Man, Sítio do Pica-Pau Amarelo. Alguns desenhos da extinta Rede Manchete e o Bambalalão na Cultura.
Serginho Tavares: E na adolescência o que via?
Marcos Eduardo: Barrados no Baile, basicamente e Anos Incríveis. Algumas minisséries como por exemplo Pássaros Feridos e aquele programa Acredite se quiser com o Jack Palance da Manchete.
Serginho Tavares: Algumas dessas séries ainda passam na tv, você as assiste? Se sente confortável ou acha que aquilo teve uma época e passou?
Marcos Eduardo: Algumas, sim infelizmente envelheceram mal como no caso de Dawson's Creek que eu comentei no meu blog e você concordou também. Hoje eu não tenho paciência em ver desenhos pelo menos, os que passam no Cartoon Network e afins. Aff! Vi que hoje fez 20 anos de Armação Ilimitada, também acho que é outra que envelheceu mal, sei lá, acho que o nosso olhar mudou também...
Serginho Tavares: E o que você vê hoje em dia na tv?
Marcos Eduardo: Séries, como por exemplo Cold Case, Human Targe (gostei viu!), Grey's Anatomy, Mercy, Life Unexpectd, Glee, Mad Men, True Blood... Eu acompanhei alguma coisa de Queer as Folk, programas de decoração e moda, alguns do Discovery, filmes...Canais de filmes não podem faltar!
Serginho Tavares: Quais os últimos filmes que você viu no cinema?
Marcos Eduardo: Alice (aquela bobagem do Tim Burton, aaaaaf), Robin "Russel Crowe Tudo de Bom" Hood, Como Treinar seu Dragão.
Serginho Tavares: E política é um assunto que te interessa?
Marcos Eduardo: Me interessa sim, mas prefiro acompanhar mais de perto, "o andamento" da carruagem....
Serginho Tavares: Já se engajou (ou ainda é engajado) em alguma causa?
Marcos Eduardo: No colegial participava de grêmio estudantil e do jornal da escola. Amava, Serg!
Que bom que vc me perguntou! Bateu saudades! Participei do Greenpeace (contribuindo).
Foi uma época maravilhosa da minha vida. Montava matérias, tirava algumas fotos, entrevistas com associacão de moradores de bairro, tinhamos um laço muito forte com o grêmio (eram coisas distintas) e não usavamos o poder que o outro tinha, mas teve uma vez que fechamos uma aliança, por assim dizer, e nós do jornal, convocamos os alunos à participarem de uma passeata durante uma greve dos professores, em '89. Foi lindo mobilizar aquele povo! Que saudades, Serg... Obrigado por isso, viu!
(Neste momento da entrevista Marcos fica emocioando e seus olhos se enchem dágua...)
Serginho Tavares: Em algum momento foi vítima de preconceito? Como vê os gays hoje em dia? Ainda falta muito e o que falta?
Marcos Eduardo: Sim, vários momentos. Para começar sou negro e gay. Já sofri no trabalho. A grande maioria ainda não percebeu que está na hora de mudarmos de vez e escrevermos a nossa revolução. Parem com a parada. Um dia de orgulho e uma vida de culpa (vejo isso e muito em muitos). União civil entre pessoas do mesmo sexo. Que ninguém mais morra só porque anda pelo centro de São Paulo de mãos dadas com o seu namorada ou namorada.
Serginho Tavares: E o que tem lido ou leu e não pode viver sem?
Marcos Eduardo: Ler é um prazer escasso na minha vida que estou reatando laços com ele, mas, no momento, estou lendo Cartas Roubadas. São cartas trocadas entre Gerard Depardieu e Isabelle Adjani. Em breve postarei no Olhar. Tenho engatilhado Pílades e Orestes, de Machado de Assis que também postarei no blog
Serginho Tavares: Você me falou sobre suas paixões: cinema, música, tv, do seu engajamento politico, muitas destas facetas podemos ver em seu blog, mas e o Marcos que não conhecemos? O que ele faz? Como se descreveria?
Marcos Eduardo: Bem, meu nome é Marcos Eduardo da Silva Nascimento. Tenho pensamentos e atitutes libertárias. Adoro "olho no olho", de beijo apaixonado, de abraçar amigos, de pedir licença ao entrar na casa dos outros. Que acredita no ser humano, ainda. (caso contrário, fechava esse planeta pra balanço!)
Que gosta de cantar no banheiro, de perfume, de ir na serra da cantareira na zona norte de São Paulo e olhar o céu. Agora nesta época é lindo de ver a cidade lá de cima. Tem barzinhos ótimos! E algumas outras coisas, prefiro não contar...
Serginho Tavares: E o amor? Como foi a descoberta do sexo pra você?
Marcos Eduardo: Foi intenso. Aos 14 anos. Acreditei mesmo. Hoje não testo a profundidade do rio com os dois pés! Mas tenho um carinho muito grande desta lembrança! e sou daquele que o melhor estar por vir!
Serginho Tavares: Está solteiro ou vivendo um grande amor?
Marcos Eduardo: No momento não sei. Ainda não me pediram em namoro. Mas eu gostaria de ouvir essas palavras magicas: "eu te amo", "quer namorar?" É sempre algo renovador.
Serginho Tavares: Algum arrependimento? O que diria para quem está lendo esta entrevista e teve o prazer de te conhecer?
Marcos Eduardo: Arrependimento, no fundo, todos temos, mas virei a página. Não perco tempo olhando tanto pra trás e diria a todos vocês: Não se levem tão a sério! Digam mais eu te amo e beijem muuuuuuuito! Faz bem pra pele. E quem é meu amigo, sabe: quem tem um leonino como amigo, está muito bem encaminhado na vida porque defendemos até o fim, a nossa amizade!

18 comentários:

Edilson disse...

Querido Serginho,
Várias vezes esbarrei com seus comentários em outros blogs, isso me faz perceber o quanto os caminhos se cruzam dos amigos blogueiros. Obrigado pela visita ao meu blog, e adorei conhecer seu espaço tbm. Mto bacana a entrevista, seu entrevistado tem uma história mto legal de vida. Parabéns! Abraço gde.

. intemporal . disse...

.

. querido Serginho .

. sempre boquiaberto . entre mesuras e des.mesuras .

.

. parabéns, meu querido .

.

. beijos .

.

. paulo .

.

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Serginho,

Muito bom conhecer mais um pouco de alguém que tem gosto refinado.

Maravilhosa quinta.

Rebeca


-

ALESSANDRO SKYWALKER disse...

ainda me lembro de quando eu tirei essa foto dele
kkkkkkk
argh
eu devia ter colocado meu nome da estatueta
kkkk

Visão disse...

Eu sou leonino, beijos! kkkkkkkkkkkkkk
Adorei a entrevista.

ONG ALERTA disse...

Espero que esteja certo em relação ao amigo leonino, paz.
Um abraço Lisette

Vanderson disse...

Adoreiii a entrevis!
foi super de bemm!!
ai aiii
abraçooo!

Marcos Eduardo disse...

Serg, boa-noite!
Passando apenas para agradecer aos comentarios e claro, ao entrevistador. Me senti muito a vontade e vc mais uma vez reafirmou o seu talento nato para entrevistas e, para finalizar, fique tranquilo quanto a mim. O que eu disse foi preciso: nada a mais e nem a menos! Pode acreditar. Vc sempre serah muito bem-vindo ao Olhar.


Abraços e até a próxima.

TH disse...

Muito legal a entrevista....a sintonia do entrevistado com o entrevistador é notória!
Parabens!

Inside Me disse...

foram altos papos hein.... deu pano pra manga, rsrsrs e mt satisfação pra nós em lermos... é sim, vc se livrou do meme, tem hora q só o nome dá vontade de vomitar, mas eu gostei de ser em imagens, ha ha ha
bj na orelha, kkkkkkkkkkk

Aglaé disse...

gostei que tenha visitado me blog, Serginho
...
e aqui é..ótimo!
mais uma descoberta feliz
...

beijo*

Diu Mota disse...

Quanta fama desse entrevistado! Adorei a visita...Volte sempre ao Ponto, por favor. Enquanto isso estarei por aqui conhecendo tudo e um pouco mais!

inté

ManDrag disse...

Entrevista tranquila e simpática.
Deu para tomar um chá com uns biscoitos. O champagne eu dispenso. Ainda se fosse um vermute bianco...

Beijos

Robson Schneider disse...

Fecho com o final de casablanca!
Abraço quase efusivo meu querido Serginho! kkkkkk

batterie disse...

e adorei conhecer seu espaço tbm. Mto bacana a entrevista, seu entrevistado tem uma história mto legal de vida.

labatterie disse...

isso me faz perceber o quanto os caminhos se cruzam dos amigos blogueiros.

Rolex watches disse...

Mto bacana a entrevista, seu entrevistado tem uma história mto legal de vid

r4 ds disse...

Muito bom conhecer mais um pouco de alguém que tem gosto refinado.