segunda-feira, 6 de setembro de 2010

O episódio do Siso

Olá.
Vou começar do fim. Explico.
Durante alguns anos vivi muito bem em minha casa ao lado dos meus 31 irmãos. Sempre soube que era diferente deles por ser um tanto quanto torto desde que nasci, mas nunca fui vítima de preconceito por isto. Fui levando a vida e estava confortável assim mesmo, já que não havia o que se fazer.
Tudo estava indo bem até de repente eu começar a sentir uma dores que me incomodavam de vez em quando.
Isto não era um bom sinal. E não foi. Eu iria ser banido e consequentemente iria morrer.
Portanto, decretado meu fim, eu não tinha mais tempo algum de vida e precisava sair logo. Mas resolvi que não sairia assim tão facilmente. Se acham que eu não tinha função nenhuma eu iria lutar para provar o contrário.
Devo admitir que foi uma grande ignorância da minha parte tal decisão.
Agarrei-me firme com minhas as trêa armas que possuía e travei uma batalha firme contra meu oponente. Mas o que poderia ter levado alguns pequenos minutos viraram uma agonia que não parecia ter fim. Mais de uma hora depois estávamos vencidos pelo cansaço. E agora eu já não podia mais permanecer em casa. Tinha que pensar na integridade física dos meus irmãos e deixar o egoísmo de lado. Então eu desisti. Foi um grande alívio para todos. Nunca pensei que a morte fosse tão serena.
Ao chegar no céu (vou chamar o lugar onde estou assim porque está longe de ser um inferno!) fui muito bem recebido e já estou a fazer amigos. Os dentes do Wans me convidaram para o primeiro jogo do campeonato entre as equipes da Susana Vieira e da Yoná Magalhães. Vou torcer pelos meninos da Yoná. Primeiro porque sempre gostei mais dela. Segundo porque a equipe da Susana não tem nenhuma chance. A equipe está revoltada por ela ter trocado todos eles por uma tal Corega e estão todos deprimidos!
A propósito, ficarei no camarote. Não sou um qualquer. Sou um siso. Um siso semi-incluso.
Chique não é?
Au revoir les enfants!

(Muito obrigado a todos que estimaram minhas melhoras. Aos poucos estou voltando. Estou quase lá! E morrendo de saudades!)

12 comentários:

Renato Orlandi disse...

Nem quero saber a história do apêndice então... :O rs, achei muito fofa essa história rsrs apesar de que ainda preservo os meus vivos! Bjoo!

Lord V. disse...

oremos!!!
meus sisos continuam vivos. ate qdo, deus ha de saber...

abraços
voy

Wanderley Elian Lima disse...

kkkkkkkkkkkkk, adorei a adaptação com os dentes do Wans, foi geninal.
Bjux

Glaukitos disse...

Bela crônica!
Parabéns!

Guará Matos disse...

Então volta logo!
Você não é dente, mas adoramos você ao lado da gente.
Bj.

Paulo Braccini disse...

eu quero um pouco disto q vc tomou ou fumou ... kkkkkkkkkk ... ou vc escreveu isto enquanto delirava em febre? eim? kkkkkkkkkkkk

adorei ...

tô com vc a Yoná e o Wans ... vamos tirar os cisos e ensandecer

bjux

;-)

Edu disse...

Que fofo, os dentinhos do Wans ganharam um amigo!!

Meus sisos estão todos aqui. Porque eu quero ter juízo. Quero, não tenho muito, mas quero. Bj!

ManDrag disse...

Foi-se o siso e agora é marchar em frente.

Beijos

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

rs... siso, para que tê-los rs.
Os meus, pura dor de cabeça rs.

Espero que vc esteja bem, meu amigo!
uma boa semana pra vc e curta bem o feriadão, se tiver emendado!abraços

Flor de Lótus disse...

Os meus sisos estão lá vivinhos da silva todos os dentistas insistem em querer tirá-los de mim,mas eu não deixo não só quando eles me incomodarem.

Um ótimo feriado!
Beijosss

K. disse...

e a fada ficou de mãos abanando???
tadinha!!!!

Cain Sodom disse...

Eu vivo adiando isso, sabe. Nem quero pensar na dor... (Mas vendo o lado bom das coisas> emagrece!) rs