segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Foxx (Estórias do Mundo)

O entrevistado deste mês tinha tanto a dizer que para isso pedi ajuda ao meu querido Mauri. Entre temores, dissabores, dramas, tragédias e mágoas, ele contou um pouco sua história no mundo. Ou seria estória? Enfim, leiam a entrevista abaixo e tirem suas conclusões. Sem mais, com vocês, Foxx!

Talvez eu seja realmente mais conhecido do que imagino.
Serginho: Você é uma espécie de celebridade na blogosfera percebe isso?
Foxx: Acho que eu já fui mais conhecido, as pessoas que costumavam frequentar meu blog fecharam os seus. Se eu sou celebridade, não percebo esta dimensão dado que os comentários não são tantos, quanto às visitas que meu blog recebe, e muito menor ainda é o contato com quem comenta.
Serginho: Entendo, mas acho que hoje em dia acontece com todo mundo, não?
Foxx: Sim, é um padrão comum dos blogs, ter muito mais visitas do que comentários, talvez eu seja realmente mais conhecido do que imagino, sobretudo se levarmos em conta destas pessoas que não comentam. Inclusive, recentemente, um blogueiro entrou em contato comigo dizendo que me conhecia pessoalmente e após o meu vídeo de aniversário do blog.
Serginho: Mas porque você acha que acontece isso? Porque muitas pessoas não comentam?
Foxx: Não sei, sinceramente não sei, timidez talvez? Muita gente argumenta que não sabe o que comentar, mas ora, comenta qualquer coisa, se faça presente, é tão bom pra quem escreve.
Serginho: Ficar conhecido era uma ideia sua no inicio? Por exemplo: vou fazer um blog porque quero bombar?
Foxx: Não, conhecer pessoas era minha idéia no início. Eu queria fazer novos amigos, conhecer pessoas novas, quem sabe até um namorado, mas somente conhecer pessoas, não ficar conhecido, se é que dá pra me entender. Até porque eu comecei há cinco anos atrás, e celebridades na internet não eram muito comuns...
Eu ainda não descobri o jeito de mudar.
Serginho: Vamos voltar ao principio. Você é de Natal, certo? Como era sua vida lá?
Foxx: Sim, sou e fui criado em Natal, minha família inclusive ainda mora lá.
Serginho: E como foi sua infância?
Foxx: Traumatizante, pra dizer a verdade.
Serginho: Porque?
Foxx: Sempre fui o menininho efeminado, irmão de outros três irmãos "normais"!
Serginho: E isto deve ter te machucado muito. Como enfrentava isso?
Foxx: Eu era vítima de ataques homofóbicos na escola, na rua e também entre meus parentes e isso me moldou profundamente. Pra dizer a verdade toda a minha forma de se relacionar com outros seres humanos é baseada nestes ataques que eu sofri durante minha infância e adolescência. É por isso que sou carente, que procuro aceitação, buscando o que não tive entre meus pais, sobretudo.
Serginho: Você fez faculdade e agora faz doutorado em Belo Horizonte. O fato de ter saído de uma cidade menor e ido para um grande centro deve ter sido deveras gratificante. Foi uma grande mudança?
Foxx: Não. Era pra ter sido uma grande mudança, eu vim pra cá com a esperança de que tudo seria diferente de Natal. Mas não foi. Na verdade tudo aconteceu seguindo os meus padrões de Natal, infelizmente.
Serginho: Você diz ser carente e ainda não ter vencido esses traumas que diz terem feito o ser humano que é hoje. O que te impede de vencer esses mesmos obstáculos que consegue perceber em si mesmo?
Foxx: Eu ainda não descobri o jeito de mudar isso. Por exemplo: como simplesmente eu vou deixar de ser carente? Simplesmente esquecendo que sinto falta de ter alguém do meu lado no domingo à tarde? Ainda não aprendi a fazer isso...
Serginho: Já buscou ajuda de um profissional para isso?
Foxx: Não acredito que psicólogos sirvam pra alguma coisa. Acho gasto inútil de dinheiro.
Serginho: Quando você diz que o fato de ser efeminado dificulta sua vida sentimental, não seria um preconceito seu? É possível encontramos muitos efeminados muito bem resolvidos, felizes.
Foxx: Não, é uma percepção. E assim, ser efeminado é um problema pra mim em Natal, não é em Belo Horizonte. É algo muito forte na cultura potiguar de excluir de todas as maneiras aqueles homossexuais que são um pouco mais efeminados, eles não têm direito a vida social. Em Belo Horizonte o mesmo não acontece. Eu não acredito que estou sozinho aqui por causa disso, acredito que seja outra coisa. Algo como azar ou destino mesmo.

Eu acho que tenho um corpo bonito.
Mauri: Lembro que você tinha um fotolog, mas que motivo te fez deletá-lo?
Foxx: Roubaram minha máquina e dado minhas atuais circunstâncias financeiras eu não pude comprar uma nova ainda, portanto, pra quê manter o fotolog se eu não podia mais postar fotos? Além disso, eu estou com quase 30 anos, não tenho mais idade para fotolog.
Serginho: Então acredita que fotolog é algo para um público específico?
Foxx: Sim e bem adolescente. É preciso ter muito tempo para comentar e comentar e comentar. Ou você é absurdamente lindo ou comenta o tempo todo pra ser alguém no fotolog, ou posta fotos bem ousadas. Admito q eu consegui alguns "fãs" graças ao ultimo ponto.
Serginho: Você gosta de exibir o corpo e já fez isso no blog também. Porque?
Foxx: Porque eu acho que tenho um corpo bonito, e adoro receber elogios por causa disso, então porque não mostrar? Infelizmente como não há ninguém pra elogiar pessoalmente eu tento por outras vias.

Eu já fiquei com algumas pessoas da blogosfera.
Serginho: Do flog ao blog, o que te motivou a fazer um? Você disse que queria conhecer pessoas, porque escolheu essa ferramenta especifica?
Foxx: O que me motivou a escrever foi o Marcelo Sunshine. Ele tinha um blog que hoje se chama No Divã com Marcelo Sunshine, acho e eu vi o blog, o conhecia via orkut, e comecei a me informar como proceder. Escrevia coisas meio sem nexo e com bastante vergonha de me expor num blog. Com a idéia do Sunshine eu adotei o nick de Foxx e pude escrever de forma mais livre, sem medo de ser descoberto, lidar com minha sexualidade dentro do blog com a segurança que eu precisava naquele momento.
Serginho: E porque Foxx?
Foxx: Havia uma raposinha chamada Pyiong que um ex-namorado (o primeiro) achava a minha cara, ai eu adotei Foxx, por causa dessa raposa, mas com o tempo, essa raposa tomou outra proporção na minha vida. Hoje eu a identifico diretamente com a raposa do Pequeno Príncipe (o livro) como o layout do meu blog tem provado. Foi uma mudança, na verdade, que pode marcar todo o blog, com a participação de um Pequeno Príncipe, meu blog se tornou muito mais um lugar para eu demonstrar minha frustração por estar sozinho, do que me gabar de minhas antigas conquistas, que, falando bem a verdade, era o que eu fazia.
Mauri: Você já teve vontade de ficar com alguém da blogosfera? Quem?
Foxx: Ah, eu já fiquei com algumas pessoas da blogosfera, inclusive meu segundo namorado é blogueiro. Se eu ficaria com algum dos que eu conheço hoje? Ficar, provavelmente não, mas tentar namorar provavelmente sim.
Mauri: Você idealiza o homem perfeito?
Foxx: Não, eu acho q eu não idealizo, eu só quero alguém que queira estar comigo e que demonstre que quer estar comigo. Uma pessoa que me procure após o primeiro encontro e deseje o segundo, isso é o máximo que eu consigo sonhar para um namorado. Com exceção de dois namorados virtuais, eu nunca tive seconds dates.

Não tenho nenhum problema para ser superado.
Mauri: Existe sempre uma tristeza em seus posts. É proposital?
Foxx: Sim, é. Eu estou triste e quero demonstrar. Não é porque eu queira bancar a vítima, é porque eu quero demonstrar o que estou sentindo. No momento que eu estiver feliz demonstrarei.
Serginho: Mais uma vez eu insisto. E isto também é uma duvida do Mauri. Um profissional não te ajudaria a superar essa tristeza?
Foxx: Não tenho nenhum problema para ser superado, eu estou triste porque as coisas não estão do jeito que eu desejo, assim que elas se ajeitarem eu com certeza estarei feliz!
Serginho: Você sempre reclama o fato de não ter um namorado e ser infeliz por isso. Acredita então que ter alguém é a solução para acabar com todos estes problemas?
Foxx: Não! Definitivamente não! Ter um namorado é um problema único q só se resolve com um namorado, mas se eu arranjar um namorado não vou melhorar meu salário e meu emprego.

Eu sou historiador em todos os momentos de minha vida.
Mauri: Lembro de você ter dito que já havia pensado em seus escritos no blog serem transformados em um livro... Ainda pensa?
Foxx: Sim, penso sobretudo nas minhas narrativas do Heitor Renard, elas tem certa unidade, acho que mereciam permanecer juntas, mas eu me referia muito mais ao meu outro blog de ficção, o Espartanos, que já foi pensado para ser um livro, e vai sair com certeza. Questão de tempo.
Serginho: O quanto é diferente o blogueiro do historiador?
Foxx: Tão diferente quanto Estória de História. Ser blogueiro é escrever muito mais literariamente quanto como historiador, e é por isso que eu uso Estória e não História, para ressaltar o conteúdo mais literário do que histórico. Eu sou historiador em todos os momentos de minha vida, então ao escrever qualquer post meu eu sempre o penso dentro de uma linha, de uma cronologia, como ele se encaixa dentro da minha própria história de vida, e como os fatos do meu passado o explicam e como ele explica os fatos do meu passado eu penso assim: o passado está o tempo todo vivo no nosso presente.

Eu não tenho vida sexual ativa.
Serginho: Você é gay e deixa claro isso no blog, mas este é o Foxx. O Lenin também é assim?
Foxx: Como eu sempre deixo claro, eu sou efeminado o bastante para que todas as pessoas com quem me relaciono presumam que eu sou gay antes mesmo de eu abrir a boca!
Quando eu era jovem isso me irritava, mas com amadurecimento vem a sabedoria não é? Hoje isso não é um problema mais. Eu sou gay, sei que sou, e que as pessoas pensem o que quiserem de mim. Não faço a menor questão de desmenti-las, mas também não saio avisando: sou gay sim. Acho que nunca precisei fazer isso e acho que só vou precisar fazer quando tiver a coragem de sentar com meu pai e minha mãe, porque eu sei que eles sabem, mas eles fingem que não, ao mesmo tempo penso se vale a pena, afinal, eles são de uma geração que dificilmente me aceitaria.
Serginho: E o fato de lidar com essa sexualidade, algumas pessoas não se sentem bem sendo efeminadas, mas sexualmente vivem muito bem. Com você acontece isso?
Foxx: Eu não tenho vida sexual ativa nem nunca tive para dizer a verdade. Porque fazer sexo acidentalmente com estranhos não é ter uma vida sexual ativa, é ter uma vida sexual acidentada, no máximo.
Serginho: Você disse estar há meses sem fazer sexo, porém também não quer sexo por sexo. O que você quer afinal?
Foxx: Namorar, conhecer alguém que queira fazer sexo comigo mais de uma vez. Cansei de homens que me usavam e depois me jogavam fora como se eu fosse descartável. Eu valho mais do que isso!
Serginho: Não acha que esta sendo radical com essa atitude? De repente alguém pode aparecer assim e se interessar por você.
Foxx: Não! Ninguém que queira somente fazer sexo comigo vai de repente olhar pra mim e decidir que quer mais que isso, essa pessoa não está aberta pra isso. Se alguém quiser ter algo de verdade comigo, ela vai querer ter algo de verdade desde o início!
Serginho: Porque você se julga assim? Essa é uma visão sua.
Foxx: Porque até hoje ninguém me tratou diferente, por isso acredito que esta seja a regra geral, como eu disse, sou historiador em todos os momentos de minha vida. E principalmente, eu não me julgo assim, eu julgo que os outros são assim. Eu não acho que não sou interessante, eu acho que os homens que eu já encontrei na minha vida nunca se interessaram em mais nada além de sexo comigo, com exceção destes dois namorados virtuais.

Não sou afetado, sou efeminado.
Serginho: Pra você existe diferença entre afetação e ser efeminado?
Foxx: Sim, existe. Eu no caso não sou afetado, sou efeminado.
Serginho: Todavia não são apenas rótulos? Rótulos tendem a massacrar as pessoas. Já tentou viver sem eles?
Foxx: Não, nem acredito que seja possível. Rótulos servem pra classificar as pessoas dentro de determinadas células estanques, o problema é que você nunca é somente uma célula porque está sempre mudando. Ser afetado diz coisas que eu não sou, ser efeminado, no entanto, também diz coisas que eu não sou, mas é muito mais próximo da minha descrição do que "bichinha afetada".
Serginho: Você percebe muita homofobia por ai? Ou acha que o politicamente correto que é chato demais?
Foxx: Não, eu vejo muita homofobia! E não é só a questão de piadinhas e ser politicamente incorreto, são agressões que visam denegrir imagens e destruir pessoas. Quando alguém me xinga na rua, gritando do seu carro, viadinho, não é para fazer uma piada politicamente incorreta, é porque ele acha q eu não tenho o direito de conviver na mesma cidade/rua/lugar que ele. Se pudesse ele me mataria. Não vejo a menor diferença entre gritar de um carro viadinho e enfiar uma arma na minha boca e me matar. Quem faz um, faz outro!
Serginho: Em um contexto maior, onde mais você vê essa homofobia?
Foxx: Vejo nas pessoas, no dia a dia, quando piso na rua e sou agredido, quando tenho que desviar de meninos que resolveram que podem zoar comigo, quando eu tenho que me defender de alguém, às vezes até fisicamente, para simplesmente conseguir continuar o meu caminho. Vejo quando os pais de meus alunos me consideravam menos capaz porque eu era gay, vejo quando meus próprios pais achavam q eu não ia servir pra nada. O problema da homofobia não é o beijo gay da novela, a propaganda veiculada no horário nobre, são meninos que sofrem todos os dias somente pra viver um dia nas suas vidas. São meninos q desejam todo dia que ninguém na escola chame-os de bichinha de novo. A injustiça da homofobia é fazer meninos acreditarem que são inferiores, que merecem lugares inferiores, só porque são gays!
Serginho: Mas preconceito existe em todo lugar. Existem garotos que não são efeminados, nem tampouco gays, mas são gordos e sofrem por isso ou aqueles que são muito magros, ou os que são vesgos, enfim, não acha que no fundo todos sofrem esse tipo de preconceito?
Foxx: Sim, sofrem, mas esses gordos, vesgos, magros, crescem e aos poucos são aceitos pela sociedade e os meninos gays vão ficando.

Eu queria poder apagar os meus traumas e começar do zero.
Serginho: Agora, mudando de assunto, fale mais sobre sua graduação.
Foxx: Faço doutorado em História. Pesquiso o século XVI e XVII e como o Brasil foi descrito pelos cronistas do século XVI e XVII utilizando a tradição greco-romana. É uma pesquisa que funde conceitos de história antiga, medieval, moderna e história do Brasil colonial. E tem dado muito trabalho. Aviso aos navegantes: não façam doutorado!
Serginho: E como consegue tempo estando sempre na NET?
Foxx: Eu trabalho no computador, escrevo, leio, sempre perto do computador, por isso estou sempre na NET, além do mais, minha hiperatividade agradece eu ficar fazendo duas coisas ao mesmo tempo!
Serginho: Fale mais o que você gosta de fazer, ver, ouvir...
Foxx: Eu sou um leitor compulsivo. Leio o que cai na minha mão e rapidamente. Adoro séries de TV, muitas, já TV nacional, eu praticamente exclui da minha vida. Vejo pouco cinema, deveria ver mais, e ouço pouca música, é o que menos faço porque me incomoda um pouco, mais ler, mais estudar, mais navegar na NET, são coisas demais para minha cabeça. Até porque eu só poderia ouvir música atualmente no meu computador. Que é onde guardo tudo e lá tem de Marilyn Monroe a Led Zepelin, de Ludov a Raimundo Fagner.
Serginho: Recentemente você declarou abertamente seu voto. Porque?
Foxx: Porque seria um contra-senso como historiador votar em Serra e no PSDB, por isso eu me declarei abertamente contra o PSDB. Nenhum historiador de respeito faria isso.
Serginho: Se pudesse mudar algo no país o que faria?
Foxx: Aprovar o PL122 e o casamento sem dúvida. Não pensaria duas vezes!
Serginho: E o que mudaria em você?
Foxx: Eu queria poder apagar os meus traumas (as agressões homofóbicas) e começar do zero, porém, eu sei que se eu apagasse seria uma pessoa completamente diferente do que sou hoje, então, prefiro ficar com eles.
Serginho: Para terminar, o que é sucesso pra você?
Foxx: Alcançar nossos objetivos e ter com quem dividir os louros! Dividir cada sorriso é ter sucesso pra mim. Não adianta nada ter todas as vitórias se elas forem somente pra você.

36 comentários:

Diego Hatake disse...

"Serginho: Você disse estar há meses sem fazer sexo, porém também não quer sexo por sexo. O que você quer afinal?
Foxx: Namorar, conhecer alguém que queira fazer sexo comigo mais de uma vez. Cansei de homens que me usavam e depois me jogavam fora como se eu fosse descartável. Eu valho mais do que isso!
Serginho: Não acha que esta sendo radical com essa atitude? De repente alguém pode aparecer assim e se interessar por você.
Foxx: Não! Ninguém que queira somente fazer sexo comigo vai de repente olhar pra mim e decidir que quer mais que isso, essa pessoa não está aberta pra isso. Se alguém quiser ter algo de verdade comigo, ela vai querer ter algo de verdade desde o início!"


Só com essas duas respostas ele já me ganhou. Gostei dessa entrevista. Depois passo pra dar um recado no blog dele. E congrats! =)

FOXX disse...

eita, olha eu ai...
gente, tow meio com vergonha das fotos... mas...

ah, que seja
espero que gostem de tudo!

Igor disse...

Já pode dizer que adorei as pernas do Lenin?

Obrigado, beijos.

Le Voyeur disse...

'Eu estou triste e quero demonstrar. Não é porque eu queira bancar a vítima, é porque eu quero demonstrar o que estou sentindo. No momento q eu estiver feliz demonstrarei.'
eu sei EXATAMENTE como é se sentir assim. e além disso. o phoda é q mta gente não acredita q me sinto assim, e qdo falo acham q estou me fazendo de vitima, q tenho uma vida boa, bla bla bla! mas de fato, eu tenho certo receio de postar como eu realmente me sinto, de falar sobre isso de maneira mais clara!
e isso eh uma das coisas q admiro no Foxx. fala sem medo! 'conheço' ele pouco, mas admiro ele mto por esse pouco.
a entrevista ficou mto boa. msm!

bjs do voy

Le Voyeur disse...

ah sim, claro
a fotos!!!
#calor

bjs do voy

Renato Orlandi disse...

Nossa, com certeza agora admiro mais esse cara e sua história, adorei a clareza e objetividade das suas idéias, como ele bem sabe, e sobre as fotos OMFG, vou me difert...não, rs, estão lindas, ótimas, calor!!! Parabéns por promover esses encontros/entrevistas tão interessantes! Bjao a todos!

Marcos Freitas disse...

Adorei a entrevista e o ensaio sensual. Apesar de ter declarado o meu voto ao Serra e diversas vezes ter entrando em confronto com o Lenin, gosto muito dele e ele sabe disso. Sou um dos caras que estou na arquibancada, torcendo por ele e as vezes com vontade de pegar na mão dele e mostrar de todos nos temos as nossas carências, alguns mais, outros menos, mas todos tem.

@CafeinaFree disse...

Lenin, o dia que não for polemico não o reconheço haha

parabéns ao blog pela entrevista!

Sté disse...

Lenin é incrível! Tenho orgulho de ele ser natalense. Há poucos que salvam nesta terra, ele é um.
Quanto a um tratamento: Psicólogos não resolvem nossas vidas, nem nos faz resolver. Psicólogos só nos fazem ver de outra perspectiva. Nunca sabemos de tudo, nunca todas as pessoas irão saber. Acho que seria bom um analista, um novo olhar sobre algo, hã?
Viagem ou não, é minha opinião.
Lenin, meu bom! Saudades!

Diogo Didier disse...

Gente que TUDO! Adorei a entrevista...PARABÉNS!

Junnior disse...

Foxx, senti mágoas, mas atrás - lá atrás - da segurança e da consciência de quem aprendeu a se gostar e sabe aonde quer chegar. Somente no final, a penúltima resposta, me deixou confuso:

"Eu queria poder apagar os meus traumas (as agressões homofóbicas) e começar do zero, porém, eu sei que se eu apagasse seria uma pessoa completamente diferente do que sou hoje, então, prefiro ficar com eles."

Se gostaria de apagar os traumas e agressões é pq as mágoas (talvez algo maior) não estão tão lá atrás como eu pensei. se as cicatrizes ainda se mostram feridas, como explicar que não gostaria de ser uma pessoa diferente? Menos melancólico, no mínimo?
Adorei conhecê-lo melhor e a entrevista foi ótima. Parabéns aos entrevistadores: Serginho e Mauri.
E, claro, que pernas! Que bunda!
Até mais.
Junnior.

Júlio César Vanelis disse...

Já postei lá no "Estórias do Mundo", mas tenho que postar aqui de novo: adorei a entrevista... Esclareceu muitas dúvidas que eu tinha a respeito do Foxx... Não vou nem comentar as fotos, só vou dizer que vc foi muito corajoso..kkk

Abraços

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

sabe o que mais gostei nesse post? O Mauri, adoro o menino rs.
bem legal a idéia de entrevistar a dois.
abraços! bom feriado pra vc e Mandrag

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Serginho
Parabéns pela entrevista. Não conheço o Foxx, a não ser por seus comentários em outros blogs, mas adorei as respostas, sobretudo transparentes.
Bjão

Reginaldo disse...

Gosto das "estórias" dele, parabéns aos 3 pelo resultado. Acho que ainda teria "estórias" para outra entrevista. Justa e digna!

Três Egos disse...

Adorei a entrevista, não sei se é porque sigo o Foxx a um bom tempo eu pude reconhecê-lo mais, não sei, só sei que curti muito. As fotos então. Ui! hehehehehe

Beijo! E parabéns pela entrevista.

Paulo Braccini disse...

Mister Fox é mais q um ícone em Blogsville ... inteligente, contundente, transparente e "seguro" no q ele acredita ... é FATO q divergimo-nos em muitas questões, principalmente na forma com q ele lida com seu lado emocional ... mas isto é extremamente rico e pró-ativo pois nos faz crescer ... admiro pra caralho este cara ...

Parabéns FOX por sua coragem e por sua transparência ...

Parabéns Serginho por compartilhar esta rica personalidade do FOX

bjux aos dois

;-)

Antonio de Castro disse...

taí outra entrevista q eu não poderia deixar de ler.

vc está arrasando, Serginho.

mas vamos aos pontos fortes, quase todos entremeados pela palavra namorado. uma vez me disseram que a gente tem q aprender de verdade a ser feliz sozinho, pra depois ter a chance de ser feliz com alguem. eu acredito nisso e estou aqui, no aprendizado.

fotolog é mesmo para adolescente. ainda bem q ele parou com isso.

e a questão da homofobia... muito importante dizer isso. falar dos garotos que todos os dias rezam para não serem encarnados na escola. mas isso não passa pros gordos, vesgos, magros, como vc pensa, foxx. isso fica. pq depois de adulto, o bullying diminui de proporções, mas ele permanece na mente da vítima, que pra sempre vai se achar inferior pela característica que um dia julgaram diferente ou inferior.

talvez a homofobia seja so um tipo especifico de bullying e eu não desmerecia todos os outros tipos. é justo que a gente queira que as pessoas se conscientizem contra todos os tipos de bullying, não só a homofobia, pq em maioria somos homossexuais.

o foxx é um leonino, como eu. talvez mais que eu. seus defeitos, suas qualidades. é uma pessoa q eu ja tive oportunidade d conhecer pessoalmente e de me apaixonar. pq ele é isso: apaixonante, com todos os defeitos e cm todas as qualidades.

Edu disse...

Provavelmente a melhor entrevista até agora - e muito devido à força do entrevistado. Porque ele é forte, o Foxx. E também estou nessa arquibancada desejando-lhe sucesso e felicidade plenos!

Guará Matos disse...

Você tem brilhado bastante com as entrevistas, muito legais.
Abraços.

Gui disse...

Que pernas.

Sobre a entrevista, não esperava menos do Foxx, brilhante.

Fernando L disse...

Adorei a entrevista !

Só não gostei das fotos no meio do texto, a gente acaba se desconcentrando com as coxas do Foxx, hehe

bjs

Cain Sodom disse...

Aiai, foxxito. Como pode ter vergonha de fotos que vc mesmo resolveu publicar. A gente quer um teco! Hehe

Parabéns Serginho, Mauri e Foxx. A entrevista foi fantástica e as respostas também. Ainda me falta complemento, vou direto a fonte. Kiss

disse...

vcs gostaram das fotos mas não fazem idéia de quão boas são essas pernas ao vivo... o foxx é todo bom, quem já viu ele pelado e já agarrou ele no meio da noite como eu sabe do que eu to falando! hehe
e foxx, valeu por ter decidido vir pra bh. assim vc me deu a oportunidade incrível de te conhecer e de ser seu amigo :)

Guy Franco disse...

Foxx, o blogueiro mais famoso da turminha. Com esta entrevista ele arruma um namorado, quer ver?

Autor disse...

Comentarei e o farei de forma bem sincera, afinal, conheço o Foxx, o Serginho e o Mauri pessoalmente (sou um privilegiado, eu sei).

E o que dizer do que li aqui? Eis uma pessoa complexa e, pelo que leio, complexada.
E, sinto lhe dizer, Foxx, um analista faria bem a você SIM. Sobre o que você diz "Não acredito que psicólogos sirvam pra alguma coisa. Acho gasto inútil de dinheiro.". Os analistas servem, basicamente, para que você entenda onde estar o erro EM VOCÊ. Eles não fazem milagres, inclusive porque quando fazemos terapia, deduz-se que você quer se conhecer e melhorar como pessoa ou se conhecer um pouco mais.

O caso de ser afeminado, não acho que seja um grande problema. Existe quem goste de uva, quem goste de pera e quem coma morango. A questão é achar seu publico alvo e se mirar nele. O que não pode acontecer é também querer o homem impossível, visualizá-lo em sua mente e esperar que ele caia no céu.

E vou dizer algo que é uma percepção minha, mas acho que pode ser um entrave para sua vida amorosa também. Essa coisa de auto-piedade é chata e afasta as pessoas. Eu, por exemplo, não tenho saco com gente que a toda hora pontua como sofre, como é triste, como é infeliz. Desculpa, mas eu quero quem me traga energias positivas, me passem coisas boas. Eu tenho MIL problemas, mas a minha vida é mais do que isso, porque tudo tem TRÊS lados. Pense nisso, tente mudar a postura. Quem sabe se deixar o lado meio darkness and twited de lado, as nuvens não se vão e o sol não brilhe pra você.

No geral, desejo sorte pra ti e que se conheça, se entenda e se aceite. Querer isso (e ver que, às vezes, ajuda é necessária) é o primeiro passo.

Bjo,
Autor

Serginho, amo-te!
Mauri, SAUDADE!

António Rosa disse...

Serginho, Foxx e Mauri,

Que entrevista inteligente e sensível. Acabei de ler agora mesmo e fiquei encantado.

Parabéns a todos.

Abraços.

Alex M. disse...

Não conhecia o Foxx.
Deixou-me as melhores impressões que uma pessoa pode deixar num primeiro contato!

Um ser humano especialíssimo, sem dúvida!

Wagner disse...

Boa noite, eu tenho o prazer de ter o Foxx no meu msn, mas ainda não tinha vistos estas fotos que ficaram tri! realmente, muito 'foxy'!

No caso, nossas conversas nem sempre são pacíficas o tempo todo! E não seria diferente o meu comentário. Discordo absolutamente da maneira com a qual ele encara a psicologia e /ou psicanálise. Eu posso dizer por experiência própria que trata-se de algo que realmente muda nossas vidas.

Além disso acho um problema achar que essa ideia romântica de um namoro traga a felicidade plena, isso funciona até certo ponto, depois vc começa a querer algo a mais. Ele não sabe disso porque como ele mesmo explicou, teve apenas lances mais superficiais! Tem muita construção social nisso, o problema é que a gente compra muito fácil a ideia de que a felicidade é transcedental e pode depender dos outros! Mas adorei a entrevista! Abraços!

Dois Perdidos na Noite disse...

Legal conhecer um pouquinho mais do Foxx, com certeza agora eu entendo bem mais seus textos e os seus comentários!

Só deixaria uma dica: cair definitivamente fora desse círculo vicioso de sofrimento. Muitas vezes a gente se acostuma com um modo de ser, mesmo que cause sofrimento, e não percebe que pode ser diferente. E, definitivamente, é possível ser diferente.

@tiabeereal disse...

Poxa que coxa em? Adorei as fotos risos.... e a bunda risos.... quando tem mais entrevista?

@coolintheheat disse...

acebei de ler sua entrevista, super sincera! mas o destaque vão para suas fotos, OMG que pernas!!!babei

LivBluemchen disse...

adorei sua entrevista!! As fotos, então? nem se fala!

Sex and the City Tupiniquim!!! disse...

Ohhhh... que orgulho da minha rapozinha preferida... e como ele é sexy... gente... Bem, de fato é o mas famoso da nossa blogosfera... e é sempre uma delícia conversar com ele no MSN... mesmo ele brigando comigo quase todas as vezes... ahauahuahauahua... Beijos Foxx...

Wans disse...

Adorei a entrevista! Foxx foi simpático, forte e sincero. Sem falar nas fotos, né? Aquela é uma bunda para ser chupada com afinco.
prontofalei!

Mr. Thinker disse...

Bela entrevista...