domingo, 31 de janeiro de 2010

Fogo, terra, ar e água

Cher leiloou por US$ 8,7 milhões uma mansão que possuía no Havaí e que havia comprado por US$ 2,9 milhões no ano passado. Além de descobrir a imortalidade a cantora barra atriz também sabe negociar. A casa possui cinco bangalôs ao redor do jardim e uma piscina.
Enquanto isso, Nicolas Cage, está cada dia está mais falido. O ator se viu obrigado a vender sua luxuosa mansão em Las Vegas por US$ 4,95 milhões. A propriedade foi adquirida pelo ator por US$ 8,5 milhões em 2006.
John Travolta pilotou seu Boeing 707 da Flórida até o Haiti, com seis toneladas de suprimentos, médicos e ministros da Igreja da Cientologia, para os sobreviventes do terremoto que devastou o país recentemente.
O querido Marcus Baby a cada dia faz mais sucesso. Depois de aparecer na Márcia, recentemente criou uma boneca com a cara da Hebe. Mas ele não vende. Otávio Mesquita ofereceu cinco mil reais (pouco por sinal) e ele recusou.
Fernando Scherer, o Xuxa, e Sheila Mello, a que vira água, confirmaram o namoro. Agora ela tem todos os motivos pra continuar virando água porque o sereio ela já tem!
Adrian Pasdar, o Nathan Petrelli de "Heroes", foi detido sob suspeita de dirigir embriagado. Policiais disseram que a caminhonete que ele dirigia acelerou a 151 quilômetros por hora numa rodovia de Los Angeles e ziguezagueou pelas faixas! Vai ver ele estava tentando voar como seu personagem...
Kathryn Bigelow ganhou o prêmio de melhor direção concedido pelo Directors Guild por The Hurt Locker, tornando-se a primeira mulher vencedora do prêmio. Em 62 anos a escolha do DGA não foi repetida nos Oscars apenas seis vezes portanto ela já se consagra como grande favorita. Vale lembrar que James Cameron seu ex marido ao receber o Globo de Ourto algumas semanas atrás disse que ela merecia aquele prêmio.

E este foi mais um episódio do Re(zzz)umindo.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Sem café e sem veneno

E o Brainstorm desta sexta é com o querido Mauri.
Confiram:

Dez coisas que ele mais gosta:
1) Sexo
2) Dançar
3) Comer
4) Dormir
5) Conversar
6) Beber
7) Dias chuvosos
8) Óculos escuros
9) Seduzir
10) Ser desbocado
 
Dez coisas que ele menos gosta:
1) Terno e gravata
2) Leis, advogados, juizes e afins
3) Beijo com bafo
4) Comer peixe
5) O calor
6) Gente metida a inteligente
7) Fanatismo religioso
8) Política
9) Cueca samba canção
10) Gente metida a querer mudar o mundo

Quem será o próximo?

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Para que ter medo se temos quem nos proteja?

Lembram do Conan, o Bárbaro? O personagem ganhará uma nova versão desta vez com Jason Momoa, astro da foto ao lado e de "Stargate Atlantis". As filmagens decorrerão na Bulgária a partir de março.
Mas, enquanto aguardamos Conan, alguns heróis de banda desenhada aportam por aqui este ano:

Homem de Ferro 2, deve estrear por aqui no fim de abril. Robert Downey Jr. volta a usar a armadura brilhante que ficou famosa no filme anterior. Neste ele enfrenta o Chicote Negro (Mickey Rourke) O filme deve estrear no fim de abril. Scarlett Johansson será a Viúva Nega.


Jonah Hex é um personagem interessante. Publicado pela DC Comics vive no velho oeste e é um caçador de recompensas arrogante. Estreia aqui na véspera do meu aniversário em junho. O elenco é estelar com Josh Brolin, Megan Fox e John Malkovich.

Priest é um padre que sai enfrentando vampiros. No elenco temos Paul Bettany de "Uma Mente Brilhante" e "Código Da Vinci". Dizem que o roteiro é diferente do gibi e a data de sua estreia por essas bandas ainda nao foi confirmada.

Besouro Verde começou a carreira no rádio e depois foi pros quadrinhos. Houve uma série nos anos 60 e o filme deve contar a sua origem que lembra um pouco a do Batman: magnata de dia, super herói a noite. Christoph Waltz de "Bastardos Inglórios" e Edward James Olmos fazem parte da película com data também não confirmada no Brasil.

Os Perdedores conta uma história de um grupo enviado para uma missão na Bolívia, mas eles são dados como mortos e voltam para se vingar de quem os traiu. No elenco Chris Evans, o Tocha Humana do "Quarteto Fantástico". Quando estreia? Boa pergunta...

domingo, 24 de janeiro de 2010

Fait-Divers in SAG Awards

Ontem foi a 16° edição do SAG, prêmio concedido pelo sindicato dos atores de cinema e televisão, cujo diferencial não é escolher o melhor filme nem melhor série e sim o melhor elenco. Uma linda festa com a nata hollywoodiana. Ao contrário do Oscar e assim como o Globo de Ouro os convidados ficam em lindas mesas com um belíssimo buffet.
Os primeiros apresentadores da noite foram Justin Timberlake que é sempre correto, mas não me agradou seu smoking vintage, ao lado de Kate Hudson que usava um longo vestido branco. Tenho uma certa tendência a não gostar dessa cor porque sempre fica aquela coisa meio 'vestido de noiva', mas ela é bonita, ele também. Tentaram fazer gracinha no começo da noite, apresentaram o vencedor de melhor ator em uma série de comédia, Alec Baldwin que estava com o irmão William na festa. Aliás, fazia algum tempo não o via.
Diane Kruger, atriz alemã belíssima, apareceu com o melhor ator coadjuvante e seu parceiro em Bastardos Inglórios, Christoph Waltz, para apresentar o filme que acabou por levar o principal prêmio da noite, melhor elenco, entregue por um engajado George Clooney que acabara de perder a estatueta de melhor ator para Jeff Bridges por Crazy Heart.
A melhor atriz foi mesmo Sandra Bullock de The Blind Side que precisa demitir seu personal stylist, ele não acerta mesmo. Sandra também entregou para Betty White o prêmio pelo conjunto da obra. Vocês talvez lembrem dela em Supergatas, era a personagem bobinha da série, foi um momento bonito de uma pioneira da TV nos EUA.
Jane Lynch de Glee surgiu deslumbrante para homenagear a comédia. Sua série também foi a vencedora de melhor elenco em comédia e o melhor elenco em drama ficou para Mad Men. Mo'Nique foi a melhor atriz coadjuvante, por Precious.
Drew Barrymore, a melhor atriz de telefilme/minissérie é outra que também não sabe se vestir. Estava tão nervosa que quase não conseguia falar, ficou perdida no começo, mas é sempre simpática, a gente deixa passar.
Kevin Bacon foi redescoberto, ganhando o prêmio de melhor ator em telefilme/minissérie, enquanto sua esposa Kyra Sedgwick, vibrava da plateia e saía de mãos abanando por não ter perdido pela ex-ER Julianna Margulies o prêmio de melhor atriz em uma série dramática.
Michael C. Hall foi o melhor ator em drama por Dexter e o que me deixa chateado é que ele nunca ganhara nada antes, porém bastou anunciar que estava se tratando de um câncer que começou a levar tudo! Ele não merecia antes o prémio porquê? Boa forma de tratar o homem como coitadinho e ele não merece esse tipo de piedade.
Outras que brilharam na festa em lindos vestidos foram Anna Paquin, Hellen Mirren, Marion Cotillard, Penelope Cruz.
Como puderam ver o SAG seguiu praticamente a mesma premiação do Globo de Ouro com exceção de Tina Fey que tirou de Toni Collete o prémio de melhor atriz em comédia. Uma pena!

sábado, 23 de janeiro de 2010

Cinema, homens (aranha) e pipoca

Depois que Tobey Maguire deixou o uniforme do Homem-Aranha de lado que ator o pegaria? A revista Empire citou alguns dos prováveis escolhidos.

Vejamos:

1) Zac Efron, o arrasa corações das leitoras de Capricho, é segundo a revista "dinâmico e charmoso". Mas alguém dúvida disso?

2) Jim Sturgess, se você viu Across the Universe o conhece, já foi cotado para viver nosso herói aracnídeo nos palcos da Broadway.

3) Reeve Carney, desconhecido do grande público ainda poderá ser visto este ano no filme a Tempestade estrelado pela sempre magnifica Helen Mirren. É esperar para ver.

4) Anton Yelchin, de Star Trek tem mais ou menos a idade do personagem e é mais um rosto não muito conhecido.

5) Daniel Radcliffe, será que nosso Harry Potter vai aguentar outra franquia de sucesso? Depois de viver um herói bruxo, viver um herói como o Aranha não seria se repetir?
6) Robert Pattinson, outro queridinho das meninas da Capricho tem tudo para atrair as bobinhas, mas como ator ainda não disse a que veio. Convencerá como  o escalador de paredes preferido da rapaziada?

 7) Jake Gyllenhaal, ele já provou ser excelente ator e ao contrário dos demais tem uma indicaçao ao Oscar no currículo e filmes de ação de sucesso. Seria uma boa aposta?

8) Aaron Johnson, também não muito conhecido, interpretou um colegial querendo ser super-herói em Kick-Ass.

9) Joseph Gordon-Levitt, astro dos filmes independentes, virou o queridão da moçada depois de (500) Days of Summer que lhe rendeu uma indicação ao Globo de Ouro, não ganhou, mas agora ele já abraçou o cinemão, não sei se ainda tem aquele certo ar de Peter Parker ou estou enganado? Depois de Misterious Skin eu penso que não.

10) Josh Hutcherson, ao lado de Brendan Fraser ele fez Viagem ao Centro da Terra. O moço tem o biotipo e a mesma idade do personagem quando adolescente.


E voces? O que acham?

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Brainstorm

Pedi alguns amigos blogueiros que me ajudassem em uma nova série aqui no blog e eles gentilmente cederam seu tempo para isto. Não doeu nada e agora vamos ver o que eles amam e o que eles odeiam de um jeito rápido, certeiro e único ou como eu mesmo diria: Brainstorm! O primeiro deles foi o Jonatas dos blogs mix point e invencíveis!

Dez coisas que ele ama:
* músicas com letra interessante e inteligente
* piadas inteligentes
* esquilos
* tempo frio
* filé de frango
* pudim de leite condensado
* comunicação
*  tecnologia
* leite gelado
* celular

Dez coisas que ele odeia:
* piadas toscas
* pessoas com piadas toscas
* filmes de aventura
* sapo
* tempo quente
* tecnobrega
* mentira
* puxa-saco
* cigarro
* cheiro de talco (é alérgico)

Então? O que acharam?

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Ele não desenha!

O meu entrevistado hoje é um apaixonado por quadrinhos como eu, portanto o assunto não poderia ser outro e aqui ele nos revela quando começou esta paixão num cantinho escuro da sua cabeça.

Serginho Tavares:
Como começou essa sua paixão por quadrinhos?
Paulo Faysano:
Bom, vamos lá! Não era viciado em quadrinhos até os meus 16 anos, terceiro colegial. Um belo dia estava sentado na escadaria do colégio Objetivo lá na Av. Paulista esperando começar minha aula da tarde, mas faltava um tempão ainda para ela. Sem ter o que fazer, entrei na banca em frente ao colégio. Sei lá o por quê, mas bati o olho na parte de quadrinhos. Dois me chamaram a atenção pela capa: a graphic novel dos X-Men, God Love Man Kills (esqueci o título em português) e o primeiro número de uma minissérie do Batman, O Messias. Comprei as duas e voltei para a escada. Uma hora depois, lá estava eu novamente na banca comprando mais cinco ou seis revistas! Daí em diante, ferrou de vez e passei a comprar tudo lançado mensalmente aqui no Brasil e muita coisa que era lançada nos Estados Unidos também. Não bastando, virei de cabeça pra baixo todos os sebos de livros e quadrinhos que haviam na época para conseguir completar todas as coleções lançadas aqui. Não sei o motivo, mas não simpatizei muito pela DC Comics, editora responsável por Batman, Superman, Mulher Maravilha, Liga da Justiça... De cara me apaixonei pelos X-Men, e daí para pegar gosto pelo restante da Marvel Comics foi um pulo!
Serginho Tavares:
Hoje em dia os heróis viraram uma febre muito maior com filmes e séries inspirados em suas graphic novels. Como fã, você gosta deles?
Paulo Faysano:
Difícil você achar um fã de quadrinhos que curta 100% os filmes. Imagine você comprimir uma história que levou anos para rolar nas páginas dos quadrinhos em duas horas de filme. Muita coisa fica de fora, muita coisa é suprimida. Histórias complexas ficam fracas, algumas vezes até sem sentido ou explicação. De toda essa leva de filmes que tivemos, curti apenas alguns, como Homem de Ferro e os novos do Batman, com o Christian Bale. São os que mais se aproximam dos quadrinhos. Os filmes dos X-Men quase chegaram lá também, mas faltou amarrar um pouco melhor os roteiros dos três filmes.
Serginho Tavares:
Compreendo, mas e você desenha? Escreve?
Paulo Faysano:
Sou uma tragédia desenhando! Tenho uma frustração enorme por causa disso, mas escrevo sim. Sou redator e já enviei algumas histórias para a Marvel, mas por enquanto, nada. Existem muitos desenhistas brasileiros que fazem sucesso lá fora, premiados e tudo mais, mas não temos nenhum roteirista brazuca que tenha conquistado espaço nas principais editoras. Quem sabe não quebro o tabu com algum roteiro futuro?
Serginho Tavares:
Você escreveu para algum personagem específico ou uma criação sua?
Paulo Faysano:
Personagens da Marvel. Sua chance é maior com eles escrevendo sobre os personagens que eles tem. Fiz uns três roteiros para os X-Men e um para o Demolidor. Atualmente, desenvolvendo idéia para outro roteiro dos X-Men.
Serginho Tavares:
Então quem seria o desenhista de suas histórias se voce pudesse escolher?
Paulo Faysano:
Jim Lee, sem dúvida!
Serginho Tavares:
E quais heróis e revistas você prefere mais?
Paulo Faysano:
Leio tudo da Marvel, até mesmo por que uma história acaba interligando com outra, fazem parte do mesmo universo. Claro, os prediletos são os X-Men! Atualmente leio muito, mas muito mesmo. Compro tudo que a Panini lança da Marvel Comics. Além disso, compro muito quadrinho independente também, tem muita coisa boa rolando. E sou viciado também na linha adulta da DC Comics, a Vertigo, que publica os quadrinhos do Sandman, Fábulas, etc. E, além de comprar tudo que sai aqui, eu não aguento esperar a demora de um ano para sair aqui o que foi publicado lá então, baixo da net também! Sai nos Estados Unidos, no dia seguinte já tá no meu computador. E mesmo assim ainda compro aqui depois! Claro, por que se todos piratearem e pararem de comprar, eles param de lançar!
Serginho Tavares:
E seus desenhistas e roteiristas preferidos?
Paulo Faysano:
Curto os traços do Olivier Coipel, desenhista do Thor, e do brasileiro Mike Deodato Jr, que assume a fase dos Vingadores Sombrios que estreia aqui este mês. Dos antigos, amava o traço do Jim Lee e John Byrne. Roteiristas, eu curtia muito os roteiros do Chris Claremont. Durante quase vinte anos ele foi o roteirista dos X-Men. Se afastou e voltou recentemente, mas as histórias perderam um pouco o pique. Isso sem falar no Neil Gaiman, responsável pelo Sandman. Essa série foi uma das melhores já escritas. Duraram 75 edições, nenhuma que eu possa criticar uma vírgula sequer!
Serginho Tavares:
Você não gosta da DC, o que mudaria por lá então
Paulo Faysano:
Jogava tudo fora e começava de novo??? [risos] É engraçado, nunca simpatizei muito com os personagens dela! O Batman é o único que se salva. Faz um tempinho que não acompanho o que tem rolado por lá, preciso baixar alguns quadrinhos e me atualizar sobre a DC, quem sabe não mudo de idéia?
Serginho Tavares:
O que achou das uniões entre os personagens DC x Marvel?
Paulo Faysano:
São legais como curiosidade mesmo. São universos diferentes, a realidade de um é diferente do outro. Mas é legal de ver, os fãs sempre tem aquelas dúvidas, quem é mais poderoso? Superman ou o Hulk? Mulher Maravilha ou Tempestade? Wolverine ou Batman? São legais por isso, mas deixa cada universo no lugar onde está que está ótimo!
Serginho Tavares:
Voltando a Marvel, até que ponto Guerras Secretas e Civil War foram importantes para editora?
Paulo Faysano:
Guerras Secretas foi o primeiro grande cross over da editora. Juntou todos os personagens numa mega saga no final dos anos 80. Na minha opinião, esta saga trouxe apenas uma coisa de importante: o uniforme negro do Homem Aranha, que mais tarde se tornaria o Venom. Agora, Guerra Civil foi uma história completamente diferente. A saga começa com uma missão mal sucedida dos Novos Guerreiros, que acabam matando mais de seiscentas pessoas, inclusive boa parte do grupo. Fez o universo Marvel parar e se questionar até onde iam os direitos dos heróis em agir impunemente e esconder sua identidade. Essa saga dividiu o universo marvel, como heróis contra e a favor da Lei de Registro, que obrigaria todos os heróis a se registrarem e serem treinados em seus poderes. Tornou inimigos personagens que eram amigos há décadas. Reformulou todo o status quo dos personagens, uma grande mudança.
Serginho Tavares:
Se pudesse refazer, qual personagem escolheria para tal feito?
Paulo Faysano:
Boa pergunta!! Não sei te dizer em qual eu mexeria! Mas curtiria muito escrever alguma saga com os X-Men, claro. Conforme eles foram passando de um roteirista para outro, foram aparecendo mais e mais mutantes no universo Marvel, até praticamente virar uma superpopulação. Quando Grant Morrison passou pelos X-Men, dividiu as opiniões. Houve quem curtisse e quem detestasse por completo. Mas ele fez uma coisa que, na minha opinião, foi extremamente necessária: a dizimação da ilha de Genosha. A população mutante da Marvel reduziu muito nessa época, e depois, no final da saga Dinastia M, ela foi praticamente erradicada! Sobraram apenas 191 mutantes no mundo todo! Isso foi ótimo, por que mutantes estavam praticamente brotando em árvores. Serviu para colocar ordem no galinheiro novamente.
Serginho Tavares:
O que acha de Stan Lee, Steve Ditko, Frank Miller e Allan Moore?
Paulo Faysano:
Stan Lee praticamente criou todo o universo Marvel nos anos 60, ao lado do Steve Ditko. Claro que era um outro contexto, muito mais "infantil" do que hoje em dia. As histórias cresceram com o passar dos anos. O público de quadrinhos hoje em dia são adolescentes e adultos, não mais as crianças. Frank Miller é um roteirista do caralho. Já escreveu quadrinhos memoráveis, como Sin City ou Elektra Assassina. E Allan Moore não fica atrás também. A Liga Extraordinária é uma história excelente, que perdeu toda sua graça quando passada pro cinema. Aliás, esse foi um dos grandes motivos de Alan Moore não querer que seu nome fosse citado nos créditos de Watchmen no cinema. Ele sabia muito bem que, por melhor que a adaptação fosse, jamais chegaria aos pés dos quadrinhos. 
Serginho Tavares:
E quanto ao Novo Universo, gostava?
Paulo Faysano:
Nunca fui muito fã do Novo Universo, uma tentativa da Marvel de lançar uma linha paralela de quadrinhos. Os personagens não cativaram ninguém. Tanto que esse universo sumiu do mapa algum tempo depois. A Marvel foi muito mais bem sucedida quando lançou o universo Ultimate (Millenium aqui no Brasil). A idéia era apresentar o universo Marvel aos novos leitores. Todos os personagens e grupos estavam lá, mas com uma cara nova, histórias novas.
Serginho Tavares:
O que acha dos personagens da Image*? Gosta?
Paulo Faysano:
Já curti mais, quando a Image foi criada. Depois disso, caiu no mesmo problema, a rotatividade de roteiristas e desenhistas. Por melhor que seja o grupo ou personagem, um mal roteirista pode estragá-lo por completo! 
Serginho Tavares:
Os mutantes são seres que buscam um lugar no mundo, estão a margem da sociedade, são vítimas de preconceito. Esta analogia lembra também também os gays. Você percebe isso?
Paulo Faysano:
Claro que lembram! Os mutantes são personagens perseguidos e odiados por todos, não compreendidos. Não tem culpa do que são, eles nasceram assim. Os mutantes da Marvel sempre foram comparados com as minorias, sejam sexuais, religiosas ou raciais.Temos vários exemplos disto. Um dos primeiros da Marvel foi o Estrela Polar, que era da Tropa Alfa e atualmente é um X-Man. Dentro do grupo, ainda temos a Karma, a Roxie e o Anole. No universo Ultimate, a versão do Colossus também é gay assumida. Ah, já ia me esquecendo! Também tem o Rictor e o Shatterstar do X-Factor, uma relação nunca muito bem explicada... mas mesmo assim, rolou um beijo entre eles na última edição americana da revista.
Serginho Tavares:
Se pudesse ser um personagem de quadrinhos quem seria e com quem viveria uma história de amor? 
Paulo Faysano:
Essa é fácil! Seria o Estrela Polar! Acho um tesão aquele uniforme preto agarrado [risos] E se fosse pra ter um caso, seria com o Colossus ou o Gambit!
Serginho Tavares:
Vamos ao nosso Ultimate Fighting agora, Punho de ferro ou Mestre do kung fu?
Paulo Faysano:
Punho de Ferro! Nunca fui com a cara do Chang Li!
Serginho Tavares:
Wolverine ou Luke Cage?
Paulo Faysano:
Wolverine.
Serginho Tavares:
O Justiceiro ou o Surfista Prateado?
Paulo Faysano:
O Surfista é muito chato com todo o papo zen budista, fico com o Justiceiro!
Serginho Tavares:
Tropa Alfa ou os Vingadores?
Paulo Faysano:
Os Vingadores, claro!
Serginho Tavares:
Magneto ou Doutor Destino?
Paulo Faysano:
Jogo duro essa... cada um tem seu estilo, gosto de ambos... Mas fico com o Magneto.
Serginho Tavares:
Motoqueiro Fantasma ou Namor?
Paulo Faysano:
O motoqueiro da década de 90! O atual está muito chato. Comparando com os de atualmente, fico com o Namor.
Serginho Tavares:
Jean Grey ou Vampira?
Paulo Faysano:
Essa foi sacanagem! Me perguntar sobre minhas duas prediletas!! Ai, ai... Ok, Jean Grey da época da Dark Phoenix, e a Vampira da fase do Jim Lee! [risos]
Serginho Tavares:
Tocha humana ou Colossus?
Paulo Faysano:
Os dois são uma delícia, mas fico com o Colossus
Serginho Tavares:
Tempestade ou Elektra?
Paulo Faysano:
Tempestade, sem dúvida!
Serginho Tavares:
Demolidor ou Homem Aranha?
Paulo Faysano:
 Homem Aranha!
Serginho Tavares:
Ainda existe muito daquele Paulo de 16 anos no Paulo que conhecemos hoje?
Paulo Faysano:
Claro que sim!! Posso ter 37, mas acho que nunca vou crescer...Síndrome de Peter Pan! [risos]
Serginho Tavares
E o que diria para todos que leem o seu blog?
Paulo Faysano:
Ui! Uma mensagem final para os leitores?? Continuem lendo sempre, claro! Seja meu blog, seja quadrinhos, não pare nunca! E se aparecer algum pentelho para te encher e falar que quadrinhos é coisa de criança, nem perca muito seu tempo... ou melhor, perca sim! Levante seu dedo do meio e mostre educadamente para ele!

*Image é uma editora fundada por por sete ilustradores e roteiristas saídos da Marvel Comics e um dos seus maiores sucessos foi o Spawn.

sábado, 9 de janeiro de 2010

A entrevista

A primeira semana do ano terminou e para quem quiser saber mais um pouco sobre mim eis aqui uma entrevista que o Jonatas realizou comigo no fim do ano passado. Espero que gostem, beijos e me liguem!

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

As não loucuras do rei George

Segundo a wikipédia George Clooney é filho do apresentador da tv americana Nick Clooney, mas quis se distanciar da carreira do pai quando o primo, o ator Miguel Ferrer lhe conseguiu um papel em um filme. Sorte dele, sorte nossa. Lembro de Clooney em uma série chamada Sisters, uma verdadeira telenovela em forma de seriado onde Clooney era o policial bonzinho que se apaixonava pela sister rebelde, mais clichê impossível, mas tudo bem, tempos depois ele era um dos protagonistas de E.R. e virara astro. No auge do sucesso deixou o programa e partiu para o cinema onde mais uma vez se consagrou. Exemplo de grande profissional que sabe bem escolher bem o roteiro dos filmes que interpreta tanto os de forte apelo comercial como Onze homens e um segredo como os de temática social como Siryana que lhe rendeu o Oscar de melhor ator coadjuvante. George também sabe escolher bem seus amigos e gosta de trabalhar com eles. Julia Roberts, Brad Pitt, Steven Soderbegh são alguns deles. Incansável não se conteve apenas em atuar e resolveu também escrever, dirigir e produzir seus filmes. Acabou por fazer tão bem que chegou a ser indicado ao Oscar por isso.
Enfim, George é mesmo um homem que gostaríamos de ser, ou ter, ou os dois.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Tudo novo de novo!

... e o ano terminou com Boris 'boca mole' Casoy ofendendo os garis e começa com ele pedindo desculpas. Foda-se! BBB vem ai, foda-se,  Dalva e Herivelto também, assim como Lost e na sequencia 24 horas nas madrugadas da Globo foda-se, melhor saber que na Sky existem outras opções como a nova temporada de American Idol e The united states of Tara que estreiam em breve. Veremos. Eu continuo firme e forte em Project Runway, Top Design, o que é o Pretson  Lee meu deus, Glee, o que é aquele elenco meu deus e de qualquer forma o ano começa sempre bem com novas perspectivas no ar, mais um ano de muito amor para mim, entretanto na terra dos papagaios o ano  começa com tragédias anunciadas, onde vamos parar, e de resto só começa mesmo depois do carnaval e tudo que vamos viver daqui até lá não deveria ser encarado como uma realidade alternativa em universo paralelo?  Anyway, o ano está começando, pensamento positivo e eu quero todo mundo feliz de qualquer maneira!

E eu não ganhei na mega sena!
Humpft!

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

O sonho

Matar o sonho é matarmo-nos. É mutilar a nossa alma. O sonho é o que temos de realmente nosso, de impenetravelmente e inexpugnavelmente nosso.

Fernando Pessoa