terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Do céu, sem asas - Capítulo 02

 Mais um!
(versão editada para melhor compreensão)

- Está bem. Podem contar comigo! O que devo fazer?
Wander fingiu olhar pela janela para desviar do olhar de Faysano que parecia entrar por dentro da pessoa e desnudá-la revelando seus segredos. Aquilo não agradava o pequeno e forte mutante. Ele precisava continuar com o plano e a presença de Faysano era crucial. Fitou um falcão que parecia ter estado o tempo todo ali, ao longe, observando tudo. Delicadamente a ave posa no parapeito da janela. Braccini deixa escapar um breve sorriso que entendido pela ave, voa até ele e pousa em seu braço.
- E esse quem é? Disse Faysano com certo ar de desdém.
- Deixarei que ele mesmo se apresente.
A ave dá um pequeno rasante no cômodo e se transmuta em um jovem de feições belas: corpo forte com músculos bem torneados, pele bronzeada e barba por fazer. A visão do jovem nu em sua frente deixou Faysano desconcertado e isso era perceptível. Gostava do que via, mas preferiu mudar o semblante para que não percebessem. Entretanto não fora suficiente. Braccini e Wand trocaram olhares furtivos.
- Eu sou o Autor.
- Eu conheço você.
- Sim?
- Sim, posso ver que sim. Você está a me vigiar durante um bom tempo. Estou certo?
- Se dizes...
- Porque não se revelou antes?
- Porque tu não me revelaste antes com teus poderes?
- Costumas responder as perguntas assim?
- Não absorveste minhas habilidades mutantes, mas absorves meu modo de falar?
- Acontece sem querer algumas vezes.
- E porque com tanto poder, não me fizeste aparecer antes?
- Não tive a intenção de revelar-te.
- Agora posso perceber! Autor dera um grito de surpresa. Parecia ter descoberto a pólvora!
- O que?
- Tens acrofobia! É por isso!
- Que bobagem!
- Estou certo não é?
- A única certeza que tenho aqui, é que você sabe fugir de uma conversa muito bem!
Eles riem e são interrompidos por Braccini.
- Estão perdendo muito tempo. Já sabemos do que são capazes. Faysano, mais uma vez eu peço, melhor, imploro que nos ajude nesta missão. Depois seguiremos em frente.
- Eu já disse que ajudarei não é? Mas eu não visto uniforme.
- Para onde você vai agora, nem roupa precisará!
Súbito, Braccini teletransporta o poderoso mutante para longe dali. O local era conhecido. Os rostos, alguns bem familiares. Já estivera ali várias vezes, chegara até ser expulso algumas por beber demais ou brigar com clientes. A sauna aquele dia estava um bocado cheia e Faysano percebeu novos garotos trabalhando. Não entendia o que deveria estar fazendo ali, mas não se importou com isso. Chamava atenção quando passava. Alguns acenavam, outros o chamavam, alguns tentavam tocar-lhe. Tentativas em vão. Continuou andando até que um sorriso matreiro, vindo do bar, chamou-lhe tanto a atenção que o seguiu. "Mais um!", pensara. Mas não era apenas mais um!

7 comentários:

FOXX disse...

pois é... gente pelada, saunas!
=D

Wans disse...

Eu vou ler tudo de uma vez. Acho melhor. odeio próximos capítulos.

bjão, queridão.

Paulo Braccini disse...

gente eu ia comentar sério mas depois do Fox e do Wans isto torna-se impossível ... kkkkkkkkkkkk ... ASLOKAS ...

bjux

;-)

Guará Matos disse...

Depois de tudo o Braccini teletransportando, vixe.
Aliás, uai, sô!
Bjs.

CAIN SODOM disse...

Que poder útil o Bratz ganhou! Eu quero o Jake Gyllenhaal aqui em casa. Agora, quem tem telepatia (tipo controle mental)?

melo disse...

olha eu quero dois do que vocês estão tomando ae!

Le Voyeur disse...

hmmmm
hmmmm
hmmmm

bjs do voy