terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Autor (Fragmentos do Autor)

Ele não se considera mais blogueiro, uma pena. Conheci e aprendi a amar o amigo que escreve e logo depois estávamos conversando no MSN. Não muito tempo depois nos conhecíamos pessoalmente. Um dos meus melhores amigos, um ser sem igual, doce, delicado, mas como todo leonino não o tirem do sério. E com certeza meu querido, queremos mais de você. Sem mais, o Autor.

Serginho: Você já foi um blogueiro mais assíduo, o que tem feito escrever menos?
Autor: Na verdade acho que nem sou mais blogueiro, já que meu blog está lá, fechado por tempo indeterminado. E até cheguei a começar a escrever sobre o motivo da minha falta de inspiração, que acabou definindo o término (provisório?) do blog, mas não consegui chegar a nenhuma conclusão definitiva. Só sei que acabou a inspiração, a vontade, e os textos ácidos e irônicos de outrora, pelo menos para mim, começaram a ficar de uma chatice sem fim. Como me recuso a parecer chato pros outros, resolvi parar de escrever. Pergunta retórica: será que felicidade faz mal pra criatividade? 
Já até pensei sobre isso, dias atrás, quando ouvindo Adele, me perguntei: será que a uma Adele feliz e realizada conseguiria escrever músicas tão poéticas e perfeitas?
Longe de mim querer me comparar a Adele, mas o Autor aqui não consegue escrever nada que considere minimamente interessante feliz.

Serginho: As coisas mudaram muito desde nossa última entrevista, quais foram os fatores que fizeram o Autor mudar tanto?
Autor: Lembro que nesse mesmo período do ano passado eu só pensava na minha viagem. Dezembro se arrastava e eu contava os dias em que embarcaria pela Europa para minhas férias na França e Inglaterra. O ano de 2010 foi um tanto quanto duro para mim, já que demorou para eu me dar conta de que o meu namoro que havia terminado em meados de 2009, realmente havia terminado. Nas minhas férias eu só queria aproveitar e marcar um novo recomeço, uma nova vida.
E eu viajei, amei cada minuto fora do país e, ao final de janeiro, voltei pro Brasil. Lembro que na virada do ano, na Champs-Elysées, sóbrio e morrendo de frio, eu pensei: 2011 vai diferente. E eu nem tinha ideia de como tudo mudaria.
O conheci no dia 31 de janeiro. E foi aquela coisa que atropela a gente, a vida, muda os planos e, quando a gente vê, já foi. Um cara improvável, numa ocasião inesperada, que acabou virando meu marido, algo que nunca havia planejado.
Então o motivo é esse: eu casei. E garanto: estou MUITO feliz!

Serginho: Qual lugar gostaria de viver para sempre?
Autor: Hum, pergunta difícil essa... Primeiro não sei se gostaria de viver para sempre. Isso me parece coisa de crente e eu tenho aversão à crentes, em geral. Pra eu viver para sempre, eu teria de ser eternamente jovem e disposto, com o pique de um garotão e a virilidade de um garanhão, risos! 
Mas pra escolher um lugar, pra mim é bem fácil, mesmo que não seja específico: tem de ter praia.

Serginho: Entre razões e emoções, qual a saída? É possível manter o equilíbrio?
Autor: Sou bem racional, procuro pesar prós e contras de tudo antes de me decidir, mas acho que ser guiado pelas emoções pode ser útil, vez por outra. Agora, não me pergunte a fórmula para equilibrar os dois, pois se eu a tivesse, escreveria um livro de auto-ajuda e ficaria milionário.
Além do quê, eu só finjo; estou longe de ser uma pessoa equilibrada.

Serginho: Quais seus maiores pesadelos?
Autor: Tenho um medo absurdo de envelhecer. Não da velhice em si, mas de ver o meu corpo se deteriorar, de perder o controle, de depender de outras pessoas para até mesmo o mais básico. Não consigo imaginar outras pessoas decidindo por mim. E esse medo me aflige.
Mas, de algo concreto e possível, tenho medo de zumbis e de um fantasma vestindo látex no meu quarto. Ok, ok, pode culpar as séries americanas, mas me cago de medo dessas baboseiras.

Serginho: Quais seus sonhos?
Autor: Sou BEM pé no chão e procuro sonhar onde minhas mãos alcançam. Ao invés de um mega sonho irrealizável, vou sonhando pela vida pequenos sonhos que vão sendo realizados, dando lugar a novos sonhos. 
Então, vou ser clichê: acho que meu sonho é que eu consiga manter os meus momentos felizes, multiplicando-os com o passar dos dias. Afinal, a felicidade plena e absoluta como objetivo maior é um convite para o fracasso e para as decepções. Assim, vamos vivendo, colecionando vitórias e fracassos e, claro, aprendendo com todos eles.

Serginho: Posaria nu? Já frequentou alguma praia de naturalismo? Tem alguma vontade?
Autor: E você acha que alguém pagaria pra me ver pelado, mermão? Tá, louco, né?
Durante muito tempo tive sérios problemas com relação ao meu corpo. Na adolescência então, afff, eu ia pra praia e ficava com vergonha até de tirar a camisa porque era magro demais. Hoje eu dia eu até que gosto dele, apesar de estar com uma pancinha que não me pertence, mas que já está indo embora porque pensamento positivo é forte. 
Agora, posar nu, não, obrigado! Privo o mundo disso.
E não, também não frequentaria uma praia de nudismo, acho que ficaria muito constrangido. O mais próximo que cheguei do nudismo foi em Ibiza, quando numa praia cheia de famílias, os caras tiravam o short pra ir nadar, voltavam e vestiam de novo para pegar sol. E eu lá, firme e forte com a minha sunga.

Serginho: Você é um leonino típico, o que te tira do sério e quando você vira um gatinho?
Autor: Gosto das pessoas que nem me conhecem direito (o que não é seu caso), e já vão logo atirando: "Você é de leão, né? Tá na cara!" 
Eu acho que sou uma pessoa até que bem fácil de se lidar. Procuro ser um bom amigo, me dôo, procuro ser empático. Mas, não me provoque, que eu viro bicho. E odeio gente idiota ou que se faz de idiota. Não tenho paciência, sou pavio curto. Burrice é algo que não tolero.
Em compensação, basta fazer um elogio e me mimar que me ganha rapidinho. #Tenso, eu sei, mas não consigo evitar!

Serginho: O que te tira do tédio?
Autor: Ah, eu sou uma pessoa que se entretém fácil. Um bom filme, séries diversas ou um computador com acesso à internet fazem fácil a minha felicidade. Mas adoro ficar totalmente de bobeira na praia, caminhando pelo Aterro do Flamengo ou traçando novos planos para dominar o mundo.

Serginho: O que você gostaria de confessar aqui?
Autor: Vou plagiar um música que adoro dos Engenheiros, que diz "somos suspeitos de um crime perfeito, mas crimes perfeitos não deixam suspeitos."
Logo, não tenho nada que confessar, já que não quero deixar rastros para me enforcarem mais à frente. Sou precavido, ow! ;-)

Serginho: Qual ou quais as grandes surpresas de 2011?
Autor: O namorido, sem sombra de dúvidas. Não planejava conhecê-lo, muito menos que estívessemos onde estamos hoje: juntos, felizes, morando juntos, levando nossas vidas e causando a inveja dos menos afortunados.
Mesmo assim, acho que o que mais me surpreendeu nesse ano foi o "casamento". Logo no carnaval nós decidimos tirar férias e viajar juntos, o que fizemos em outubro. Escolhemos Itália e Espanha, traçamos nosso roteiro, mas assim que chegamos em Roma, ele perguntou: "você quer casar comigo onde?". Na brincadeira, respondi que em Capri. O que não sabia era que ele tinha comprado alianças e, quando estávamos em Capri criou todo um clima do especial, com direito a champagne e comemorações, para me dizer que queria dividir sua vida com a minha.
E o que tínhamos pensado para o ano que vem acabou se concretizando no início de novembro quando ele saiu do apartamento dele e eu do meu, para um outro, onde estamos vivendo juntos.

Serginho: O que espera de 2012 (please, não responda que espera que o ano não acabe)
Autor: Putz, estragou a piadinha infame! Hehehehe
Mas, falando sério, decidi que já é hora de eu perseguir uns sonhos que havia deixado de lado. Um deles, o mestrado, quero resolver logo no início de 2012, já que as inscrições para ele vão até o dia 10 e estou fazendo minha parte para participar do processo, já que decidi tudo agora, em cima da hora. 
Além disso, quero voltar a escrever, quem sabe em algo que me dê mais retorno. Os planos existem, só tenho que botá-los em prática. Quem viver, verá!
Fora isso, quero ganhar na Mega-Sena e fazer mais porra nenhuma da vida, só ficar lindo e belo de pernas pro ar.

13 comentários:

disse...

Olá! Adorei seu blog, muito criativo! Também tenho um blog e gostaria que vc desse uma olhada. O endereço é: http://www.criticaretro.blogspot.com/ Passe por lá! Lê ^_^

Autor disse...

Querido,
Agradeço ao carinho de sempre.
Fico imensamente feliz de ter conhecido através do blog alguém tão divertido, alto astral e que alegra meus momentos na frente do pc.
Fora que nosso dia pelo shopping em Recife foi dos melhores (mesmo vc quase me trocando pelo Sil rs).

Muito obrigado por tudo.
Um Natal cheio de perus e um 2012 iluminado.

Eu

PS: Todo trabalhado na exposição do Autor, heim!

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

dois fofos ... não conhecia o blogueiro ... vou lá conhecer ...

bjão aos dois

Fred disse...

Serginho e suas entrevistas (e entrevistados) baphônicas... Acho mutcho bom! Congratzzzzzzz ao dois!!! Bjz!

anonimo.com disse...

Nossa! Sempre um entrevistado melhor q o outro.

Curtia o blog do Autor antes de ser o anonimo.com (antes de ter o blog Anonimo)

adorei saber algo mais sobre ele e fiquei mega feliz pelo marido! =D

Serginho tu sempre ahazando!
bjuz

Lobo disse...

"Burrice é algo que não tolero.". Poucos toleram. E nessa, eu só me fodo hahaha.

Sumida demais essa pessoa!

Mauri Boffil disse...

Adoro o Autor!!! Numa dessas mudanças, tinha perdido o blog dele! Ai, valeu, sys pela entrevista!

Wans disse...

Super me identifiquei com a resposta dele sobre o medo da velhice.

bjão!

Fred disse...

Nem vem Serginho... que segundo as boas línguas de Blogsville tu és um rapaz com muito recurso monetário... pode comprar todos os presentes - bem sei! Hehehehe! Bjzzzzzzz, meu queridão! Boa quarta!

Mariposo Blog disse...

Passando para desejar um Feliz Natal para vc :)

HOMOTOON disse...

Realmente... na maioria das vezes a felicidade parece bloquear a criatividade. Rsrs. Mas, esse foi um casamento muito romântico neh! Inveja boa desse marido, sabe.

Edilson Cravo disse...

Serginho:

Mais uma entrevista maravilhosa e muito bem conduzida hein...rs. Querido passando pra desejar um Natal maravilhoso e um 2012 cheio de boas energias. Um grande e apertado abraço.

ManDrag disse...

Gostei da entrevista e de relembrar o nosso encontro.

Beijos