sábado, 26 de fevereiro de 2011

Rumo ao Oscar® - Melhor Ator

Ator Coadjuvante:

Christian Bale, O Vencedor, o menino do Império do Sol cresceu, e se ele já era bom ficou melhor ainda. É o grande favorito já que ganhou quase tudo a que foi indicado. Está quase irreconhecível no papel de Dicky Eklund, um ex lutador que passa a gerir a carreira de seu irmão mais novo. 

John Hawkes, Inverno da Alma, o desconhecido é o azarão da categoria, ele vive Teardrop o tio ameaçador de uma jovem garota que está procurando desesperadamente por seu pai desaparecido.
 
Jeremy Renner, Atração Perigosa, depois de ter estrelado Guerra ao Terror virou o novo queridinho de Hollywood, esta indicação é mais um reconhecimento disto. Aqui ele é James Coughlin, um assaltante de bancos perigosamente desequilibrado.

Mark Ruffalo, Minhas Mães e Meu Pai, enfim o bom moço preferido da América recebe sua primeira indicação no papel de Paul, o pai biológico de dois adolescentes que foram criados por mães lésbicas.

Geoffrey Rush, O Discurso do Rei, a maravilhosa  parceria com Colin Firth lhe valeu esta indicação, na verdade merecia concorrer ao prêmio de melhor ator principal como Lionel Logue, o fonoaudiólogo excêntrico que concorda em ajudar o Rei da Inglaterra a superar sua gagueira e juntos constroem uma sólida amizade.


Ausência: Andrew Garfield por A Rede Social.

Ator Principal:

Javier Bardem, Biutiful, o espanhol já venceu o Oscar por Onde os Fracos Não tem Vez e  este ano a indicação já é um prêmio e mais uma prova de seu grande talento. Neste filme ele vive Uxbal, um criminoso no submundo de Barcelona, que deve enfrentar as consequências da vida que escolheu.

Jeff Bridges, Bravura Indômita, Hollywood redescobriu este canastrão que faz um personagem que no anteriormente foi vivido por outro canastrão histórico, John Wayne. Depois do Oscar do ano passado lá vem ele de novo, mas desta vez apenas pra fazer figuração já que suas chances são praticamente nulas. Em Bravura Indômita ele é Rooster Cogburn, um beberrão que é contratado por uma jovem para encontrar o assassino de seu pai.

Jesse Eisenberg, A Rede Social,  o ator estreante ao representar o criador do Facebook, Mark Zuckerberg,  provou que é bom e que ainda vamos ouvir muito falar dele, se obviamente tiver um bom agente.

Colin Firth, O Discurso do Rei, o grande favorito. Se ele não ganhar este Oscar então não sei pra quem vai. Ano passado perdeu injustamente e não acho que se ganhar este ano seja um prêmio de consolação. Ele é bom mesmo ao dar vida ao monarca britânico, Jorge VI, que procura ajuda para a sua grave gagueira.

James Franco, 127 Horas, ao lado de Anne Hathaway, será um dos apresentadores do Oscar e de quebra ainda poderia ganhar um. Pena que não será desta vez, mas o moço é talentoso. Aqui ele é Aron Ralston, um andarilho solitário que tem seu braço preso numa pedra e tem que fazer uma escolha dramática.


Ausências: Paul Giamati em Minha Versão para o Amor, excelente, ganhou o Globo de Ouro como melhor ator em uma comédia e a Academia tem que parar de achar que este gênero é menor; Mark Wahlberg, O Vencedor, além de produtor do filme ele conseguiu mostrar que é um bom e generoso ator ao permitir que o elenco secundário brilhe mais que ele; Ryan Gosling, Namorados Para Sempre, do que vale a excelente atuação de Michelle Williams sem ele?

6 comentários:

Guará Matos disse...

Vamos esperar que serão "as feras" que irão faturar a estatueta.

Bj.

CIELLO disse...

Geofrrey Rush, pois ele sustenta o Colin Firth que deve ganhar pois deixou de receber o prêmio ano passado com Single Man... tempo de compensação.

São disse...

Está complicado!
Não pode haver ex-aqueo? rrss

Beijinhos.

António Rosa disse...

Vamos lá ver o que é espera a Colin Firth...

Paulo Braccini disse...

para mim Javier Bardem é insuperável na atual safra de atores ...

;-)

Antonio de Castro disse...

ator coadjuvante: na torcida pelo christian, pq ele está ótimo, pq o filme tem interpretações ótimas e sei q não vai ganhar muitas coisas. ainda assim, o geofrey dá a graça ao filme e dá a base para o colin. essas indicações do jeremy e do mark... desnecessária. o John Hawkes cai no emsmo prob q a protagonista, trabalha mt bem, mas o filme é muito difícil de assistir.

ator: colin firth porque me fez chorar. não aceito a indicação do jesse chaaaaato. o james franco talvez tenha tido o personagem da vida dele, num ano com filmes "melhores" q ele. o filme do javier ainda não consegui ver. jess bridges tem um filme redondo, com um personagem maravilhoso, mas não empolga nem emociona.

sem sombra de dúvidas, ryan gosling faltou. e a culpa deve ser do jesse! argh.