sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Marcos Freitas (Passageiro do Mundo)


Dando prosseguimento a nossa série de entrevistas, hoje tenho a honra de ter aqui no JeD um jovem politizado de ideais fortes e que acredita plenamente neles mesmo vivendo em mundo caótico porque não se deixa abater, seguindo sua luta contra o preconceito e a intolerância. Senhoras e senhores, Marcos Freitas!

Olá Marcos, é um prazer entrevistá-lo. Conte um pouco, como começou o seu blog?

Meu blog já tem mais de 10 anos de história e começou de uma forma muito inusitada. Num verão, há mais de 10 anos, fui com amigos para a praia, nessa viagem conheci um cara chamado Sérgio, ele era ex de um amigo que também estava viajando com o meu grupo de amigos. Gostei do Sérgio, ele gostou de mim e ficamos, foi um amor de verão que me arrebatou. Ele me deu o seu e-mail e assim que cheguei em São Paulo mandei uma mensagem, mas o e-mail estava errado ou eu digitei errado e foi para a caixa de entrada de outro Sérgio, que tinha um blog no LiveJournal, um provedor francês. Na época pouco se falavam de blogs, comecei a ler e gostar e foi esse amigo, que conheci através de um e-mail que me passaram errado que me motivou a fazer um blog. O meu antigo blog no LiveJournal foi deletado, depois dele passei pelo provedor Blig e hoje estou no Blogspot.

Você tem muitos seguidores, consegue interagir com eles?

Eu me surpreendo com a quantidade de pessoas que se interessam pelo conteúdo que disponibilizo. Hoje tenho mais de 340 seguidores e quase 200 e-mails cadastrados no FeedBurner. Muitos me seguem, recebem os meus feeds e me visitam anonimamente, com esses não consigo interagir, mas os que me mandam e-mails e fazem comentários, eu interajo. Hoje tenho grandes amigos que conquistei através do blog. Recentemente uma leitora me deixou emocionado, ela é de São Vicente, lê o meu blog há anos e sempre me chama para ir a praia para tomar um açaí ou um suco no quiosque da Cris. Semana passada, ela me mandou um e-mail dizendo que na casa dela tem um quarto de hospede e esse quarto está de portas abertas para mim. Também tenho um amigo que conheci depois da recepção do príncipe indiano no Brasil, ele foi dançarino na festa e depois da festa buscou notícias sobre o evento e encontrou o meu blog, nos tornamos amigos desde então. Meu blog tornou-se um grande canal na conquista de novas amizades.

Você fala de sua vida pessoal, mesclando com assuntos politicos. Sempre se interessou por política? Quado surgiu este interesse? Pretende concorrer a um cargo público?

Quando eu era criança, meu sonho ser vereador, governador e presidente. Pela minha idade, acompanhava bem a política, quando tivemos o processo do Impeachment do Collor, eu tinha plena consciência do que estava acontecendo e acompanhava os fatos. Hoje, não tenho pretensão alguma de me candidatar a algum cargo eletivo, mas tenho vontade de trabalhar com política, nos bastidores, assessorando aqueles que fazem acontecer. Comecei a cursar Sociologia e Política por conta dessa minha motivação, estou adorando o curso.

Você deixou claro sua posição a favor do PSDB. O que fez seguir esta legenda e o que acha do governo em questão? Acredita que o próximo goverrno será mesmo uma continuidade?

Sempre me simpatizei muito com o PSDB, até pelo fato de morar num Estado governado por políticos dessa legenda há mais de 20 anos. Sou do PSDB, membro da Diversidade Tucana e blogueiro do grupo (www.diversidadetucana.com.br). Em São Paulo, temos uma administração séria, comprometida com política públicas inclinadas aos direitos humanos e que avança a cada dia nas questões dos LGBTs. No municipio de São Paulo nasceu o primeiro órgão público voltado para políticas públicas para os cidadãos LGBTs, a Cads e no Estado de São Paulo também temos uma coordenadoria para diversidade sexual na Secretária da Justiça. Pela experiência assertiva que vejo em São Paulo e por acreditar no PSDB, me posicionei a favor do candidato José Serra. Quanto a Dilma, acredito que ela é uma incógnita, não tem experiência administrativa e está aliada com grupos muito conservadores. Eu torço para que ela faça um bom governo, de inclusão e que acerte alguns erros cometidos no governo Lula.

Você é um otimista? Acredita no Brasil?

Me vejo mais como realista do que como um otimista. No meu contexto social, o Brasil é um excelente país para se viver, mas não vou ser hipócrita e tenho que assumir que o Brasil tem muitas deficiências que precisam ser corrigidas, se nivelarmos pela média, o Brasil é um país que deixa muito a desejar na saúde, educação, moradia, saneamento básico e tantos outros serviços prioritários. Com os programas sociais, criados pela ex-primeira dama Ruth Cardoso e que depois foram unificados com o nome de Bolsa Família, o Brasil teve grandes avanços e acredito que estamos no caminho certo. Estabilizamos a economia, com a criação do Plano Real e o Lula, apesar de fazer fortes oposições ao governo FHC, deu continuidade ao seu modelo.

Você deixa claro no blog sua orientação sexual, em sua vida real também? Qual a reação de sua familia e amigos quando souberam?

Estou chegando aos 30 anos, depois de uma certa idade a família não passa a te encarar somente com filho e sim como um amigo, foi dessa forma que aconteceu comigo. Quando eu sai do armário, foi um choque para todos, pois minha família é super tradicional e encara a homossexualidade como procedência maligna para destruir nossas vidas e nos afastar dos caminhos de Deus. Hoje ninguém toca mais nesse assunto, tenho uma família que me apoia, sabe da minha orientação sexual, conhece os meus amigos e conviveu com o meu ex-namorado, na qual me relacionei por mais de 7 anos. Quando terminei esse relacionamento, a minha mãe foi a pessoa que me deu mais força, dizendo que tudo se resolveria e que se não nos entendêssemos mais, eu encontraria outra pessoa, que me merecesse.

Recentemente temos vistos noticiar ataques a muitos homossexuais, mas eles sempre existiram, porque agora ganharam as principais páginas dos jornais e um destaque maior na TV?

O caso mais emblemático foi o do estudante de jornalismo Luís Alberto, que foi agredido com uma lâmpada e revidou o ataque. Já tivemos ataque bem mais violentos e que não ganharam repercussão alguma na mídia, vivemos numa sociedade que é muito visual e dessa vez não tínhamos apenas uma história, tínhamos também as imagens da câmara de segurança de um prédio que registrou os ataques. Há mais de 10 anos, Edson Néris, um adestrador de cães foi brutalmente assassinado por skinreads na Praça da República, muitos não conhecem esse caso, outros se esqueceram, ao contrário dos ataques da Av. Paulista, não tivemos imagens do ataque brutal que Edson Néris sofreu. Também temos que analisar o contexto mundial, nos EUA uma campanha anti-bullying foi desencadeada e repercutiu o Mundo inteiro, isso também gerou consciência social.

O fato de muitas celebridades no exterior estarem se assumindo, ajuda em algo? Como vê isso?

Acredito que fomenta os dois lados, tanto para a conscientização, quanto para o preconceito. Já ouvi muitos discursos de fundamentalistas pautando que os gays querem dominar o Mundo, que querem criar um ditadura gay, impondo o seu estilo de vida e a homossexualidade para todos. Quando uma celebridade assume a sua sexualidade, esse discurso fica mais forte e eles encaram como um passo a frente para a instauração da tal ditadura gay que eles tanto temem. É importante que celebridades e anônimos assumam sua sexualidade, no meu caso, eu só ganhei. Hoje tenho uma família maravilhosa, que apoia a minha militância LGBT e que ao contrário de muitas famílias de gays, que querem mais ver os seus filhos fora de casa, a minha família me prende em casa, quer que eu fique com eles até ter uma vida sentimental definida.

Como lida com a homofobia?

A homofobia é algo inadmissível, recentemente foi vitima de homofobia na empresa do meu pai e não tolerei, exigi que a funcionária em questão fosse demitida e dessa forma aconteceu. Temos que nos espelhar na coragem no jovem Luís Alberto, que foi agredido na Av. Paulista com uma lâmpada, temos que revidar sempre, não podemos deixar que a homofobia domine ainda mais a nossa sociedade. Se gay não sabe brigar, vai pra cima assim mesmo, puxe os cabelos do homofóbico, chute o saco, dê pesada no joelho, meta os dedos nos olhos, mas se defendam. Penso da seguinte forma: se um grupo de homofóbico me cercar na rua para me bater, estarei ferrado mesmo, então tenho mais é que brigar e não apanhar de forma passiva, me entregando a sorte. Temos que combater a homofobia de todas as formas e se necessário for, temos que usar a força física para isso.

Quais políticas você acha que devem ser usadas para combater a homofobia?

Temos que seguir os passos do movimento negro, hoje é uma vergonha uma pessoa assumir que tem preconceito racial, se uma pessoa na rua olha para um negro e chama-ló de “crioulo”, ele não está comprando briga apenas com os negros, está comprando uma briga com toda a sociedade. O Movimento LGBT é muito desarticulado, o partidarismo nos divide e a nossa luta perde visibilidade, a primeira ação que devemos tomar é pararmos de levantar as bandeiras partidárias e levantarmos apenas a bandeiro no movimento LGBT. Os protestos que aconteceram em São Paulo foi muito positivo, encontrei militantes de vários partidos, unidos por uma causa maior, que é a causa gay. Semana passada participei de uma reunião com o intuito de criar uma Frente Contra a Homofobia, ainda não temos o nome dessa frente, é um grupo de reunirá militantes de vários partidos, empresários, políticos e membros da sociedade civil. Acredito que estamos aprendendo, temos que seguir em frente, fazer menos politicagem e mais ações de fato, só assim iremos vencer a homofobia. Como vamos aprovar a PLC 122, se o projeto divide até o movimento LGBT? Concordando com o projeto ou não, temos que pensar que a lei aprovada será um ganho para a comunidade, que não tem legislação alguma no âmbito federal que criminaliza a homofobia.

Ter um blog ajuda a diminuir o preconceito? Acha que o Passageiro do Mundo tem atingido seu objetivo?

Nessa reunião que participei, para a criação da Frente Contra a Homofobia, eu defendi a ideia que devemos vencer o preconceito pelo cansaço e uma das ideias que apresentei foi a criação de um grupo de blogueiros militantes, com o compromisso de realizarmos postagens coletivas e sempre focarmos na homofobia e no estrago que ela trás para a sociedade. Eu acredito que o meu blog contribui bastante na luta contra a homofobia, apoio todos os movimentos que se comprometam com a luta. A intenção do grupo de Blogueiros Militantes é justamente vencer a sociedade pelo cansaço, até chegarmos ao ponto de ser vergonhoso ter homofobia e assim como acontece com o preconceito racial, que sabemos que existe e muitas pessoas se calam, pois hoje é uma vergonha discriminar alguém por conta de sua cor.

Dos blogues que visita, quais destacaria?

Temos muitos blogs bons na internet, vários visito com frequência. Dos que mais visito, destaco o "Canudos Coloridos", do Guy Franco, um verdadeiro achado na internet. Também sigo o Guy Franco no Twitter e o vejo como o melhor twitteiro gay do momento. O blog Canudos Coloridos acompanha o mesmo senso de humor que o autor tem no twitter. Também gosto muito do blog “O Close” do SAM, a nossa trava do mundo blogueiro, sempre com um senso de humor impecável, abordando situações do seu cotidiano. Outro blog que me chama muito a atenção é o do Celso Dossi, que não tem conteúdo pessoal, mas ele sempre posta algo que o motiva, vídeos e imagens engraçadas. Canudos Coloridos, o blog “O Close” do SAM e o Blog do Celso Dossi, são três blogs que merecem ser vistos.

Você sempre dá dicas culturais, quais livros, revistas, peças de teatro ou filmes indicaria que possuem temática gay e prestam um bom serviço educando?

Dicas culturais com temática LGBT estou um pouco por fora, acredito que não temos nada em cartaz. O filme “Como Esquecer”, que mexeu muito comigo, até pelo fato de ter passado pelo mesmo processo em 2010 é uma das minhas indicações, porém já saiu dos cinemas, acredito que está nas locadoras. Quanto a livros, temos ótimas publicações voltadas para o público LGBT, o melhor que li até hoje foi o “Da Vida dos Pássaros” de Alexandre Ribondi, uma história linda, envolvente e empolgante, vale a leitura. Também temos o livro “Era uma vez um casal diferente” da Lúcia Facco, que trata a questão da temática homossexual na educação literária infanto-juvenil, vale a leitura até para fazermos um contraponto as polêmicas do Deputado Jair Bolsonaro, que defende que gays tem que apanharem para mudar o comportamento. O deputado também é contra a inclusão da temática LGBT no calendário do MEC. Outro livro que vale a leitura é “A TV no Armário”, do meu amigo Irineu Ramos, assim como Irineu, eu também sou apaixonado por Michel Foucault e nesse livro encontramos as teorias de Foucault para a sustentação da tese de Irineu.

Se pudesse voltar atrás, o que mudaria?

Acredito muito naquela questão do efeito borboleta, acredito que todo o que acontece em nossas vidas é com o intuído de nos tornarmos melhores e nos prepararmos para o que o futuro nos reserva. Não sei se mudaria alguma coisas, acredito que se tivesse na oportunidade, não mudaria nada, apenas lamento por ter reatado o meu relacionamento com o Douglas. Éramos amigos, cumplices, estava tudo tão perfeito e resolvemos voltar, agora terminamos e nem amigos somos. Essa decepção amorosa pode contribuir muito para os meus próximos relacionamentos e tudo o que passei foi necessário, apenas lamento por hoje não sermos mais amigos.

O que gostaria de dizer para as pessoas que leem o seu blog?

Muito obrigado… É muito gratificante saber que tantas pessoas se interessam pelo conteúdo do meu blog, quando não atualizo, fico com a consciência pesada, pois sei que tenho leitores que acessam o meu blog diariamente, fico muito feliz em saber que várias pessoas despendem de alguns minutinhos do seu dia para saber quais são as minha motivações. Muito obrigado mesmo.

Nós, seus leitores, que agradecemos querido. Obrigado.

15 comentários:

Diogo Didier disse...

Muito boa entrevista! Realmente, o blog dele é muito bom...volta e meia eu passo por lá e dou uma olhadinha nas suas postagens.

Cocada.g disse...

Ola Serginho! mais uma entrevista sensassional, eu particularmente gosto muito de conhecer as pessoas por tras dos blogs e vc consegue proporcionar isso pra nós da blogosfera!
Não conheço o blog no Marcos mas com certeza vou passar a frequentar. Gostei muito da força militante nele e concordo sobre o uso do blog como ferramenta de denuncia contra homofobia.

grande abraço@ amigo!
bom final de semana pra vc!

Rafael Cardoso disse...

Boa oportunidade pra conhecer o blog dele. Bjo

Ps.: te indiquei num desses joguinhos, sabe? Pois é, me rendi ao primeiro deles, gostei porque provoca respostas interessantes. Se quiser tá lá no meu blog, te indiquei pq acho que as suas ficarão boas. Fique a vontade.

HSLO disse...

Ótima entrevista...sempre passo no blog dele.

abraços
de luz e paz

Guará Matos disse...

Parabéns ao Marcos e a você por mais essa bela entrevista.
bjs.

Paulo Braccini disse...

O Marcos é o blogueiro mais articulado e o mais consciente e ativista que eu frequento em Bolgsville ... acompanho o rapaz tb no Face e, algumas vezes já trocamos e-mails ... Conhecê-lo mais em profundidade só fez crescer a minha admiração por ele ... Parabéns ao Serginho e ao Marcos por mais esta partilha q, sem dúvida, enriquece a Blogosfera ...

bjão aos dois ...

ps: saudades? pior q tem mesmo ... la la ri la ra!!! rs

;-)

São disse...

faço minhas as palavras de nosso caro Guará.

Beijinhos.

António Rosa disse...

Absolutamente impecável, ideias modernas e militantes na cidadania aberta. Muito boa entrevista. E, Serginho, você está ótimo. Abraço.

FOXX disse...

concordo com o Marcos, o Guy é o melhor blogayro e twitteiro q temos hoje "no ar"

Guy Franco disse...

Ah, Marcos me citou! Que bonito! Muito obrigado! Fico animado e inspirado, não imagina o quanto! =D

Foxx, você também é uma coisa viu. =D

CAIN SODOM disse...

Parabéns pela entrevista. Nossa como tem gente no mundo, sabe. Fica difícil conhecer todos... Como consegue?

Le Voyeur disse...

gosto dele...
^^

bjs do voy

Edilson Cravo disse...

Querido Serginho:

Parabéns mais uma vez por uma entrevista com um cara tão bacana e politizado qto o Marcos. Conheci o blog dele há mais ou menos 1 ano atrás e gostei demais da forma direta e franca como se expressa. Show de bola. Abraços a ti e ao Marcos.

Marcos Freitas disse...

Olá Serginho, muito obrigado pela entrevista. Adorei.

DPNN disse...

é a primeira vez que vejo um tucano assumido...bom saber que eles existem neste mundo tão petista. Brincadeiras à parte, bela entrevista. Sempre é bom ler alguém que tem algo a dizer.