sábado, 30 de abril de 2011

Bundokinha do mês

Rafinha Bastos, claro, dando a bunda pra bater e pra cheirar o troféu. E com este post escolhido pelo querido André Mans encerro aqui as comemorações de três anos do JeD, muito obrigado a todos vocês meu amigos que participaram desta festa e que venham muitos e muitos anos mais!

Estética Gay

Poder-se-à dizer que existe uma estética gay?
Ok! Eu sei que não estão muito voltados para apreciações filosóficas nem leituras muito elaboradas, mas prometo que vou ser breve.
Embora algumas cabeças possam tentar afirmar uma estética de guetto, quanto a mim isso não passa dum dandysmo (Com “y” é mais bichoso! Aloka!) parvo. Não há nenhuma sensibilidade gay! Quanto muito, o que haverá é uma ausência de imposição de padrões tradicionalistas e machistas na apreciação do belo, ou da ausência dele, no mundo em redor.
Eu não aceito essa estúpida apreciação que os gays são entidades à parte duma superior evolução no estado de desenvolvimento da humanidade. Podem ser tão inteligentes ou estúpidos quanto os demais parvos. Podem ser tão brutos e delicados como os demais alarves. Podem ser tão criminosos e bondosos quanto os demais imbecis. Nada nos distingue do resto da humanidade, senão que aspiramos ao direito de viver uma realidade distinta do padrão ditatorial tenebroso do machismo dominante e imposto por milénios.
Não acredito que um dia cheguemos a ser vistos como normais. Essa hipocrisia do politicamento correcto “para mim um gay é um ser humano como outro” não passa duma balela narcisista de querer parecer e aparecer. No fundo todos se sentem incomodados pelo desafio às normas, tanto positivamente como negativamente. Ainda não ouvi ninguém dizer com sincera e pura convicção que o seu sonho seria ter um filho (ou filha) gay.
Convenhamos, o modelo machista prevalece e o que muitos entendem como uma estética gay não passa tão somente duma caricatural e deliberada oposição de padrões antinormativa.
Aos que chegaram até aqui: parabéns! Quanto aos outros, os que desistiram; por favor digam-lhes que regressem, amanhã volta tudo ao normal.
Beijos!


ManDrag

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Café, veneno, naipes flamejantes...

Para Mauri  minha irmã siamesa que eu amo e para Dan que dispensa comentários de tão fofo que é... William Levy, porque vocês merecem!

Will Fuck For Food

Para a turma da Casa Claridade, Que Foi Blog, Detesto Estudar e Cinema Temático... Colby Keller!

Royal Wedding


Hoje como todo mundo sabe, foi o dia do casamento real e o post de hoje é dedicado aos queridos Glauco, Sergio Viula, Edilson Cravo, Do, Pimenta, Dil Santos, Guy Franco e Três Egos porque assim como a Cate merecem um principe tão lindo quanto!
Beijos meninos.

COMEMORAÇÃO


Nesse todo país
Tem cidade
Montanha
Mar
Cerrado
E Sertão

Samba
Xaxado
Fandango
Xote
Forró
E Baião

Mulher bonita
E homem também
Festa de todo o jeito
O perfeito
O imperfeito
E muita emoção

Nesse todo país
Quem produz
Tem de montão
Aplausos é o que não falta
Mas um é especial
É pro Serginho deste blogão.

Um grande beijo e toda felicidade que você possa alcançar.
Guará Matos

quinta-feira, 28 de abril de 2011

INXS - Disappear


Este post é dedicado aquele pessoal fofura que anda sumido. Alguns nos dão sinal de sua graça eventualmente outros sumiram e outros desistiram mesmo, mas ao longo destes três anos de um jeito ou de outro sempre passaram (ou ainda passam) por aqui e não poderiam falta à festa!
Beijos no coração dos queridos BinhoSampa, Kazé, Alberto, Ricky, Pedro, Too-Tsie, Wagner, Edin Mawess, Visão, Inside Me, Cardo, Alex Nobre, Robson, Marco, Cocada, Rafael Cardoso, Jamesp, Wall, Renato Orlandi e Latinha.

A gente não devia ter vergonha do que é bonito

“Eu te amei muito. Nunca disse, como você também não disse, mas acho que você soube. Pena que as grandes e as cucas confusas não saibam amar. Pena também que a gente se envergonhe de dizer, a gente não devia ter vergonha do que é bonito. Penso sempre que um dia a gente vai se encontrar de novo, e que então tudo vai ser mais claro, que não vai mais haver medo nem coisas falsas. Há uma porção de coisas minhas que você não sabe, e que precisaria saber para compreender todas as vezes que fugi de você e voltei e tornei a fugir. São coisas difíceis de serem contadas, mais difíceis talvez de serem compreendidas — se um dia a gente se encontrar de novo, em amor, eu direi delas, caso contrário não será preciso. Essas coisas não pedem resposta nem ressonância alguma em você: eu só queria que você soubesse do muito amor e ternura que eu tinha — e tenho — pra você. Acho que é bom a gente saber que existe desse jeito em alguém, como você existe em mim.”
 - Caio Fernando Abreu


Post dedicado ao lindo, Alexandre Lucas

terça-feira, 26 de abril de 2011

Melo (Afternonsense)

Encontrei o Melo quando encontrei o Wans, na verdade o Melo me encontrou quando eu encontrei o Wans. Me encantei por  ambos imediatamente e hoje tenho a certeza que estas duas almas gêmeas são como irmãos para mim. Melhor, são mais que isso! Não conheço irmãos que tenham gostos tão similares, é impressionante o que temos em comum! 
Melo é um dos grandes escritores da blogosfera. Nos toca fundo com sua escrita e nos deixa entrar dentro de sua vida de uma forma ímpar. Eu já o havia entrevistado juntamente com o Wans  o ano passado, mas ele me pediu para fazer esta sozinho e um pedido deste moço a gente não nega. 
Nunca. 
Agora, neste mês de aniversário do Justo & Digno mais um post celebração com o fã de 2001- Uma Odisséia no Espaço, Melo!

Serginho Tavares:
Então meu querido, nos conte, como você se descobriu gay?
Melo:
Isso faz muito tempo, muito mesmo...mas acho que a primeira lembrança realmente gay que eu tenho era olhar na Revista do Círculo do Livro que minha mãe assinava e ficar encantado com um livro sobre educação sexual que tinha na capa duas crianças nuas: um menino e uma menina. A menina nem me interessou mas lembro claramente que o menino me encantou, eu devia ter menos de 10 anos eu acho...
Depois veio uma paixão platônica pelo ator de "Lagoa Azul". Essas são minha lembranças mais remotas se bem que nessa época eu nem sbaia o que era gay, viado ou afins
Gay mesmo eu me descobri acho que com uns doze anos, quando tive um babadinho com um colega da escola, quinta série. Daí eu já sabia que era viadagem mesmo e que eu era homossexual
Não que eu tenha aceitado assim numa boa, demorou um pouco para isso acontecer
Acho que é isso
Serginho Tavares:
E quando aconteceu mesmo, como foi essa aceitação?
Melo:
Eu tinha pouco mais de vinte anos acho. Havia tentado namorar meninas, mas não rolou mesmo e olha que até dar para mim algumas queriam mas, como transar com alguém de pau mole? Nessa época fui meio FDP pois saia com uma menina, gostava dela mas também saía com homens e quando um deles me interessava mais eu a deixava só para pedir para voltar quando o relacionamento não vingava
Na verdade, eu me sabotava e essa santa me aguentou muito tempo até que um dia eu conheço meu primeiro namorado, já falei dele no blog, morreu há alguns anos e com ele eu tive certeza de e do que eu era e queria e depois disso não teve mais volta, eu era homossexual e teria de viver assim, foi um processo lento mas eu estava seguro, só enroscou quando chegou na família
Acho que era uma questão de achar a pessoa certa e parar de minar todo relacionamento homo que eu encontrava. Mesmo depois de me assumir (para mim, digo), ainda sabotei muitos relacionamentos gays que tive por ainda não saber ao certo como lidar com tudo isso, mas com o tempo amadureci e peguei o jeito da coisa, eu acho.
Serginho Tavares:
Voltando um pouco, como foi o primeiro namorado? Foi o primeiro amor?
Melo:
Foi ótimo e um inferno ao mesmo tempo. Éramos os dois inexperientes, jovens e sem muito saber o que esperar de ujma relação gay, o termo em si era para nós um enigma e acho que um se escorou no outro buscando apoio para, juntos, acharmos as respostas. Amei muito ele, foi o primeiro, não é? Descobrimos muito juntos, fizemos muita coisa, era uma época em que ser gay era mesmo proibido e uma letra escarlate cravada na cara. Mas tinha o outro lado, não nos entendíamos às vezes, ciúmes, ele tinha um temperamento muito difícil e brigávamos com frequência, idas e vindas, mágoas até que um dia nos separamos de vez e só o revi uma semana antes dele morrer, já estava com Wans nessa época
Serginho Tavares:
Desculpe perguntar, mas do que ele morreu? Você soube?
Melo:
Ele tinha um quadro muito sério de depressão e fumava demais, isso acabou com ele e ele morreu de uma grave infecção pulmonar, estava fraco demais, ainda hoje acho que pode ter sido HIV, mas sua irmã dizia que eles tinham feito o exame e o resultado fora negativo, de qualquer forma ele se foi mas limpei minha consciência pois o vi antes disso, esse carma eu não levo para a cova.
Serginho Tavares: 
E quando surgiu o Wans em sua vida?
Melo:
Bom, eu tinha saído de um namoro breve, um ano, pouco mais e não nasci para ficar solteiro. Estar solteiro sem problema algum, mas ficar, não é para mim, sou pra casar! Enfim, eu já estava sozinho há um tempo e nada de engatar um namoro, um aqui outro ali mas nenhum assim interessante saca?
Então, uma amiga me atazanou tanto para fazer um cadastro noAlmas Gêmeas do Terra que fui lá e fiz. Dizia lá que era batata! Bom, cadastro feito, comecei a receber convites e fazê-los também até que cheguei no perfil do Wans, muita coisa batia, gostos muito parecidos e começamos a nos corresponder.
Uma semana nisso e sem trocar fotos, nada. Depois dessa tempo, finalmente nos falamos pelo telefone e mais uma semana se passou e finalmente resolvemos nos encontrar. Eu mesmo estava meio com o pé atrás porque ele falava muita gíria, pensava que ele era tipo 'mano' ou coisa do tipo, mas, como o papo era bom, resolvi arriscar. 
Um dia antes marcamos os detalhes (local, hora, etc) e veio a pergunta que nenhum dos dois tinha feito antes: "como você é?" Não haviamos nos descrito um para o outro e, como disse, muito menos trocado fotos. Bom, ele disse como ele era e eu disse como eu era mas, quando chegamos na questão do cabelo, eu disse que tinha alopecia e ele ficou meio receoso, mas, graças à sua amiga que disse ser tudo gente assim, ele resolveu me encontrar. Nos encontramos, o papo rolou, beijos também e pouco mais de uma semana depois já era namoro sério. Ele ainda quis me dispensar, mas quando sua amiga me viu me deu 100% de aval daí não teve mais volta e lá se vão nove anos!
Serginho Tavares:
Então essa menina é a madrinha de vocês!
Melo:
Verdade absoluta! E minha amiga que me fez entrar no Almas Gêmeas.
Serginho Tavares:
Então isso quebra a máxima que no Almas Gêmeas encontra-se pessoas apenas querendo sexo, certo?
Melo:
Ah, mas isso tem em todo lugar, você precisa filtrar...claro, sites como manhunt e afins tem essa conotação pesada de fudeção, mas quem garante que desse lugar não pode surgir um relacionamento? Meu primeiro namorado, o conheci no cinemão aqui do centro e ficamos juntos por cinco anos! Só fuder é bem mais fácil mesmo, relacionamento dá trabalho e ninguém quer ter trabalho!
Serginho Tavares:
Vocês possuem um relacionamento estável durante bastante tempo, isto causa muita inveja? Como lidam com isto?
Melo:
Olha, não me ligo muito nessa coisa de inveja sabe? E não vem com essa de inveja branca porque isso é mentira, inveja é inveja e pronto, não adianta querer por uma aura de sentimento puro que não cola. Quando temos inveja, temos inveja mesmo, ora! Claro, resta saber como você lida com ela, você vai a luta para conseguir algo tão bom ou melhor para si ou fica alimentando rancor e desejando que o outro se foda e perca tudo? Não sentimos inveja dos outros e se ela existe, quem a tem guarda para si mas, como dizem por aí, quem não pode mandinga, não carrega patuá, não é mesmo? Nunca tivemos nosso relacionamento abalado por esse tipo de coisa, ambos são meio descrentes desse poder nefasto que é atribuído a esse sentimento mas também, procuramos nos cercar de pessoas legais e que tenham suas vidas resolvidas, como nós. Quem é assim, acho que dificilmente perde tempo se preocupando com inveja e afins, isso é pra quem gosta de ficar remoendo os próprios recalques e fracassos.
Serginho Tavares:
E como trabalham o tempo? Monotonia, rotina... Vocês assumiram abrir o relacionamento de para uma terceira pessoa, como surgiu esta ideia e como funciona isto?
Melo:
Cara, isso é muito foda. Não adianta porque a rotina chega mesmo, são nove anos juntos e seria hipócrita dizer que ainda temos o mesmo desejo e somos como éramos no começo do relacionamento. O tempo muda e molda a todos, acho eu, então, aquele fogo todo do começo, o tesão desenfreado, tudo isso foi sendo moldado em um fogo menor mas que aquece bem nos dias frios e pode, ocasionalmente, por a casa em fogo. Mas isso adquirimos com o passar dos anos, acho que essa é a definição exata de amor, os anos se vão e você olha para a pessoa e sabe que o tempo arrefeceu o desejo, mas não a determinação e a vontade de estar ao lado um do outro, o sexo é essencial para uma relação, mas ele acaba supervalodrizado pois no fim do dia não quero saber o quanto eu gozei, mas que vou dormir ao lado de alguém que se importa comigo tanto quanto eu com ele, que vai estar ali no dia seguinte e quando eu precisar de apoio, que não vai ter nojo quando eu estiver doente e fraco, que vai segurar a minha mão e entender minhas escolhas e me apontar o dedo quando eu fizer merda. Acho que é isso.
Abrir a relação foi um consenso pois, como já disse, depois de nove anos o sexo não é mais o mesmo, quem consegue ainda tem meus cumprimentos e fico feliz por eles. Queríamos algo novo e resolvemos que michês eram a saída pois não havia desejo de envolvimento emocional, mas apenas uma agitada no sexo e assim foi. Nós temos uma cumplicidade imensa, rimos muito de nós mesmos, dos outros e de tudo, conversamos muito e acho que somos muito companheiros um do outro.
Serginho Tavares:
Você mantem uma postura política no seu blog. É algo natural ou sente a necessidade de falar sobre?
Melo:
Eu gosto de falar sobre o assunto, não sou estudioso nem letrado a fundo mas procuro expor meu ponto de vista sobre algumas questões que chamam minham atenção. Não sou tão politizado quando o DPNN e sou menos do que quero ser mas, procuro me manter informado sempre.
Serginho Tavares:
Sua veia literária é famosa e tem rendido grandes contos, o que podemos esperar daqui pra frente?
Melo:
Dei uma pausa. Não anda escrevendo nada ou, quando o faço, é muito pouco mas é só uma fase. Dizem que esse processo é composto 2% de inspiração e 98% de transpiração. Bom, para mim vale mesmo os 2% porque quando crio forçado serve apenas de referência para algo futuro, assim, prefiro escrever quando realmente tenho vontade. No mais, ainda tento publicar, mas é um trabalho lento e de formiga, mas eu sou paciente, também penso em alternativas como download pago de meus contos, mas ainda não resolvi se é por esse caminho que vou seguir.
Serginho Tavares:
Você deixa claro não gostar de crianças, então filhos nem pensar, certo?
Melo:
Isso mesmo, veja bem, apenas não gosto de crianças, fico puto quando vejo maltratos e coisas assim mas não sou compatível com elas. Não pensamos em adotar ou outros meios, não queremos mesmo ter filhos. Acho mesmo que algumas pessoas nascem com essa vocação, mas a grande maioria não sabe que pode escolher não ter filhos e quando veem casais que não os tem ficam frustrados tipo "Porque ninguém me  disse que isso não era compulsório?"
Meu irmão já garantiu que a linhagem da nossa familia vai ter futuro então, estou tranquilo. Pessoalmente, acho que as pessoas passam por um processo de bestificação quando procriam, vá lá, é uma mudança muito grande de estilo de vida e criar um filho é algo complexo e para o resto da vida e daí temos um abismo intransponível entre os que tem filhos e os que optam por não te-los, sentimos isso quando encontramos casais de amigos que tiveram filhos e nossas realidades são opostas, claro. São escolhas totalmente diferentes, mas acho chato quando quem procriou olha para você como se você fosse de outro planteta por não ter filhos.
Serginho Tavares:
Mas dai que se aparece uma "criança" de 19 anos pra vocês criarem esquecem isso tudo?
Melo:
Gato, prefiro pagar um cachê e mandar de volta para a rua. Criar? Adotar? Não, já tenho minha vida pra cuidar!
Serginho Tavares:
O que diria pras pessoas que te leem?
Melo:
Obrigado por me lerem. Sei que às vezes sou meio inconstante, mas quando escrevo, escrevo porque gosto e porque sei que existem pessos que gostam do que eu escrevo sejam posts simples ou contos. Acho que só isso.
Serginho Tavares:
Pra terminar, nosso querido JeD ta fazendo aniversário este mês e o que diria pros leitores?
Melo:
Que continuem lendo o JeD, já te disse que existe muita porcaria na rede, precisamos manter o que é legal rodando mas sempre pensando que é preciso ter o tesão de fazer, gosto. Se virar obigação melhor parar, já fazemos tanta coisa obrigados na vida e não podemos deixar que o prazer vire a mesma coisa. Quando você escreve, a gente vê que é com gosto, como quando eu crio um conto, tenho gosto em fazer, eu preciso disso, é meu prazer e não quero que isso vire rotina, trabalho. Se isso acontecer, prefiro parar de escrever e ir fazer outra coisa. Tem gente que joga tênis, futebol, faz academia, corre, nós, meu amigo, escrevemos, esse é nosso hobby, nossa fuga, nosso barato. O dia que deixar de ser assim será o dia em que pararei de escrever.

Cinza

O mundo vive sendo dividido. Entre sim e não. Certo e errado. Esquerda e direita. Leste e oeste. Norte e sul. Bem e mal. Bom e mau. Meu e seu. Homem e mulher. Real e virtual. Ocidente e Oriente. Qualquer grandeza, elemento, situação... tudo pode ser reduzido a uma dualidade. É a forma que o ser humano encontrou para facilitar a compreensão do seu universo - as nuances são são complexas e o ser humano tão preguiçoso...!
Gay e hétero. Até hoje, sempre há alguém que fala que não acredita na bissexualidade. É mais fácil acreditar nisso: há aqueles iguais a você e aqueles que são o extremo oposto. Entender que nem tudo está acima ou abaixo do Equador obrigará a quebrar paradigmas, enfrentar conceitos novos. 
Quando escrevia meu blog, meu maior desafio era justamente trabalhar as nuances (para mim e para os poucos loucos que o liam) - algo que nunca atingi completamente (porque a proposta inicial dele era um obstáculo significativo).  Mas a beleza do mundo está justamente na nuance. Se digo que minha cor preferida é cinza, muitos olham torto, como se eu tivesse optado por uma cor sem vida. A questão é que o cinza contém tudo e nada: ele é o branco (a união das cores do espectro) e o preto (a ausência delas). Cinza é daquelas cores justas e dignas. E você pode até não saber, mas ele está, ao seu modo, no arco-íris. ;-)


Leandro (ou K) escrevia o blog G Cliché e como puderam ver pelo texto acima, faz muita falta na blogosfera. Volta Leandro!

segunda-feira, 25 de abril de 2011

A Fragilidade do Movimento Gay no Brasil

(O texto de hoje no blog foi escrito pelo meu querido amigo Marcos Freitas, a pedido meu para as comemorações de três anos do JeD.)

Nos últimos tempos, estamos vivendo um retrocesso na questão que tange os direitos humanos no Brasil. Ouço relatos dos decanos do Movimentos Gay do Brasil de dias difíceis na época da ditadura militar, nos anos 80 e 90, quando éramos perseguidos e apanhávamos da polícia e com o tempo, pelo que vemos nos noticiários, esses dias estão voltando, ou talvez ganharão a grande mídia.

A homossexualidade é punida com pena de morte na Mauritânia, Arábia Saudita, Sudão, Irã e Iêmen e outros 72 países consideram crime o relacionamento com pessoas do mesmo sexo. Mesmo com esses dados alarmantes, aqui no Brasil em que muitos Estados já tem leis que criminalizam a homofobia, somos o país que mais mata homossexuais no Mundo. No Brasil não há necessidade de criminalização da homossexualidade para punir gays, lesbicas, travestis e transexuais com a morte.

Semanas atrás, uma polêmica que envolveu o Deputado Jair Bolsonaro parece que já caiu no esquecimento, assim como todas as outras polêmicas promovidas pelo deputado, essa ultima também caiu rápido no esquecimento. Bolsonaro foi convidado pelo programa CQC para responder perguntas do público, em suas respostas ele defendeu novamente seus posicionamentos fundamentalistas e homofobico e dessa vez também destilou o seu preconceito contra o movimento negro.

Somos um país retrogrado e que valoriza as questões ressaltadas pela a igreja, indo de contramão com a laicidade do nosso Estado. O Movimento Gay do Brasil está fragilizado, sem forçar para lutar contra os seus oponentes. Temos um Movimento Gay dividido, que coloca as questões partidárias acima da luta homossexual e que não consegue unir forças para aprovar um projeto de lei desatualizado e que não nos atende em sua plenitude.


Marcos Freitas

Crônicas líricas, saudades, brainstorm e...

...sucesso com o moço das pernas grossas ao lado que tem receio que agora vocês o vejam com outros olhos por causa desta foto! Claro que isso não vai acontecer e a foto ajudou e muito a ilustrar este post. Tenho certeza que todos concordarão comigo não é? Sem mais delongas, com vocês, Marcelo ou simplesmente, Ciello!

Serginho: Hoje  em dia todo mundo é ativo ou é uma forma de pegar homem? 
Ciello: Eu não acredito em posicionamentos sexuais definidos. Acredito que existem tendências naturais, fato. Porém as limitações empobrecem qualquer relacionamento. Se você quer apenas transar vai ter um comportamento correspondente aquilo que quer. Se quer um relacionamento, tudo muda. Se o relacionamento envolver ingredientes afetivos profundos, não há limitações. 
Serginho: Você quer fazer sucesso na blogosfera ou apenas arrazar na cama? 
Ciello: Não comecei meu blog pra essa finalidade e tampouco para que ele me levasse pra cama de alguém. Minhas Crônicas Líricas sempre foram pensamentos e vontades do dia-a-dia e muitas vezes reflexos de sentimentos nos quais passo. As vezes são apenas divagações e um diário de saudades. Mas confesso que adoro ler comentários! Adoro confete... e também desdobramentos quando o assunto é sério.
Serginho: Hoje em dia na blogosfera, é tudo puta e veado?
Ciello: Na blogosfera não existem critérios para que eu posssa dizer uma coisa ou outra. Existe uma diversidade de pessoas, pensamentos e atitudes, e cada um carrega a marca daquilo que faz ou escreve. 
Serginho: Do que se arrepende sexualmente falando?
Ciello: Difícil de contar aqui, mas vamos lá: ter saido com um cara e deixar que ele tenha gravado a transa. Até onde eu sei, não apareceu meu rosto. existiu um dia... não sei se existe ainda, naquele tempo os recursos não eram taum bons assim pra captar em full HD Huahuahua.
Serginho: E o que diria para quem te olha e te quer?
Ciello: Se for apenas para sexo eu diria, se a pessoa for do meu agrado, vamos para um lugar para que possamos ficar mais a vontade com essa vontade toda? Se for algo que se enquadra na relação sentimentos e afinidades eu diria que "ele pode encontrar um mundo infinito de possibilidades no coração mas que o respeito e a consideração serão primordiais para uma relação de cumplicidade afetiva futura". Fiquei muito enfadonho nessa, não é?

Não meu caro Ciello. De enfadonho você nunca será chamado, agora aproveite seu momento de brilhar!

domingo, 24 de abril de 2011

Enquanto isso, num cantinho escuro... (ou bem claro)

Meu querido Paulo Faysano é um dos membros mais antigos do JeD e não poderia faltar nesta festa ainda mais sendo hoje o seu aniversário. Nesta rapidinha gostosinha ele não apenas mostra que tem pés bonitos, mas que está no ponto!

Serginho Tavares: Todo mundo quer saber como você lindo e maravilhoso e ainda está sozinho?
Paulo Faysano: Hahahaha Falta a pessoa certa... Cansei de perder tempo com os errados, namorar agora tem que bater tudo muito bem!
Serginho Tavares: Você acha que tem a ver com o amadurecimento também?
Paulo Faysano: Um pouco, um pouco de saco cheio também... n fatores, hahaha!
Serginho Tavares: Tem noção de ser lindo e gostoso?
Paulo Faysano: Hahahaha O fato de ser lindo e gostoso é ótimo pra trepadas de uma única noite, mas não faz muita diferença na hora de achar a pessoa certa.
Serginho Tavares: Então o que você me diz é que é difícil namorar alguem como você? 
Paulo Faysano: Não, não é, imagina... Desde que a pessoa não seja ciumenta, hehehe! Porque eu tomo cantada, galera olha pra mim, não dá pra evitar!
Serginho Tavares: Você já se expôs muito no blog e agora parou, se expor atrapalhou você?
Paulo Faysano: Não, nem um pouco... Só parei porque estava ficando repetitivo, hahahaha! Sempre as mesmas coisas, sempre as mesmas trepadas, etc... A vida continua a mesma, só não estou entupindo quem acompanha o blog com histórias repetidas.
Serginho Tavares: Quando você se assumiu?  Foi um processo longo?
Paulo Faysano: Hummm... com uns 28, 29 anos, eu acho... Foi um tanto longo sim, me arrependi de não ter feito antes... porque a vida não mudou em nada com essa informação, tudo a mesma coisa, mesmos amigos, família, etc.
Serginho Tavares: Você parece ser muito desencanado, é isso mesmo?
Paulo Faysano: Completamente...
Serginho Tavares: O que diria pras pessoas que enfrentam dificuldades nesta questão?
Paulo Faysano: Isso é algo que varia de pessoa pra pessoa, mas uma coisa é certa... respeite seu tempo! Se assuma quando achar que é a hora ou o momento, sem pressão. Esteja bem com você mesmo e tudo vai dar certo!

sábado, 23 de abril de 2011

O Lobo escolheu!

O Lobo é aquele menino reclamão, que vive se acidentando, que se algo tiver que dar errado vai dar com ele mesmo, mas mesmo assim todo mundo gosta dele e ele gosta de quase todo mundo quando não está pensando em destruir toda a humanidade. Ele não gosta de presentes, mas não poderia faltar na festa do blog e escolheu quais seus posts, ou melhor, quais seus uivos favoritos. Portanto vamos conferir o que o moço gosta porque o que ele odeia a lista é grande!
Beijos Lobo, o JeD te adora!

Aquele da cacocleta
Aquele do Outing
Aquele das patadas que viram bordões

Enjoy!

{meme literário}




Como tanto a primeira pergunta quanto a segunda são bem parecidas, respondo o mesmo livro, O Retrato de Dorian Gray de Oscar Wilde. Um livro que não me canso de ler e que levo pro resto da minha vida. Indico para todos lerem assim como indico também A Metamorfose de Franz Kafka e Adorável Mundo Novo de Aldous Huxley.
Este meme me foi enviado pelo meu querido Diogo Didier a quem eu dedico este post e repasso a todos vocês.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Preconceito

Para Adorno (1950) a fonte do preconceito é uma personalidade autoritária ou intolerante. Pessoas autoritárias tendem a ser rigidamente convencionais. Partidárias do seguimento às normas e do respeito à tradição, elas são hostis com aqueles que desafiam as regras sociais. Respeitam a autoridade e submetem-se a ela, bem como se preocupam com o poder da resistência. Ao olhar para o mundo através de uma lente de categorias rígidas, elas não acreditam na natureza humana, temendo e rejeitando todos os grupos sociais aos quais não pertencem, assim, como suspeitam deles. O preconceito é uma manifestação de sua desconfiança e suspeita.
Dito isto, saliento que precisamos, além de ser diferentes, fazer a diferença! A mesmice é maçante, é mãe da mesquinharia e mata.
Algumas características que são marcantes, em algumas pessoas, as fazem diferentes, e isto é muito bom. Outras pessoas não possuem características especiais, são pessoas comuns, do tipo insossas, sem sabor - talvez, também, sem saber; sabendo que saber e sabor são palavras com a mesma origem latina. As diferenças são aquilo que nos caracterizam e nos distinguem. É necessário ser diferente para não ser igual, não produzir unanimidade: Se todos pensam a mesma coisa é porque ninguém pensa!
Eu, por exemplo, sou careca assumido e com orgulho, pois este é o meu charme! Claro que o fato de ser careca tem um inconveniente: gera ciúmes, pois os cabeludos não têm o que têm os carecas: uma cabeça brilhante! E eu sou brilhante! Além disso, o fato de ser careca dá-me um charme especial, torna-me bonito e atraente para os outros gatos. Além disto, só o careca é percebido, na multidão. Se estiverem procurando alguém no meio de um grupo de pessoas, é difícil identificar quem é quem no meio dos cabeludos, mas se o cara é careca ele logo se sobressai.
Outro exemplo que me torna diferente: Alguns acham que sou meio escrachado. Só por que de vez em quando falo alguma palavra considerada "palavrão". Mas são palavras pequenas, com poucas letras! Uma palavra de cinco letras não dá um palavrão, ora bolas. Desde quando falar BUNDA, uma coisa que todo mundo tem, que dá consistência à retaguarda, que a gente usa prá sentar, é um palavrão? Falar isto  é ser escrachado? Ou então quando digo PINTO, PAU, CACETE alguns teimam em criticar-me por estar falando palavrão mas, PORRA, são palavras pequenas.  Sou grosso e escrachado só por que utilizo essas e outras palavras? Quando, eventualmente, utilizo um termo menos comum, como epistemologia, realidade ontológica, ninguém diz que são palavrões, embora muita gente nem sonhe com o significado delas. Mas como são palavras comuns na academia, me olham como se eu soubesse alguma coisa. Que coisa eim?
Na verdade o que desejo dizer é que o SABER é algo fundamental, o CONHECER é algo saboroso.  Quero um discurso bem humorado, pois isto é saudável. Lembrem-se que  humor rima com amor, e ambas se ligam a "mores" (do latim) que se refere a uma forma de comportamento socialmente aceito, de onde vem a ética e a moral e a todas as maluquices que se fez e se disse em nome do que é correto, esquecendo que muita coisa que é correta hoje, já foi errado no passado.
Com isto concluímos que nossa sociedade está marcada por preconceitos e, a maioria deles, surge em relação ao diferente. O diferente é vítima, não da novidade que traz, mas daqueles que não conseguem enquadrá-lo no pré-estabelecido. Muitos matam as novidades e, por conseguinte, as muitas possibilidades que elas carregam em si, simplesmente por não serem capazes de enquadrá-las no estabelecido. Os preconceituosos se esquecem que é o diferente que, além de trazer a novidade, trás a inovação, a raiz do progresso. Se todos permanecêssemos na mesmice ainda viveríamos pendurados nas árvores catando coquinhos.
O progresso nasce não de quem repete fórmulas, mas dos que quebram tabus. O avanço acontece não através de quem acata as ordens, mas pelos que criam desordem. Até mesmo a filosofia só deu passos significativos quando os discípulos fugiram ou quebraram as amarras, contradisseram ou foram além dos mestres.
Fica aqui a questão: O que te diferencia dos outros mortais? Qual é a tua marca? Ou você é como todo mundo?
Seja diferente e orgulhe-se disto, pois assim seremos verdadeiros revolucionários e estaremos construindo um mundo melhor, mais digno e livre de qualquer tipo desta coisa hedionda - PRECONCEITO.

terça-feira, 19 de abril de 2011

O Apanhador no Campo de Centeio

Adicionar legenda
"Esse ano o JED, do querido Serginho faz 3 anos de existência, e ele me pediu para escrever um post sobre os livros que fizeram parte da minha vida. E eles são muitos. Precisaria então falar sobre meu livro favorito e sobre o escritor que embalou minha mente com personagens literários que se tornaram grandes companheiros nesses anos que se seguiram.

Meu livro favorito sempre fora "O Apanhador no Campo de Centeio" de Salinger. Eu o li, quando era adolescente e tinha tudo a ver com a amargura que eu sentia na época. O livro, conta, numa narrativa em primeira pessoa, alguns dias na vida de Holden Caulfield (num jogo de palavras de JD Salinger: Holden, hold – agarrar - e Caulfield, field - campo), que acaba de ser expulso da sua terceira escola bem às vésperas do natal, nos EUA do pós-guerra. No decorrer, o anti-herói vai revelando acontecimentos do seu passado, sua família e seus conhecidos, ao mesmo tempo que se refugia em Nova Iorque.
Holden não gosta das mudanças que estão ocorrendo em sua vida. Ao entrar na vida adulta, ele acaba percebendo que nada é como ele pensava... o vazio, a ganância e a falsidade das pessoas acabam deixando-o decepcionado e desiludido. É o fim da inocência que se aproxima, e ele precisa se acostumar com o fato de estar crescendo e ter que enfrentar a humanidade, mesmo descobrindo cedo demais que afinal, a humanidade não existe.
O Apanhador, é aquele tipo que sempre releio e que permanecerá em minha memória para sempre, porém, Salinger não é o meu escritor favorito e sim Oscar Wilde. Foi ele quem criou o personagem mais incrível da literatura mundial: Dorian Gray. E também escreveu histórias infantis onde os sentimentos sobre amor e amizade são principais características dos animais e não dos seres humanos. Sua fina ironia e escândalos, fizeram dele, um dândi impossível de ser esquecido.
Poderia falar muito mais sobre outras obras, mas pra que dizer mais, se uma das melhores aventuras não vieram do papel e sim virtualmente. Conhecer meus novos amigos e o Serginho me valeram tanto quanto os heróis que me fizeram voar e lutar em batalhas medievais e monstros gigantescos."



segunda-feira, 18 de abril de 2011

O nosso cotidiano de Clarice

Porque eu fazia do amor um cálculo matemático errado: pensava que, somando as compreensões, eu amava. Não sabia que, somando as incompreensões é que se ama verdadeiramente. Porque eu, só por ter tido carinho, pensei que amar é fácil.

Mas tenho medo do que é novo e tenho medo de viver o que não entendo - quero sempre ter a garantia de pelo menos estar pensando que entendo, não sei me entregar à desorientação.

Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento.

Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato... Ou toca, ou não toca.

Quando se ama não é preciso entender o que se passa lá fora, pois tudo passa a acontecer dentro de nós.

Enquanto eu tiver perguntas e não houver respostas... continuarei a escrever.

Passei a vida tentando corrigir os erros que cometi na minha ânsia de acertar.

O que verdadeiramente somos é aquilo que o impossível cria em nós.

E o que o ser humano mais aspira é tornar-se ser humano.

Clarice Lispector


Para Hugo porque um cotidiano sem Clarice seria muito chato.

domingo, 17 de abril de 2011

Quer saber o quê?

Sabrina Sato voltou pro deputado gato Fábio (eu) Faria.
Dennis Quaid andou dizendo que a cocaína era tão importante em Hollywood que fazia parte do orçamento dos filmes. Q?
Paulo Vilhena cuspiu na cara do Rafael Cortez e muita gente achou revoltante a atitude do ator, mas peraí foi o cara do CQC quem pediu! Adoro você Paulinho! Ainda mais assim. Rir da cara dos outros é fácil né? Em tempo, Rafael Cortez se apresentou na Virada Cultural e ninguém riu!
Jennifer Lopez é a mais bela do ano pela revista "People".
Lady Gaga diz que não foi ela quem escreveu "Born This Way", e sim o falecido estilista britânico Alexander McQueen, que teria transmitido a canção a ela a partir do além. #ChicoXavierRules
Sean Penn e Scarlett Johansson estão morando juntos na mansão do ator. Sean Penn é delícia!
Fiuk disse que já viu um disco voador  ao lado do seu pai. "O OVNI fazia um "S" no céu assim, ó!" O Fábio toma todas e o Fiuk que fica doidão? Ao lado do Fábio, o máximo que ele ia poder ver era calcinha usada!
Juju do Pãnico deu selinho no Vin (óleo) Diesel e agora panicat virou sinônimo de mulher-toda-pronta-pra-pegar-qualquer-gringo-que-passar.
Caio Castro está com o braço engessado porque o quebrou enquanto esquiava em uma estação de esqui nos Estados Unidos. E ai você se pergunta: "E EU COM ISSO?"
O reconhecimento público de que a linda Catherine Zeta-Jones sofre de trastorno bipolar foi bem recebido por grupos de saúde mental porque consideram que a atitude ajuda a combater o estigma associado à doença. Apoiadíssimo. Transtorno Bipolar é uma coisa séria e precisa ser tratada! Sem piadas a respeito, por favor!
Daniel Bueno, modelo e vencedor do reality show daquele canal que prefiro não dizer o nome disse em entrevista ao UOL que o affair com a atriz Paloma Bernardi foi só "um lance de Carnaval". Ou seja, chamou a outra de bagaço e não tá nem aí.
E você quer saber mais o quê? Pergunta pro Marco Aurélio que o post de hoje é uma homenagem à este meu amigo babadeiro que eu adoro!

sábado, 16 de abril de 2011

Smile


Smile though your heart is aching
Smile even though its breaking
When there are clouds in the sky, you'll get by
If you smile through your fear and sorrow
Smile and maybe tomorrow
Youll see the sun come shining through, for you

Light up your face with gladness
Hide every trace of sadness
Although a tear may be ever so near
That's the time you must keep on trying
Smile, what's the use of crying?
You'll find that life is still worthwhile
if you just smile

That's the time you must keep on trying
Smile, what's the use of crying?
You'll find that life is still worthwhile
if you just smile

Charles Chaplin foi um dos maiores artistas do século 20. E até hoje ninguém conseguiu comover platéias com a mesma intensidade.
O post de hoje é dedicado ao meu querido amigo António Rosa.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Alex Marte

Abandonou a carreira de "fitness model" para virar ator pornô. A torcida do Fluminense agradece e mais ainda o Fred, já que o moço, ops, o post hoje é pra ele.
Ok, o moço se ele quiser também.

Nem toda causa está perdida


Pessoas que reclamam demais

- Boa noite.

- Boa noite.

- Diga seu nome e conte sua história.

Ele ficou um pouco constrangido com todas aquelas pessoas ao seu redor e começou.

- Me chamo Enjoado. Eu tenho 20 anos. Moro com minha mãe e irmã. Eu nem sei se tenho um problema mesmo, mas decidi vir aqui porque estava me sentindo triste desde o dia em que pararam de me ligar. De início, eu até achei bom. Eu sabia que não daria em nada mesmo. Até que bateu a carência, a depressão. Nessa hora, eu me apeguei nos meus amigos. Dizem que meus papos estão meio chatos, que eu só ando choramingando pelos cantos e pelas bordas, repetitivo. Eu juro que parei de falar disso. Juro. Meus amigos também pararam de me ligar, quase todos, e nunca mais me chamam pra noitadas porque eu sempre acabo bêbado mandando SMS pra qualquer um. De início, eu fiquei meio desesperado. Mas eu sabia que eu devia entrar no bate-papo da UOL e tudo melhoraria. Adicionei quatro pessoas que querem ver o que rola. Todas me bloquearam quando viram minha foto no MSN. Eu não quero reclamar, não. Mas às vezes parece que as coisas só dão errado comigo. Até ontem, eu tinha uma amiga. A única que tinha sobrado. A gente bebia, enchia a cara e terminava a noite com cara de choro, cheiro de cigarro e a boca toda engordurada da batata com calabresa ou do frango a passarinho que a gente dividia. Ela também parou de me ligar. Hoje à noite eu não tinha nada pra fazer. Nada. A não ser a garrafa de vinho, os nuggets na geladeira pra fritar e o episódio de Glee. É, o último. De repente notei que preciso de ajuda. Ainda há tempo pra mim?

Antonio de Castro, Lost Cause, 30 de julho de 2010. Um amigo querido que apareceu, sumiu, reapareceu, e do seu jeito ímpar se faz carinhosamente presente. Hoje o post é para você meu caro e compartilho com todos um pouco do seu talento.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Benditas palavras bem ditas

Benditas ideias que me cutucam, pedem
pra nascer e não me deixam dormir!

Fernand's

Caríssima que a cada post nos surpreende com sua beleza. Hoje a homenagem é pra você. E que sejam sempre benditas tuas palavras.

terça-feira, 12 de abril de 2011

Dia do Beijo

Amanhã é o Dia do Beijo (todo dia é dia de alguma coisa nesse mundo, devia ter o dia do peido, se bem que nem duvido que não tenha hahahahaha mas enfim beijar é bom e quem não gosta?) Então todo mundo correndo pra beijar o amor ao lado e quem não tem que arrume logo um ou então beije a mãe.
Porque comigo é na base do beijo e o post de hoje é dedicado aos fofos do DPNN!

Sangue Latino


Homenagem para meu querido Thiago, sempre presente com seu entulho musical!

Jurei mentiras
E sigo sozinho
Assumo os pecados
Os ventos do norte
Não movem moinhos
E o que me resta
É só um gemido...
Minha vida, meus mortos
Meus caminhos tortos
Meu Sangue Latino
 Minh'alma cativa...

Rompi tratados
Traí os ritos
Quebrei a lança
Lancei no espaço
Um grito, um desabafo...
E o que me importa
É não estar vencido
Minha vida, meus mortos
Meus caminhos tortos
Meu Sangue Latino
Minh'alma cativa...

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Nublado


Sonhamos em construir os nossos castelos de sonhos,
mas eu particularmente tenho fugido deles, tenho assumido uma outra posição:
mais cética, mais objetiva.
Porém, como não conseguimos esconder quem somos por muito tempo,
lá estamos nós, entregues aos nossos sonhos e anseios.
Dessa vez um modo mais suave, menos exigente e mais distante eles existem e povoam meus pensamentos.

Ontem, o tempo não fechou a toa. Era um aviso.

Já recebi esse aviso outras vezes e ao mesmo modo prometi a mim que nunca desistiria de tentar.

Hoje tudo amanhece mais real, porém mais cinza, mais monótono e mais pobre.

Ainda sim existe sempre um dia a amanhecer e uma nova chance de ser feliz
.

Por S.A.M.

Um dia nublado, mas muito feliz e como não poderia deixar de ser, tão feliz como o dono deste texto, o padrinho do blogue e um dos amigos mais queridos que eu tenho. Afinal, quem não gosta do moço bom sujeito não é!

domingo, 10 de abril de 2011

I'll be there for you

Ao longo destes três anos muita coisa mudou. Eu mudei então o blogue mudou junto e tanto que até apelido ganhou. O carinho depositado aqui só aumentou ao longo do tempo. Este mês nao é dedicado ao JeD, mas sim a vocês que fazem ele ser o que é. Alguns se foram outros ficaram e ficaram porque se tornaram amigos. Amo vocês.


sábado, 9 de abril de 2011

A Partida


Um dos mais belos filmes japoneses, vencedor do Oscar em 2009. Impossível não se emocionar.
Post dedicado ao meu querido Alexandre Mauj que mora longe, mas não distante dos corações que o amam...

Um certo olhar (do Russel Crowe)

   Post dedicado ao meu querido Marcos, que possui um certo olhar sobre vários assuntos e é acima de tudo, um grande amigo.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Desfolhada


Para meus amigos d'além mar, São, JotaSP, e Paulo, um vídeo que diz muito não apenas a eles, mas a mim também.

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Pausa

Sem ter o que dizer deixo aqui meu lamento pelo triste ocorrido hoje no Rio e que nossos corações possam estar com aquelas crianças que hoje deixaram de sorrir.

Eu mesmo

Eu não sei escrever,
apenas rabisco palavras
soltas
que expressam parte
do que sou,
porque o que sou
na totalidade
guardo para
mim.

Wanderley Elian

Meu querido Wanderley posta textos dele ou de outros em seu blogue, mas todos sabiamente escolhidos. Difícil escolher apenas um, mas acho que este sintetiza o que muitas vezes gostaria de dizer aqui. Uma pequena justa e digna homenagem à este que sabe como ninguém rabiscar palavras, cuidadosamente. Carinhosamente.

terça-feira, 5 de abril de 2011

O JeD por CAIN SODOM!

O querido CAIN SODOM, disse que o JeD "é aconhegante e um lugar que dá muita vontade de voltar" e segundo ele, estes videos retratam bem a cara do blog. Obrigado querido. Você faz parte dele também!

 A música é forte e cheia de suspense, é dramática e tem muita vida. Assim como filmes e quadrinhos. 

Blade é cinema e quadrinhos!

Matrix é cinema!

Um clássico!

Outro clássico!

segunda-feira, 4 de abril de 2011

O Justo Dia Digno Em Que Conheci Serginho Tavares

Eu não lembro o dia exato, nem mesmo como acabei aportando nesse espaço. Sei que, assim como sempre é nesses contatos virtuais, de link em link cheguei até aqui, li, gostei, comentei. Mal sabia eu que dessa gentileza entre blogayros nasceria uma amizade.
E, você bem deve saber, amizades são assim. Um papo casual, uma piada, uma risada, quando se vê... PUFT! Aquela pessoa já faz parte da sua, compartilha segredos, ri das mesmas besteiras.
Serginho Tavares era o meu amigo virtual mais presente, mais real. Ele acompanhou meu primeiro namoro, minha paixão avassaladora, meus textos açucarados e meus poemas de amor. Ele viu tudo desmoronar e, assim como todo bom amigo, tomou partido e me acolheu sempre que foi preciso. Foi o Serginho quem conheceu primeiro o meu segundo namorado (com detalhes de como tudo havia começado) e acabou virando amigo dele, fã de carteirinha. Foi o Serginho quem me deu colo e ombro amigo depois que essa história também chegou ao fim e que eu segui minha vida, sozinho.
O que eu não imaginava é que teria a oportunidade de vê-lo, abraçá-lo, beijá-lo e sentir na pele o seu ciúme de amigo. Mas, a vida é assim, e quando me vi, estava indo ao seu encontro. Uma série de fatores me levaram ao Nordeste, à sua cidade e lá marcamos de nos conhecer.
Lembro-me como se fosse hoje da tarde agradável caminhando pelo calçadão, do lanche no shopping, dele emburrado com o meu jeito despachado e insensível, de me sentir trocado pelo amigo que me acompanhava. Lembro com carinho da forma com que fui acolhido e pude tornar real o que era apenas virtual.
Serginho Tavares, o cara do Justo & Digno. Serginho Tavares, o meu amigo.
Assim, nada mais natural que nessa data tão emblemática (orgulho de alguém conseguindo manter por três anos um blog com tanto conteúdo) eu estar aqui, rasgando seda pra esse velho e bom amigo.
Serginho, sou seu fã. Serginho, sou seu amigo!
E sei que isso não se agradece, por isso, respire o elogio: obrigado por tudo, seja lá o que isso signifique!

Autor, do Confissões a Esmo.

domingo, 3 de abril de 2011

Kellan Lutz : Calvin Klein X Underwear


E o post de hoje é dedicado à dois meninos do Centro, Centro-Oeste: Goiano e Arsênico. Porque fazer sucesso não é fácil e eles fazem!

sábado, 2 de abril de 2011

O café do Edu


Vamos todos cantar com o Café Concreto, ops, Seleto e relembrar os bons tempos que não voltam mais. Post dedicado ao meu ursão preferido, Edu, que assim como todo mundo mudava a letra. Edu é um exemplo que deve ser seguido, pode ter saudades do passado, mas segue em frente. Sempre!
Eu te adoro meu amigo.

E agora vamos todos cantar? 
"Depois de um pesadelo, a gente levanta, toma aquele tombo, e quebra os dentinhos... Na hora de tomar café, é o Café Concreto, que a mamãe prepara, xingando os vizinhos... Café Concreto tem, gosto de palmito, que provoca 'Vumitu', é o Café Concreto, Café Concreto..."

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Para de Graça!

Hoje é dia da mentira, mas o que vou contar aqui não é. O JeD fará três anos semana que vem e teremos então um mês de festa aqui com posts maravilhosos!
O post de hoje é uma referência ao primeiro comentário que o blogue teve: "Ahaza bee... Detona mesmo todos no top 10. Quero ver discórdia e baixaria nesse blog!! XD"
Discórdia e baixaria mesmo nunca teve por aqui, ao longo deste tempo surgiu muito carinho, amigos, (a lista é grande) encontrei amigos o amor (ai, ai) e pra mim sucesso são vocês! Ten ho imenso carinho por este blogue, já tive vontde de parar mas vocês são maiores que tudo e trouxeram de volta meu prazer em voltar a escrever aqui e as coisas foram se ajeitando.
Então para começar a nossa série de homenagens ao JeD e consequentemente à voces todos, vai aqui um presentinho pro Leandro, o dono do primeiro cometário que vocês leram acima, o moço é obcecado por homens, filmes, séries, homens, games, músicas, homens e o Andrew Garfield.
Vem, gente, que a festa é minha, é sua, é nossa! Com violinos ao fundo, mwah!