terça-feira, 26 de outubro de 2010

A História Sem Nome, capítulo 04.

O anjo da guarda

Costumava largar as roupas pelo chão. O outro ia recolhendo peça por peça pacientemente. Havia adquirido essa virtude depois de tantos anos que não lembrava mais quando não a teve. Enquanto isso, observava o outro adormecido. Preparou-lhe um pequeno almoço e ficou esperando para vê-lo acordar. Era sempre a melhor hora do dia. Gostava como ele se espreguiçava esticando os braços. Os olhos abrindo lentamente sem importar com a luz do sol entrando pela janela. Olhava para aquele corpo despido na cama. Sentia-se orgulhoso de protegê-lo. Perdeu-se em pensamentos e quase perdeu o despertar do amigo.
Sorrindo, passou a mão em seu rosto e disse-lhe:
- Bom dia, como vai sua tia?
- Não me venha com essa, Anjo. Sabe que odeio tanto isso que o último que me disse isto eu tive que arrancar-lhe a cabeça. Com os dentes!
O outro gargalhava, sabia que o amigo odiava aquela brincadeira, mas mesmo assim não perdia a oportunidade de fazer-lhe chacota.
- Então, como foi a festa ontem? Ou deveria perguntar quem foi a vítima da vez?
- Não houve nenhuma vitima.
- Pelo que vejo, pegou um adversário a altura dessa vez!
Ele deu aquele sorriso maroto e disse:
- Digamos que o jogo terminou empatado, mas estou pronto pra outra, mas e você? O que faz entre os mortais?
Anjo mudou o semblante. Estava sério agora.
- As coisas estão ficando bem difíceis...
- O que aconteceu? Não me diga que os deuses te demitiram?
- Não é bem assim que as coisas funcionam...
- Não sei. Você nunca me conta nada! Mas não faz mal. Não vou precisar que me diga mais. Descobrirei sozinho. Os tais mutantes para quem eu estou trabalhando vão me ajudar...
O Anjo parecia não o ouvir mais. Ele passou a mão no rosto do amigo e deu-lhe um forte abraço. Deixou escapar uma pequena lágrima que não fora percebida pelo mutante.
- Venha comigo!
- O que aconteceu Anjo? Para onde vamos?
Ele o encarou e segurando-lhe o braço, disse:
- Lúcifer encontrou uma forma de vir à Terra!
- Mas você me disse que isto seria impossível!
- Sim, mas havia uma brecha na lei e ele a descobriu. Por isso precisamos de sua ajuda!
- Minha ajuda? Como assim? Vocês querem que eu derrote o diabo? Vocês só podem estar brincando comigo! Estão loucos? Quem vocês pensam que eu sou? Já não me bastava aqueles mutantes dizendo que eu tudo posso? Eu estou farto de saber que sou um mutante poderoso, mas isso já não é demais? E eu nem sei do que sou capaz de fazer!
- Chegou a hora de saber! Mas para isso precisa vir comigo. Escute meu amigo, existe um lugar onde, dizem, um dos deuses se escondeu para chorar a morte do seu único filho e que foi lá também que ele o recebeu quando este mesmo filho venceu a tal morte e subiu aos céus. Não sei se isto é verdade ou apenas mais uma das muitas lendas que ajudamos a espalhar, foram tantas que até mesmo nós nos confundimos, mas existe uma verdade absoluta e este é o momento de você saber, mas precisamos ir agora!
Gabriel, o Anjo, abriu suas imensas asas e segurou as mãos do seu protegido. Neste momento uma imensa coluna de fogo desceu sobre suas cabeças. O mutante sentia seu corpo arder em chamas, mas não sentia dor, nem medo.
- Venha meu amigo. É chegada a hora. Esqueça o nome mutante que lhe dei um dia. És mais que isso.
Ele sentia seu nome ecoar em todas as direções, era como se em todos o cantos do mundo o chamassem. Seu nome pulsava dentro dele, vivo e com uma alegria que ele nunca sentira antes, enfim, podia dizer para si mesmo:
- Paulo.

(Continua...)

16 comentários:

Guará Matos disse...

Vocâ tá ficando a cada narrativa, melhor!
Show!
Bjs.

Wans disse...

Leio de casa, tá gato?

bjão

Paulo Braccini disse...

Querido Sérgio! Sua capacidade criativa e sua narrativa estão a toda. Digo isto com a mais absoluta sinceridade de uma pessoa q vc já conhece bem ... parabéns querido ... Queria ser este mutante e poder incorporar este novo Paulo para derrotar os demônios q nos sufocam ...

bjux

;-)

Wanderley Elian Lima disse...

Isso está ficando perigoso. Tô gostando e seguindo.
Bjão

Autor disse...

Com te falei no msn, a narrativa desse capítulo foi a mais fluída até o momento.
Aquelas iniciais estavam me cansando e confundindo, ainda bem que você adotou os nomes. Acho que a história só tende a ganhar com isso.
Sobre a mistura de mitologia com religião, que é algo que pode tornar-se perigoso, aqui, soou altamente divertido e coerente com a história.
Preciso dizer que estou ansioso para continuar te lendo e dando pitacos?
Bjo, amigo!

S.A.M disse...

Ai, não posso ficar lendo essas coisas sabia?
é muito bom! rs

beijao

Le Voyeur disse...

nossa! tá show!!!
adoro!

abraços
voy

FOXX disse...

agora os personagens tem nome?

Dil Santos disse...

Serginho menino, ficando cada vez melhor heim? rsrs
Tu tá bem?
Menino ñ estou, queria estar, aí melhora mais os textos, rsrs.
Bjos

Pimenta disse...

maaaaiisss......

Diogo Didier disse...

Serginho, meu lindo, OBRIGADO pelas doces palavras referentes ao meu niver! Fiquei comovido com a sua presença nessa data tão especial para mim...

bjoxxxxxxxxxxxxxxxx lindo!

Cadinho RoCo disse...

Do que será capaz este tão misterioso Paulo?
Cadinho RoCo

São disse...

Eu que não aprecio tatuagens, fiquei maravilhada com esta!!

Um abraço, meu bem.

Paulo Braccini disse...

Ei!!!

bjux

;-)

Arsênico disse...

Confesso que não estou seguindo essa série de textos... mas precisava dizer que um dia ainda farei uma tattoo dessa! É meu sonho!


PS::: Amei no Novo Layout!

***

umBeijo!

;-D

Glaukitos disse...

Esse Paulos são um perigo,rsrsrsrs
Quero o capitulo 5 pra entender melhor o 4.