segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

E tudo começou assim!

Do céu, sem asas - Capítulo 01
O cigarro do demo

(versão editada para melhor compreensão)

Cansado, despido e deitado sobre a cama com a luz do sol a lhe incomodar Faysano tentava continuar deitado. Queria dormir, a ressaca da noite anterior lhe causara uma tremenda dor de cabeça. Não lembrava da última vez que tivera uma. Não demorou muito para que passasse, mas ele sabia que tinha realmente exagerado ao ponto de sentir-se daquela forma. Parecia estranho, mas esboçou um pequeno sorriso. Sentir-se como um ser humano era algo indescritível mesmo que por alguns segundos. Seus pensamentos o levaram para bem longe, mas não o suficiente para voltar a dormir. Resolveu levantar e molhar o rosto. Ao se por de pé, pensou sentir a presença de alguém ali no pequeno cômodo. Ainda deveria ser efeito do “cigarro do demo” que não passara. Caminhou desajeitadamente até o cubículo onde ficara o banheiro. Abriu a torneira. A água que saia era pouca, mas o suficiente. Levou as mãos ao rosto e ao ver-se no pequeno espelho em cima da pia pensara consigo que por mais que vivesse ainda veria muitas coisas. As rugas ainda não existiam no rosto, mas ele sabia onde cada uma deveria estar. Examinava seu corpo cuidadosamente e gostava do que via. Com um sorriso malicioso piscou para si mesmo.  Agora, sentia mais forte ainda a presença de alguém o observando. Sem nenhum pudor resolveu brincar com a possibilidade.
Subitamente, teletransporta-se para o outro cômodo.
- Quem é você? Seja quem for, apareça!
A imagem de Braccini, um homem alto e sisudo projeta-se à sua frente de imediato.
- Então, quem é você?
- Ora, ora, ora. Você é muito mais poderoso do que eu imaginei! Conseguiu facilmente absorver meu poder mutante... O que mais pode fazer?
Com o indicador apontado para seu oponente, ele estabelece contato. É o suficiente para erguer seu interlocutor e prendê-lo no teto.
- Está melhor agora? Posso fazer você virar poeira se não me disser quem é e o que quer de mim!
Naquele instante, mãos fortes e pesadas o seguram por trás. O homem preso ao teto consegue então escapar e desce como um gato furtivo.
- Pode solta-lo Wander. Ele não fará mal nenhum!
- Mas ele pode matá-lo!
- Ele não fará isso...
- Me larga ou eu mato os dois num piscar de olhos! Sem conseguir contato visual com seu agressor, Faysano apenas blefava.
- Você não mata ninguém meu caro Faysano. Eu conheço sua natureza!
- Como sabe meu nome? Ficara atônito. Não costumava usar seu nome mutante e apenas a pessoa que lhe dera o conhecia.
- Eu ando lhe observando e perdoe-me minha falta de educação. Eu sou Braccini e quem fortemente lhe segura é meu companheiro Wander. Viemos ter com você porque é a única pessoa que poderá nos ajudar!
- Ajudar? Como assim?
As mãos fortes e pesadas de Wander soltam Faysano que enfim, pode ver a sua frente um rapaz baixo e franzino. Se não conhecesse as habilidades mutantes teria estranhado como aquele moço poderia ter- tanta força.
- Venha conosco e eu lhe contarei tudo.
- Eu não vou a lugar nenhum. Pode começar contando agora.
Braccini olha para o namorado que aquiesce.
- Somos um grupo de mutantes que se protegem ao mesmo tempo em que ajudamos o governo de muitas nações com nossos poderes. Um dos nossos desapareceu misteriosamente no Golfo do México. Agora o governo americano nos culpa pelo derramamento de petróleo naquela região. Precisamos encontrá-lo e descobrir o verdadeiro responsável antes que seja tarde demais!
- E o que eu tenho com isso?
- Precisamos de sua ajuda, interrompe Wander.
- E o que eu tenho com isso? Se vocês são uma equipe, para que precisam de mim?
- Se não precisássemos de você não estaríamos aqui pedindo! Respondi um irritado Wander.
- Calma, abranda Braccini, talvez eu não esteja sendo muito claro. Há muito tempo o grupo das nações mais ricas do mundo incluindo a Rússia pediu a minha ajuda no combate ao terrorismo. Em troca estes mesmos paises nos ajudariam no combate a discriminação que sofremos ao longo de todos estes anos.
- Parece que não andou dando muito certo não é? Ironiza Faysano.
- Sim, de fato. Continuamos sendo perseguidos e molestados e até servindo de cobaia para testes em laboratórios. Um grande amigo, o Professor Lobo Cinzento descobriu em suas pesquisas um dado interessante. O ser humano teria nascido com o gene mutante e apenas alguns manifestariam isso. Esta pesquisa não pode ser publicada e meu amigo foi considerada persona non grata nos meios acadêmicos. Ele pediu minha ajuda, mas desapareceu dias atrás. Logo depois veio o problema no Golfo do México. Acredito, melhor, acreditamos que as duas coisas estão relacionadas.
- E vocês querem que eu resolva isto, certo?
- Queremos que nos ajude! Você é um dos mutantes mais poderosos que eu conheci e talvez nem conheça a dimensão total de seu poder. Se cair em mãos erradas poderia provocar o fim do planeta, mas posso sentir bondade em seu coração e por isso viemos pedir sua ajuda.
Faysano mira os dois mutantes. Eles aparentemente são completamente diferentes e isto se evidencia mais ainda quando estão um ao lado do outro, mas ao mesmo tempo há entre eles uma sintonia que os deixa completamente similares. Wander segura a mão de Braccini, seus olhos marejados deixam cair uma lágrima. Ela desce pelo seu rosto e cai no chão. Apenas a visão de Faysano pode ver todo o percurso da pequena gota; sua audição seria capaz de ouvir o barulho que ela fez ao cair no assoalho velho do cômodo em que estão. Talvez em outros momentos, o poderoso mutante tivesse dito não, mas percebeu que não desistiriam dele tão fácil e mesmo sabendo que havia algo muito maior que Braccini escondia resolveu seguir seu coração. Talvez as respostas que ele andava a procura pudessem estar ali, então, no que ele sairia perdendo? Já havia ajudado tanta gente mesmo...

15 comentários:

FOXX disse...

gente, adorei, qro ver qm mais vai aparecer. hauahauahauhaua
se vc tivesse me contado, eu teria tentado desenhar os personagens, mas vou tentar assim mesmo
hauahauhauahauahau

Paulo Braccini disse...

Confesso! tudo ficou mais claro ... rs ... e muito bom ... se o Fox ilustrar então vai dar até um livro ... rs

bjão querido

;-)

Wans disse...

Vou salvar tudo e ler de uma vez para melhor compreensão.

bj

Edu disse...

Desenha, Foxx! Vai ficar supimpa!!

Cocada.g disse...

Caramba que manêro! Da até pra vizualizar o Braccini como o doutor Charles Xavier e o lobo como o Fera... Tambem tou ansioso pra ver quem mais vai aparecer,,, ah e quero ver quem serão os vilões dessa estória hehehe!
Show de bola Serginho!

Desenha, Foxx! [2]

Abraços@ boa semana pra vc!

Reginaldo disse...

Sugestão? interessante disponibilizar um arquivo com a história completa para ser baixado.

Boa semana pra tí. bj

Júlio César Vanelis disse...

kkkkkk
Muito bom, adorei!!! kkk
Espero o próximo capitulo... xD

Beijo Serginho... Até lá

António Rosa disse...

Muito bom, Serginho! Fiquei espantado com os mutantes. Tenho acompanhado e agora entendi os entrelinhados.

Parabéns ao autor. Parabéns aos personagens.

:))

Rafael Cardoso disse...

Terminou de forma ótima: "no que ele sairia perdendo? Já havia ajudado tanta gente mesmo..."

Acho que a sugestão do Reginaldo é uma boa.

Bjo

Eric Felipe disse...

Adorei! Muito boa a idéia. Estou ansioso para os próximos capítulos!
Parabéns, Serginho!
Beijoo

HAZEL disse...

Meu querido, desculpa não comentar o post, mas venho partilhar algo que te vai agradar. Olha só esta beleza:

http://www.google.pt/images?hl=pt-pt&q=tarkan&rlz=1R2GGLL_pt-PTPT330&wrapid=tlif12946994854841&um=1&ie=UTF-8&source=og&sa=N&tab=wi&biw=1436&bih=678

Chama-se Tarkan (bem que podia ser Tarzan) e é um músico turco.
Fala sério: nunca pensei que houvesse turcos assim bonitos!
:)
Abraço!

CAIN SODOM disse...

Pois é, sei como é isso de ter outro blog e receber poucas visitas. Mas enfim, não estou com tempo sobrando (ou com a criatividade gritando), então, assim será, por enquanto - parado. Ultra cool, resta-me ver o que tu irá me aprontar... huhuhu MEDO!

FOXX disse...

desenhos sendo feitos pessoal...

melo disse...

quero HQ AGORA!!!!!

Lobo disse...

Gente, jura que eu estava ai no meio? ahauahauahauhau