sexta-feira, 16 de julho de 2010

Ele não tem paciência!

A entrevista foi tranquila, assim como ele. Eu diria até serena. O blogueiro veterinário-historiador-filósofo deixa transparecer para minha surpresa que se irrita fácil. Prático, objetivo e com um excelente senso de responsabilidade, com vocês, o Sr. Paulo Braccini!

Serginho:
Então comecemos, de que região italiana vem o Braccini?
Paulo Braccini:
Bem, sou neto de italiano nascido na região da Sicília, no sul da Itália. Meu avô veio para o Brasil por causa da guerra com 19 anos e aqui se estabeleceu, naturalizou-se e fez a vida.
Serginho:
Você o conheceu? Tinha uma boa relação com ele?
Paulo Braccini:
Sim, Convivi com ele até os meus 17 anos e tínhamos uma ótima relação. Ele e minha avó (esposa dele) foram os únicos avós que conheci, os pais da minha mãe já eram falecidos quando nasci.
Serginho:
E como foi a sua infância?
Paulo Braccini:
Super legal. Sou o mais velho de uma trupe de 05 filhos de meus pais. Nascido e criado em Belo Horizonte. Uma infância normal, de amigos, brincadeiras, estripulias. Mas nunca um garoto aprontador. Sempre mais contido e meio que sério.
Serginho:
E a entrada na adolescência? Foi tranquila?
Paulo Braccini:
Também bem normal e tranquila. Muito engajado em meus estudos colegiais, dividindo o tempo destas obrigações com amigos e colegas de colégio. Nesta época já era alucinado por música, cinema, coleções de gibis adorava tudo isto.
Serginho:
Eram estas as suas paixões na época? Fale me um pouco mais disto.
Paulo Braccini:
Sim. Música, cinema e gibis eram, na época, as minhas paixões. Claro que também curtia outras coisas como jogar queimada, assistir e torcer pelo time de voley do colégio, que era muito bom e sempre disputava finais nos torneios que participava. Quanto a música na época, era o começo da Jovem Guarda (quando me apaixonei por Roberto Carlos), e também o início dos Reis do Iê Iê daí tornei-me Beatlemaníaco.
No cinema gostava de frequentar as matinês do do bairro em que morava, era sagrado. Lá é que encontrava a galera aficcionada por gibis, e ali trocávamos entre nós os lidos por outros ainda inéditos para nós. Fantasma, Flash Gordon, Recruta Zero, Bolinha, etc.
Serginho:
E o que mais lia além de gibis? Quando a História e Filosofia entraram na sua vida?
Paulo Braccini:
Na época era só isto mesmo, além, claro, dos livros de estudos do colégio. Mas gostava, e muito de ouvir conversas e tamém, de certa forma participar, das conversas de adultos onde aprendia coisas que me interessavam muito como história e política.
A História e a Filosofia entra na minha vida bem mais tarde, depois que conclui minha primeira formação acadêmica e que também tornou-se minha vida profissional, a Medicina Veterinária.
Um adendo aqui é pertinente. Nesta época era fanático por rádio. Na época ainda não tínhamos televisão.
Serginho:
E os programas de rádio devem ter te inspirado muito, certo?
Paulo Braccini:
E como! Além de curtir música, adorava os rádios teatros e os noticiários de hora em hora acompanhava tudo. As novelas eram uma viagem, já que tínhamos que imaginar as cenas só pelas vozes, efeitos sonoros e trilha musical. Adorável mesmo.
Uma vez assisti ao vivo uma transmissão de um capítulo dentro do estúdio de uma emissora de rádio aqui em BH. Foi fantástico, ver como tudo funcionava na realidade.
Serginho:
Realmente deve ter sido uma época maravilhosa mesmo, mas voltando...então ser veterinário foi sua primeira inclinação? Porque? E porque depois optou pela filosofia e história? Conseguiu ou consegue conciliar?
Paulo Braccini:
Bem, na época fazer curso universitário significava fazer Medicina, Engenharia ou Direito. Optei pela Medicina, mas não passei no Vestibular. Aí surgiu um segundo vestibular para Medicina Veterinária para suprir algumas poucas vagas. Fiz e passei. Daí decidi cursar por um ano em vez de fazer cursinho e no ano seguinte tentar a Medicina de novo. Só que, ao fazer um ano de Veterinária, gostei e fiquei por lá mesmo. Formei com 22 anos de idade e imediatamente comecei a trabalhar na área, fazendo assim a minha carreira profissional que é o meu ganha pão até hoje. A História e a Filosofia surgem em minha vida aos 30 anos. Resolvi voltar a estudar e me matriculei no curso de História da PUC-MG mas aí como portador de diploma, o que me dispensou de novo vestibular. Amei e me empolguei com o curso. As possibilidades de uma releitura da vida e seus valores, isto me fascinou. Quando terminei, já estava determinado a fazer Filosofia como forma complementar para esta nova formação. Não tinha nenhuma finalidade profissional com estes cursos, mas só mesmo uma questão de formação em uma área que eu me identificava plenamente, uma forma de realização mesmo, já que a Veterinária não era efetivamente aquilo que eu, por vocação, deveria ter feito. Mas continuei, assim mesmo, minhas atividades como Veterinário, já tinha esta carreira consolidada, e seria uma loucura chutar tudo e recomeçar do zero só por uma questão de realização. Só a formação na nova área e as possibilidades de dar continuidade a estes conhecimentos como auto didata depois já me satisfazia.
Hoje esta formação complementar me é muito útil, dentro de outras atividades que agora desempenho, em trabalhos com uma ONG, onde ministro palestras para jovens, com uma abordagem sobre ética e comportamento humano nos dias de hoje.
Serginho:
A impressão que me passa é que você é um homem multifacetado. Apercebes isto?
Paulo Braccini:
Sim! Me apercebo e gosto muito disto. Nunca adepto de uma formação restrita e aprofundada em termos acadêmicos. Por isto nunca me interessei por formações complementares como Mestrados e Doutorados. Optei por ampiar o leque de possibilidades do conhecimento de forma mais multifacetada. Claro que, em alguns campos da Veterinária, por imposição profissional, fiz alguns cursos de aperfeiçoamento e, no campo da Filosofia, me aprofundo naquilo que eu gosto, mas de forma não acadêmica e sim inteiramente livre e independente.
Acho que este aspecto faz parte de minha personalidade mesmo. Gosto disto. Ser um SER multifacetado.
Serginho:
Você viveu um período muito rico da cultura não apenas do país, mas do mundo. O que destacaria que ajudou a influenciar no Paulo Braccini que vemos hoje?
Paulo Braccini:
Com certeza! Ter vivido a época de maior efervecência cultural do mundo, e em particular, do Brasil, em muito influenciou não só a mim, mas a toda a minha geração. Entendo que isto foi um privilégio concedido pelo acaso da vida. Grandes movimentos culturais, comportamentais, grandes revoluções culturais, grandes movimentos musicais, teatrais, cinematográficos, enfim, não há como ficar imune a tudo isto não é mesmo?
Serginho:
E o amor? Quando aconteceu?
Paulo Braccini:
Aos 24 anos. O primeiro e o único.
Serginho:
Pode contar como foi? Se for possível, claro.
Paulo Braccini:
Claro que é possível! Atravessava um período difícil de minha vida, pois meu pai foi acometido de um câncer pulmonar já em estado adiantado. Tudo isto trouxe enormes transtornos para mim e toda a minha família. Na época, uma tia me levou a um Centro Espírita para uma consulta mediúnica para ele. Coincidentemente o pai de uma certa pessoa também enfrentava grave problemas de saúde e ele também lá compareceu, na mesma bathora e no mesmo batcanal com o mesmo batmotivo.
Ali, na espera de atendimento, nos olhamos e começamos a conversar. Algo estranho no ar surgiu. Dentro do processo de tratamento sugerido pela entidade mediúnica para os dois casos, implicava no retorno por várias seções dos representantes das pessoas enfermas, entendido aqui pelo Braccini e pelo Wanderley. Nesta sequência de encontros semanais, nasceu uma amizade para lá de intensa e forte.
Claro que, neste interim nos apercebemos mútuamente de nossa condição homossexual.
Daí, em um curto espaço de tempo desta amizade, 05 meses para ser mais preciso, recebi uma proposta de namoro, que, de forma clara e direta eu aceitei. Isto foi no dia 26 de Setembro de 1974.
Este maravilhoso dia tornou-se o NOSSO dia.
Serginho:
Espere, na época estas coisas eram mais veladas do que hoje em dia que é possivel encontrar o amor ou um sexo casual no supermercado. As pessoas se expoem bem mais. Além disto existe a internet. Foi simples assim para ambos se aceitarem?
Paulo Braccini:
Sim, as coisas eram mais veladas. Não dispunhamos destas possibilidades atuais, mas isto não se constituía em obstáculos a encontros e descobertas. Foi bem simples sim, para nós dois, nos encontrarmo, nos descobrirmos e dar início à construção de nossa vida em comum.
Sabe, na verdade, acho que as coisas eram mais ou menos da mesma forma que hoje apenas a formatação era diferente.
Serginho:
Sei que esta é uma pergunta que muitos devem te fazer, mas você mantém uma relação de mais de 30 anos e isto não é algo não muito comum hoje em dia em nenhum tipo de relacionamento. Como conseguem manter?
Paulo Braccini:
35 anos! É um processo querido. Tem-se que ter vontade, perserverança, compromisso, cumplicidade e disposição para a construção minuto a minuto, dia a dia, ano a ano. Saber superar obstáculos, acreditar na possibilidade.
Não acho que isto não seja tão comum assim. Temos vários amigos na mesma condição. Não é um processo simples e fácil, mas totalmente possível, e isto vale tanto para o relacionamento homossexual como héterossexual.
Serginho:
Seu blog é lido por muitos jovens. O que acha disto?
Paulo Braccini:
Acho super legal. Acho que é pela minha condição de um cara mais maduro, casado de maneira sólida, com alguma experiência para passar (tem horas que me sinto um perfeito conselheiro, um "papys" dos blogayros aflitos e desamparados). Também tenho alguma facilidade em falar a linguagem deles, de participar e curtir as coisas que eles gostam. Enfim, é um conjunto de fatores que levam a isto e acho muito bom, pois, pode acreditar, aprendo muita coisa com eles também, me atualizo, mantenho meu tônus vital. Isto é muito importante para mim.
Serginho:
E consegue separar os dramas juvenis, fatos reais e fakes da blogosfera ou acha que isso não importa?
Paulo Braccini:
Sim, separo e muito bem. Mas sinceramente não acho que isto seja tão importante assim não. Entendo que no fundo, mesmo os fakes apresentam na verdade, muito de cada um, tal e qual a pessoa é, o que ela sente e pensa. Ninguém consegue criar um fake sem colocar nele o seu eu.
Serginho:
Algo irrita o Braccini? Não apenas na blogosfera, porém em um contexto geral.
Paulo Braccini:
O Braccini é um ser fácilmente irritável. Hipocrisia, falsidade, mentira, incompetência... Estou aqui rindo de mim com isto. Como fico bravo fácil, rs.
Serginho:
Muitos filosofos se perguntam: "se uma árvore cai em uma floresta ela faz barulho?" O que o Paulo Braccini veterinário, historiador e filósofo faz pra mudar o mundo? Acredita ser possível?
Paulo Braccini:
Sou um otimista de marca maior, acredito e muito. O que faço é viver na simplicidade, com respeito a tudo e a todos. Definitivamente não acredito em mundanças do macro para o micro, por isto não tenho a menor paciência com discursos e movimentos ideológicos que se tornam verdadeiras ditaduras hipócritas. O mundo só muda no sentido inverso do micro para o macro. Cada um deve buscar a sua própria mudança e aí, pelo testemunho e pela ação teremos a onda formada e as mudanças, por mais utópicas que sejam, podem se tornar realidade plena. É assim que o Paulo Braccini pensa e age.
Serginho:
E Paulo Braccini por Paulo Braccini?
Paulo Braccini:
Bem, acho que é um cara super legal, de bem com a vida, que aprendeu a viver intensa e plenamente. Que soube aproveitar todas as oportunidades que a vida lhe proporcionou, com seriedade e responsabilidade. Que hoje busca compartilhar todo o seu EU e todas as suas experiências com todos, não no sentido de dar receitas de como viver, mas tentando mostrar aos outros que a vida vale a pena, que as possibilidades existem, que o bem viver é uma arte que depende única e exclusivamente de nós mesmos. É um cara que aprendeu a gostar de si mesmo, a se valorizar, a se respeitar e a se fazer respeitado. É um cara simples, que adora um bom humor, que adora a verdade acima de tudo. É um cara totalmente humano, cheio de virtudes mas também com muitos defeitos. Sempre em permanente luta para ser cada vez melhor, acumulando virtudes e lutando contra seus graves defeitos. Estes aspectos não são exclusividades do Braccini, mas algo inerente a todo e qualquer SER. O que conta no processo é que, cada um, se encontre consigo mesmo e inicie o seu processo de construção para um SER melhor.
Serginho:
Algum arrependimento?
Paulo Braccini:
Quem não os tem não é mesmo? Sim tenho vários, talvez o maior deles seja o tempo perdido acho que poderia ter sido mais aventureiro na vida, arriscado um pouco mais em meus projetos, sou uma pessoa bastante pragmática e muito pé no chão. Isto me barrou em muitas coisas que poderiam ter sido boas na minha vida e tempo não é coisa que se perca na vida. Pena que só nos apercebemos disto quando a maturidade chega.
Serginho:
Querido, muito obrigado pela entrevista.
Paulo Braccini:
Eu agradeço e muito pela oportunidade de me desnudar um pouco mais. Para mim a transparência é algo que valorizo e muito em minha vida e em meu ser. Esta oportunidade foi fantástica .
Serginho:
Mais uma vez muito obrigado e até a próxima!

39 comentários:

Guará Matos disse...

Bela entrevista.
Paulo Braccine é um cara, que apesar de não conhecê-lo pessoalmente nutro admiração, carinho e respeito.
Abraços.

marcelo dalla disse...

Que maravilha de entrevista! Muito bom conhecer um pouco mais o Paulo. Confirmou o que eu já suspeitava: temos muitas afinidades, temos a mesma "vibe" por assim dizer. E que história de amor linda!!! :)
Gostei muito. Parabéns ao Paulo e parabéns ao Serginho pela iniciativa!
grande abraço

Wans disse...

Braccini é unanimidade na blogosfera. Fato!

Paulo Braccini disse...

Ah! super emocionado ... ficou bem legal ... obrigado Serginho pelo carinho com que vc me acolheu e pela oportunidade de me transparecer ...

bju grande ...

;-)

FOXX disse...

o paulo é realmente alguém a se conhecer não é?

S.A.M disse...

Sou fã do Braccini! Fato/

jamesp. disse...

Adoro Braccini-grande entrevista.Obrigado,Serginho!
Beijão.

Luna Sanchez disse...

Também sou fã do Paulo! Muito bom poder conhecê-lo um pouco mais.

Parabéns aos dois!

Beijos.

ℓυηα

Diego Hatake disse...

Gente, 35 anos!!!... Se eu conseguir algo assim acho que morro feliz! *_*
Parabéns pela entrevista. O Braccini é uma gentileza em forma de pessoa! Sempre comentou lá no meu blog.

AD disse...

delicioso saber um pouco mais deste grande blogueiro. E como diz o Wans, unanimidade sim.

Valeu pela dica do tempo, saber aproveitar mais e mais.

Aração aos dois.

Renato Orlandi disse...

Que legaaal gente, mais uma vez tive a oportunidade de conhecer um pouquinho mais esse cara que admiro tanto, adorei a entrevista, de verdade, fiquei super entretido, hehehe, há algo que me causa fascinação, já disse antes e repito, um exemplo de vida e de pessoa!!! Quero ser assim quando crescer :D
Parabéns pela iniciativa e pela condução! Agora te sigo :P Abraçooo!

Wanderley Elian Lima disse...

Oi D, você brilhou.
Te amo
Bjux

Majoli disse...

Olá Serginho, cheguei aqui através do blog do Paulo Braccini para ler a entrevista.
Nossa eu amei.
Dias desses fiz um acróstico pra ele, claro sem saber muito dele, só usei de minha percepção quanto aos comentários dele deixados em meu blog e também pelas postagens no blog dele.
Agora lendo as respostas dele, sinto que cheguei bem perto ao descrevê-lo.

Parabéns pela entrevista.

Beijos.

Messias Vilela disse...

Muito bom cara! Saber um pouco mais desta figura quase lendária que é o amigo Paulo Braccini...
A exemplo do comentário acima não o conheço pessoalmente, mas achei surpreendente a entrevista. E desejo todo sucesso do mundo a ele, um cara que sabe se portar na sociedade, com ética, respeito. Sabe se impor e vai a luta!

Parabéns pela entrevista e pela escoha, abraços!

lucidreira disse...

Parabeniso ao autor deste blog, e ao intrevistado.
Sempre que comento alguma coisa sobre os blogs que tenho como amigo com minha mulher falo do Paulo Baccine, dando-lhe exemplos de que é um ser humano magnifico, apesar de não conhece-lo pessoalmente, só de ler suas matérias em seu blog.
Foi atravéz dele que cheguei aqui e voltarei sempre.
Abraço

Edu disse...

Uau, que delícia conhecer mais do meu querido Bracciola! Muitos detalhes que eu não conhecia, tantas histórias. Gostei de saber que ele e Wander se encontraram no ano que nasci. :-) Mais uma bela entrevista sua, Serginho!!

Edilson disse...

Se pudesse definir o Paulo em uma única palavra diria: DIGNIDADE. Ele é de uma lisura, uma educação, tem berço..nota-se pela forma que dirige-se a todos. Parabéns Serginho pela bela iniciativa. Abraços.

Visão disse...

O Braccini é um cara fantástico.

Glaukitos disse...

Adoro o Paulão.
Grande mestre, grande amigo.

Abraço.

Adriane M A Moura disse...

Nossa!depois de ler esta entrevista, vi q o conheço muito pouco. E imagine, o pouco que o conheço já me fez ´apaixonar, depois desta linda entrevista então... Paulo é isto tudo e muito mais. Faz trabalhos maravilhosos na comunidade q vive. É um cara muito respeitado e admirado, humano, simples , esta sempre a disposição . Te amo, cumpadi!!

ManDrag disse...

Parabéns, Amor, por mais uma boa entrevista!
O entrevistado revelou ser uma pessoa interessante e com conteúdos. Alguém auto-programado que sabe onde quer chegar.
Também concordo que "mesmo os fakes apresentam na verdade, muito de cada um, tal e qual a pessoa é, o que ela sente e pensa. Ninguém consegue criar um fake sem colocar nele o seu eu." É apenas necessário saber ler nas entrelinhas.
Out of record: gostei das novas cores do blog.
Beijos

Paulo Braccini disse...

Passando para registrar o meu agradecimento a todos que por aqui passam e deixam o registro ... os que já conheço e os que agora estou conhecendo ... super beijo a todos vcs e um fds super super legal ...

para vc em especial amigo Serginho

;-)

Caju disse...

Excelente e fantástica entrevista, assim como o Paulo.

Bjs

Fumaça Subindo disse...

gostei da entrevista do Paulo

Fabrício disse...

Parabens Serginho e Paulo pela entrevista, muito interessante a forma como conduziram as perguntas, e Paulo concerteza é um grande exemplo para todos nós;
bjs

Jaqueline disse...

Mais uma vez vejo claramente pq sou fã do Paulo...
Excelente entrevista, Paulo é um desses ser-humano que encontram-se em extinção!!! Adoroooo!!!
Bjus

HSLO disse...

O Paulo é uma maravilha de pessoa...gosto muito.

Justo e Digna essa entrevista.


abraços


Hugo

Lobo Cinzento disse...

Muito legal a entrevista! Papis me é uma palavra muito comum viu? Hauahahauahaua

Um exemplo de muitas coisas. Além de ser um dos que nos dá esperança que podemos entrar em relacionamentos duradouros...

Um beijo Serginho!

Inside Me disse...

nossa, serginho, adorei mesmoooooooooo! conheci paulo á pouco, mas ja o admiro por ser tão espontâneo com essa alma jovem e descontraída, sempre mt bomconecer um pouco mais as pessoas q admiramos, adorei mesmo. bjs, serginho, bom domingo

António Rosa disse...

Adorei conhecer um pouco mais do Paulo Braccini, de quem sou um admirador do seu blogue. Linda entrevista. Essa história de amor é demais.

Serginho e Paulo, parabéns.

Cain Sodom disse...

Nossa. É muita história, muito estudo, muita vida... E o mais interessante de tudo, Paulinho não parou no tempo. Entrevista maravilhosa!

BinhoSampa disse...

Super!!!Super!!! a entrevista. Conhecer as pessoas que regem a blogesfera é algo fascinante.

Saber que é possível sim viver um relacionamento por bastante tempo é algo motivador.

Parabéns a ambos!!! Super!!!!

Abs ;-)

Marcos Dhotta disse...

...Roubaria o Paulo para "mim" sem culpas. Sorrateiramente o colocaria no bolso e... Levaria para casa sem data de devolução. Este homem é um absurdo por tudo que nos ofereçe em seu espaço. Enfim, adorei o que tivemos por aqui, hoje.

dogmanstar disse...

poucas pessoas são acometidas de clareza assim.
bela entrevista, tanto pelo entrevistado como pelo entrevistador.
Braccies, sou fã. fato.

nota: quando vais entrevistar eu + wans?

hein? hein? hein?

Bruno disse...

Entrevista mto legal mesmo!

É mto legal conhecer mais dos blogueiros!

ADORO!

batterie disse...

que apesar de não conhecê-lo pessoalmente nutro admiração

Rolex watches disse...

Confirmou o que eu já suspeitava: temos muitas afinidades

r4 ds disse...

obrigado Serginho pelo carinho com que vc me acolheu e pela oportunidade de me transparecer ...

CIELLO disse...

pronto... logo mais um capitulo dos agoa... quase 38 anos de Paulo e Wanderley..... muito bom... me encanta essa sobriedade.