terça-feira, 31 de maio de 2011

Estas e outras vocês leem aqui (e por ai também!)

Marcos Mion será processado por homofobia. Durante seu programa ele disse que Nany People "tem surpresinha" e depois perguntou "o que ela fazia com o pacote na hora do banho."
Mauricio Mattar perdeu papel em novela por estar fora de forma e agora vai se concentrar na carreira de música. Socorro!
Senado aprovou plebiscito para criação de novo estado, Tapajós. A Câmara já havia aprovado o mesmo para criação de Tapajós e Carajás, mas o primeiro ainda precisava ser aprovado pelo Senado. Se o plebiscito for favoravel à criação dos novos estados, a divisão ficará assim.
Patrick Dempsey deixará Grey's Anatomy.

Enfim,

a discussão sobre a legalização da maconha ainda vai dar muito pano pra manga, eu particularmente penso que a educação é a salvação da lavoura. Assim como bem disseram Edu, Ciello, Braccini e Marcos. Sobre ser contra ou a favor eu tendo a pensar como o Ciello. Ainda não é possivel tanta evolução no Brasil? Se ainda se discutem se deve ou não deve existir um beijo gay numa novela boba como podemos pensar em legalizar a maconha? Estas perguntas precisam ser respondidas, mas para isso precisamos de mentes brilhantes, mas estas só existirão em um país civilizado. E não existe país assim sem os preceitos básicos de educação. Não podemos comparar e nem tampouco trazer o modelo já existente na Holanda sem antes educar nosso povo.

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Sim ou não?

Ontem o Fantástico fez uma reportagem acerca da legalização da maconha e pediu para as pessoas votarem se são contra ou a favor. Mas eu gostaria de saber de vocês, o que dizem a respeito? São a favor ou contra da legalização da maconha? Deixem suas respostas, vamos debater o assunto.

sábado, 28 de maio de 2011

E ai? Você sabe o que está perdendo?


Quem nunca comeu não sabe o que tá perdendo, dica da Ana Maria a gente não deve menosprezar!
Vou dedicar este post ao Melo e ao Wans (piada interna)

sexta-feira, 27 de maio de 2011

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Algumas coisas que já passaram, mas não podia deixar de contar

O Festival de Cannes já terminou dando a Palma de Ouro para o filme do Brad Pitt, A Árvore da Vida, aquele mesmo que foi vaiado pelo público quando exibido, mas o melhor mesmo ficou com o beijo de Ryan Gosling em Nicolas Winding que recebeu o prêmio de melhor direção pelo seu trabalho em Driver que sabe se lá quando estreia por aqui. Alinne Moraes esteve por lá, mas ninguém viu.

American Idol terminou ontem e eu não vi. Mas sei quem venceu. Assisi a praticamente quase todos os episódios, mas como meus preferidos não chegaram a final, perdi o interesse. Sinceramente não achei justo no meio de tantos grandes talentos que passaram este ano, a final ter sido com os dois concorrentes mas sem graça de todos os tempos!

A segunda temporada de Glee terminou. E agora há um programa chamado The Glee Project em que mostra os bastidores de atores pleiteando uma vaga na série. Um brasileiro está entre os participantes.

Antonio Banderas esteve na Ana Maria Braga cozinhando. O motivo da visita dele ao país é pra divulgar seu novo perfume. Filme que é bom...

Danilo Gentili fez tanta confusão por ai que o novo programa dele na Band pode nem sair. Primeiro é a falta de convidados que se recusam a participar e segundo é a falta de patrocínio. Quer saber? Bem feito! Gente mal educada merece uma lição!

Minha sister voltou à blogosfera renovada, venenosa e gostosa como sempre, o fofo do SAM está de parabéns comemorando 500 closes, o Fred é um gatão e o lindo do Dill Santos está concorrendo ao Top Blog, votem nele.

Tenho me divertido horrores no facebook e mais ainda quando uma turma de pervos do bem se reune (ou seja Alexandre Melo, Wans, Paulo Braccini, Marco Aurélio, Elton Arsenio, Glauco Silva e Marcia Silva tem feito meus dias felizes).

Beijão pessoal!

domingo, 22 de maio de 2011

Renato Orlandi, O Ausente, Parte II

Continuando a segunda parte da entrevista com o nosso querido Renato Orlandi, aqui ele nos revela ainda mais sobre si mesmo e do momento apaixonado em que vive.

Serginho Tavares:
Então, quando foi sua primeira vez?
Renato Orlandi:
Minha primeira vez é algo difícil de responder, porque eu fiz cada coisa com um cara diferente, então depende do que você considera primeira vez. A maioria das coisas, fiz com um cara em Minas com 13 anos, éramos amigos héteros, assistíamos Emanuelle na Band e entre muita masturbação rolou, mas eu já tinha feito sexo oral antes disso com outro amigo em comum, acho que tinha alguma fama pelo bairro, não sei.
Serginho Tavares:
Não sabia que era de Minas.
Renato Orlandi:
Eu nasci aqui, mas passei minha infância perdida lá.
Serginho:
Em que lugar de Minas?
Renato Orlandi:
Uberlândia, no triângulo mineiro, e o cara que eu tinha um namoro héreto era de Goiás, mais um fetiche, por goianos, rs. Eu tenho para mim que todos são fortes e bem dotados hahaha
Serginho Tavares:
E amor? Quando fez amor pela primeira vez?
Renato Orlandi:
Eu gostava bastante desse amigo hétero, era uma amizade bem diferente, bem tranquila, com penetração, quando eu fui embora de Minas ele não quis se despedir, mas apareceu no último momento, horas antes de sair o caminhão e me deu um abraço bem forte, duraroudo, só isso, não disse nada... Ainda não sei se o amei, é confuso, mas amor, amoooooor, mesmo fui fazer só com meu primeiro namorado oficial, de aliança e chuca, aqui em São Paulo, muitos anos depois.
Serginho Tavares:
Já frequentou saunas? Cinemas?
Renato Orlandi:
Nunca frequentei saunas e nem cinemas, mas tenho vontade, para conhecer, para saber como é, assim como foi minha vontade de conhecer baladas,por exemplo, inclusive tenho amigos em comum contigo que podem indicar, blogueiros. Mas agora que estou namorando essa lado está mais tranquilo, estou completo com ele na parte sexual, é bom deixar isso registrado senão eu apanho em casa!
Serginho Tavares:
No seu blog, você já deixou claro que sexo virtual é algo que costumava fazer. O que diz a respeito?
Renato Orlandi:
Eu costumo ainda, às vezes, a vantagem é que é bem rapidinho, para os outros principalmente. Quando eu usava o disfarce de Tasha, os homens gozavam muito rápido na webcam ou mesmo com a coisas que eu escrevia. Apesar de não ter [eca] os órgãos das mulheres eu tenho boa imaginação de como eles podem funcionar e por ser mais prático dá para ver vários na mesma noite, ter vários parceiros, conhecer várias pessoas. Cheguei a fazer disputas comigo mesmo. A desvantagem é a falta de contato físico, de clima, química e tudo mais, mas é divertido quando não se tem nada para fazer. E eu aprendo também a usar minha webcam, para onde virar, que lado é mais bonito em mim, isso aumenta minha performance em lugares como Motel, onde tem espelhos por toda parte, é bom exercitar. Acho super válido, é uma troca interessante, exercito minha criatividade para escrever contos eróticos, rs, não é algo que deve substituir ou se trnasformar em muleta para falta de auto estima ou vergonha de contatos reais, porque isso é muito fácil de conseguir também, é só um passatempo gostoso.
É incrível como temos uma sensação de vitória quando o cara goza né, eu dava pulos na webcam de alegria, às vezes ficava triste, pensava "precoce", as vezes fazia amigos só para isso, nos encontrávamos várias vezes por semana para nos mostrar na webcam, esses são os melhores, dá trabalho caçar, o famoso "foda virtual fixa", rs.
Serginho Tavares: 
Só um momento, vamos voltar um pouco, fale mais sobre esta Tasha que você se referiu.
Renato Orlandi:
Falo sim, até já confessei sobre a existência dela. Explico, a Tasha foi uma personagem que eu criei para ver os homens na webcam quando eu não tinha muita segurança de mim mesmo, antes de namorar, antes de me assumir, então eu peguei fotos de uma Miss Universo dos anos 70 e fingi ser ela nas salas de bate papo. Incrível que um homem excitado numa sala de bate papo acredita em qualquer papinho, às vezes eu dizia que era modelo, as vezes médica, advogada... Tasha já foi tudo, era minha forma de brincar de Barbie, Tasha já foi loira, morena, travesti, ninfeta, coroa... Conheci muitos homens com ela, mostrava as fotos, eles abriam a cam e eu ficava escrevendo, em 3 linhas gozavam. Mas essa história me fez pensar bastante nas coisas reais da vida, me fez crescer muito. Primeiro porque alguns caras se apaixonavam, quer dizer, pela minha alma [as coisas que eu escrevia] e não pela aparência. Eu vi quantas oportunidades perdemos por esse tipo de julgamento e segundo porque eu cheguei a pensar que os enganava de certo modo. Mas depois coloquei na minha cabeça que não era bem assim, descobri isso quando me assumi também. Muitas vezes as pessoas procuram pode determinadas situações, procuram ver somente o que querem por mais que a verdade esteja na cara. Quantas vezes eu tentava ser Tasha e dizia coisas no masculino ou cometia outras gafes e nada de perceberem, houve muito xingamento também, mas aprendi a dar o que as pessoas querem, houve inclusive um cara que quis namorar comigo depois de saber de toda a verdade!
Com o tempo eu descobri que ser eu mesmo na cam era bem mais vantajoso, primeiro porque eu poderia me mostrar também e segundo porque eu me sentiria desejado pelo que eu sou, pelo meu corpo e minhas próprias peripécias, então Tasha foi morrendo ou então fazendo parte de quem eu sou. Sem essa divisão toda, talvez meu lado gay/trava tenha muito de Tasha. Eu percebi que não preciso viver duas vidas separadas como minha mãe pediu no momento em que me assumi, entao o Rê e a Tasha viraram uma só pessoa.
Outro deltalhe: Tasha vem de Anastacia Beaverhausen, personagem do seriado Will & Grace. A Karen quando queria usar codenome usava esse
Serginho Tavares:
E você já viu muitos blogayros na webcam? Gozou muito com eles?
Renato Orlandi:
Dá para contar com as 2 mãos!
Serginho Tavares:
Então você faz mesmo sucesso na blogosfera!
Renato Orlandi:
Eu não sei, tenho muitos amigos, muitos casos, peguetes, "segundas mães", pessoas que vejo como irmãos, pessoas que estudaram comigo, enfim.... é bem variado.
Serginho Tavares:
Prefere ser ativo ou passivo?
Renato Orlandi:
Eu tenho duas respostas para esta pergunta, a primeira é que "eu prefiro não perder o cliente". Não a ponto de chegar no discurso de "meu prazer é te dar prazer" para o inferno com isso, mas acontece que eu não tenho realmente problemas com "o que fazer" na cama. Eu adoro as preliminares como todo mundo, mas também odeio o discurso que exalta demais essa parte, a verdade é que com algumas pessoas eu prefiro ser ativo e com outras passivo, então por exemplo, se eu encontrar um homen negro [meu fetiche], bem alto, ursão, do tipo segurança de buati, musculoso, peludinho, óbviamente que eu vou querer ser passivo, minha voz fica até mais fina só de pensar na imagem hehe. Agora quando eu vejo um minininho colegial, depiladinho, novinho e tal me dá um negócio meio animal, eu tenho que ser ativo com ele sabe? É por ai.
Essa é a primeira resposta agora a segunda é quando envolve sentimento. Eu realmente acredito que quando você está com alguém que ama, num relacionamento, talvez até com o tempo, essas definições desaparecem, o sexo se torna maior que tudo isso, se torna outro tipo de troca, o prazer, o momento, isso conta mais, então se torna indiferente pensar em quem vai virar e quem vai comer entende? As coisas fluem de outra forma.
Essa é a vantagem de ser gay. Quem não aproveita disso ou não sabe, ou nao consegue ser ativo e passivo. É limitado sexualmente para mim, tem algum problema, alguma coisa que o trava, algo que tem que trabalhar. Tem pessoas que namoram sem penetração, isso é o que? Medo? Eu respeito, mas acho estranho, é tudo questão de conversar, de tempo, de respeito. As pessoas confundem sexo com dominação fora da cama, quem fala mais grosso, que come, quem paga, existem muitas coisas em jogo.
Serginho Tavares:
Em algum momento de sua vida você viu o sexo como algo sujo ou isso sempre foi tranquilo pra você?
Renato Orlandi:
Uma vez eu vi o sexo de forma suja quando passou um vídeo sobre estupro na escola.
Serginho Tavares:
Já fez sexo com mais de uma pessoa ao mesmo tempo? Se fez como foi? Com quantos? Pretende repetir ou se nunca fez, tem vontade?
Renato Orlandi:
Eu já chupei dois caras ao mesmo tempo e no mesmo lugar, os dois amigos de Minas. Significou mais para mim do que para eles, claro hehehe, tenho vontade de fazer a 3, mas com pessoas bem desencanadas, não quero comer 2 ou ser comido pelos 2. Quero algo realmente a 3, um troca-troca geral, sempre tive essa vontade. Menos trenzinho, já vi isso em filmes e não rola mesmo!
Serginho Tavares:
Já fez chuva dourada? Já passou cheque?
Renato Orlandi:
Não e não, sou enfermeiro meo beeem, me cuido bem antes disso ser moda. Claro que as coisas se aprimoraram com o tempo, mas isso é outra história.
Serginho Tavares:
Qual sua fantasia erótica? Seu fetiche.
Renato Orlandi:
Então, fetiche, fetiiiiche eu não tenho, mas existem algumas coisas que me dão tesao ou que eu tenho vontade, mas eu não sei se são fetiches, como por exemplo, tenho tesão em homens negros, tenho tesão em bermudas brancas, em cuecas boxer, em camisas verdes, em correntinhas de qualquer tipo, além de bombeiro e marinheiro por algum motivo. É que eu ando muito de branco, muitas vezes tem policiais nos hospitais onde eu fazia estágio, entao eu não tenho fetiche: eu SOU o fetiche hehe. Realizei meus fetiches já, rs, como fazer sexo no horário de estágio com médico residente e assim por diante.
Serginho Tavares:
Já teve vontade de frequentar uma praia de nudismo?
Renato Orlandi:
Nunca fui, mas ficaria a vontade, sem problemas, coisas da área da saúde, perder essa vergonha do corpo, das coisas naturais e normais da vida.
Serginho Tavares:
Se pudesse mudar algo hoje em você o que mudaria?
Renato Orlandi:
Eu  mudaria meu status profissional para empregado hehe. Eu passei num concurso mas nem todos que passaram foram convocados de imediato. E eu não quero ficar esperando, do contrário a frustração vai tomar conta.
Serginho Tavares:
Para terminar, o que diria para as pessoas que te leem e te admiram?
Renato Orlandi:
E eu nem vou falar do meu bofe escândalo? Tem gente que vai se cortar de inveja!
Vou falar mesmo assim, já que essa entrevista é algo novo eu vou responder sem ter pergunta, só quero dizer que o amor é realmente possivel, existe e está lá, eu sempre acreditei que existia alguem sendo preparado pela vida para ser o cara perfeito para mim, mas sempr ecom desconfiança, sempre algo platônico ou conto de fadas, mas encontrei esse homem, estou amando muito, estou super feliz, realizado, completo de verdade, como nunca havia me sentido antes com nenhum outro, temos muitas afinidades, muita química, é algo avassalador, indescritível, a familia dele aceita em termos, estamos muito bem
Agora respondendo a pergunta, em primeiro lugar espero que as que leiam sejam as mesmas que admiram. Isso é difícil, mas para essas pessoas eu digo que minhas opiniões são fruto das minhas experiências e que estou em constante transformação, sou um ansioso por natureza, nem sempre tenho paciencia para algumas limitações alheias e sei que quem gosta realmente de mim consegue enxergar e entender isso de uma forma menos agressiva, para as pessoas com essa sensibilidade desejo que se tornem cada dia mais próximas a mim, é essa minha intenção, e aos demais só posso dizer que sei que admiram minha coragem apesar de tudo.

Dica do JeD:

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Eu quero!

A série The Walking Dead, inspirada na HQ de Robert Kirkman é tão boa que virou jogo de tabuleiro. Uma boa dica para quem ainda não sabe o que me dar de presente de aniversário, dia 26 de junho.
O objetivo de jogo é lidar com zumbis, procurar mantimentos e tentar reorganizar suas vidas como um dos humanos sobreviventes. 
Achei supimpa!
Quanto a série, a segunda temporada vem ai e a produção está selecionando figurantes, homens e mulheres de 18 a 60 anos, para aparecer como zumbis na 2ª temporada. Basta estar em Atlanta e ter experiência na área. 
Só não entendi se a tal experiência é como zumbi ou figurante... 

A Felicidade Não Se Compra

O mundo hoje anda cada vez menos esperançoso, por isto indico a todos que ainda acreditam no ser humano este filme estrelado por James Stewart que se estivesse vivo estaria fazendo hoje 103 anos. Porque se tem algo que não se pode comprar ainda é a felicidade, mesmo muita gente achando que pode!
Beijos no coração de todos vocês, seus lindos!

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Jogadores do Milan fazem bonito!

Robinho
Alexandre Pato
Kevin-Prince Boateng
Zlatan Ibrahimovic

Os jogadores do Milan posaram para a grife Dolce & Gabbana e as fotos serão publicadas em um livro que terá sua renda revertida para projetos sociais.

Persona non grata

Lars Von Trier é um realizador fabuloso e não estou aqui para contestar seu talento, mas ser um excelente profissional não o impediu de ser estúpido com declarações imbecis na conferência de imprensa de seu mais novo filme. Resultado? Foi merecidamente banido do Festival de Cannes.
Bem feito!

terça-feira, 17 de maio de 2011

O dia em que deixamos de ser doentes

Há exatos 21 anos a Organização Mundial de Saúde (OMS) retirou o homossexualismo da lista internacional de doenças. Não há muito tempo o mundo todo, até os países mais liberais, lidava com a questão da opção sexual como caso de saúde pública.
Em 1886, o sexólogo Richard von Krafft-Ebing listou a homossexualidade e outros 200 estudos de casos de práticas sexuais em sua obra Psychopathia Sexualis. Krafft-Ebing propôs que a homossexualidade era causada por uma "inversão congênita" que ocorria durante o nascimento ou era adquirida pelo indivíduo.
Em 1952, a Associação Americana de Psiquiatria publicou, em seu primeiro Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtorno Mentais, que a homossexualidade era uma desordem, o que fez com que a opção sexual fosse estudada por cientista, que acabaram falhando por diversas vezes ao tentarem comprovar que a homossexualidade era, cientificamente, um distúrbio mental. Com a falta desta comprovação, a Associação Americana de Psiquiatria retirou a opção sexual da lista de transtornos mentais em 1973.
Em 1975, a Associação Americana de Psicologia adotou a mesma posição e orientou os profissionais a não lidarem mais com este tipo de pensamento, evitando preconceito e estigmas falsos.
Porém, a Organização Mundial de Saúde incluiu o homossexualismo na classificação internacional de doenças de 1977 (CID) como uma doença mental, mas, na revisão da lista de doenças, em 1990, a opção sexual foi retirada. Por este motivo, o dia 17 de maio ficou marcado como Dia Internacional contra a Homofobia.
Mas, apesar desta resolução internacional, cada país e cultura trata a questão da homossexualidade de maneira diferente. O Brasil, por exemplo, por meio do Conselho Federal de Psicologia deixou de considerar a opção sexual como doença ainda em 1985, antes mesmo da resolução da OMS. Por outro lado, a China tomou a atitude apenas em 2001.
O mundo todo caminha para compreender a opção sexual apenas como uma opção individual e não um problema de saúde. O desafio continua nas culturas de rejeição ao direito de opção sexual, com o preconceito chegando, inclusive, à condenação penal.

Fonte: Por Fábio Santos do Terra

sábado, 14 de maio de 2011

Os Melhores da Semana: Chupa que é de Uva!

Todos vocês sabem que adoro homenagear as pessoas queridas e nada mais legal que criar um prêmio para todos vocês que brilham na blogosfera, o Prêmio Chupa Que É de Uva, escolheu através de um seleto juri, eu mesmo, os melhores dos melhores dos melhores, algo difícil porque felizmente todos vocês do lado esquerdo do blog são merecedores, provando porque essa joça pode até nos deixar na mão mas a gente sublima e arraza! Inclui apenas alguns e não fiquem tristes se não lerem seus nomes ai, vocês já ganharam o Prêmio To Nem Ai e Caguei Ever Pra Isso!

Os vencedores:

Melhor Post A moça Que Veio de Longe: São por Devaneios
Melhor Post Batman, O Retorno: Bombom Assassino por Feitiço
Melhor Post Bigger Longer & Uncut: Ser Feliz é Ser Livre por Você é Homofóbico?
Melhor Post de Blogueiro Amigo e Gostoso Que Escreve Pouco Quando Ta Namorando: Confissões a Esmo por Café
Melhor Post Com Foto do Blogueiro Querido: Dil Santos por Respeito! Até onde ele vai?
Melhor Post Dentes Incisivos: Bem Ditas Palavras Bem Ditas por Bolsonaro, aproveites a oportunidade!
Melhor Post Do The Bucetinha: Ramsés Século XXI por Falta Coragem
Melhor Post Chic Trés Bien: Enthulho Musical por TOCA RAULLL!!
Melhor Post Dá licença que eu vou à luta: O Humberto Explica por eu tenho um blog e eu posso
Melhor Post Dancing With Myself: Naipes Flamejantes por Noite
Melhor Post Eu Posso Meu Bem: Um Certo Olhar por a história das bolsas
Melhor Post Faceiro: Jornal Afogando o Ganso por Mandinga de Crioula
Melhor Post Fast Love: Fast Love por Let me blow ya mind
Melhor Post Fofo: Lost in Japan por Red Mauj Te Dá Asas: Meus Hóspedes Voadores
Melhor Post Hot: Forever Young por Apreciem com moderação! E se beber não dirija!
Melhor Post Imagens Que Fazem Refletir:  Blogy do Mans por Fotos de quinta
Melhor Post Isso Aconteceu Comigo: Confessium por Sem Emergências
Melhor Post Linda Semana: Lua dos Gatos por Cartas que nunca li
Melhor Post Mamãe Eu Quero Mamar: Identidade G por 'Gongado' no Dia das Mães
Melhor Post Mi Mi Mi: Quer Saber o Que? por nada. Como ele vai ficar choramingando já ganhou por antecipação.
Melhor Post Movielândia: Bewilde por Na toca do Coelho
Melhor Post Não Preciso Dizer Nada: R. Divino
Melhor Post no FB: Pampublikong por Sexta-feira 13
Melhor Post Planet Hemp: Nosso-Cotidiano por Maconha: é hora de legalizar?
Melhor Post Uhhuu: Glaukitos por Don't Stop Party
Melhor Post Politicamente Correto Até Debaixo D'Água: Fora do Armário por Arnaldo Jabour sobre Bolsonaro
Melhor Post Reflexão Balzaquiana: Passageiro do Mundo por A Idade do Sucesso
Melhor Post Rocky Horror Picture Show: Uivos do Além por Creatures of the night
Melhor Post Se Segura Malandro: Que foi blog? por A primeira enciclopédia virtual gay do mundo
Melhor Post Sexta Feira 13: Cova do Urso por Quem é Jesus?
Melhor Post Sobre a Morte da Lacraia: Dois Perdidos Na Noite por Vai Lacraia! 
Melhor Post Sobre a Morte do Osama: Num Cantinho Escuro por As teorias
Melhor Post Socioeducativo: Afternonsense por BLOOSTER
Melhor Post Tô Passada: SAM, O Close por Bitches
Melhor Post Te Dedico: Intemporal
Melhor Post Verdades Que Ninguém Aprende: Rh do Inferno por Verdades da Vida
Melhor Post Videos Que Nos Dizem Muito: Caiu no Poço por Vem ai...
Melhor Post Vocês Que Mandam: enfim! é o que tem pra hoje... por O Cafofo do Bratz
Melhor Comentario Disse Tudo: Wanderley Elian em Pormenores
Melhor Título de Post: Crônicas Líricas e Saudades por O Caminho das Pedras Brancas
Conjunto da Obra: TPM de Macho

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Frase de Quinta

"Nos sábados antes da corrida, eu sempre faço sexo" 
Felipe Massa ao jornal italiano Corriere dello Sport. 

(Pois é melhor parar porque não está dando certo...)

terça-feira, 10 de maio de 2011

Raoul Bova

Raoul Bova é um ator italiano, mais conhecido por seu trabalhos nos Estados Unidos, sinceramente eu só o conheci por causa do Marcos Freitas e como hoje é o aniversário deste passageiro do mundo nada mais justo e digno que este presentinho.
Ou seria presentão?

Pormenores

 "É monótono escrever sobre esses anos - monótono e pouco seguro. Refiro-me ao período entre os meus treze e dezenove anos. Aconteceram coisas, naturalmente, que me marcaram e modificaram - não que mudasse muito ou me tenha tornado mais requinatada. Que aconteceu? Deixem-me ver se me lembro: escrevi, escrevi sempre, houve melancolia..."

Vita Sackville-West em Retrato de um Casamento de Nigel Nicolson.

domingo, 8 de maio de 2011

Renato Orlandi, O Ausente, Parte I

O entrevistado deste mês anda ausente, sumido mesmo, mas não o bastante para escapar desta entrevista feita há uns dois meses atrás quando ele aparecia eventualmente, E ela rendeu tanto que foi dividida em duas partes. Nesta primeira parte ele se revela um verdadeiro moço de família, Renato Orlandi.

Serginho Tavares:
Como surgiu o blog, porque resolveu confessar tudo na internet?
Renato Orlandi:
Eu sempre gostei de escrever, sempre gostei de Português na escola, de Literatura, apesar de odiar os livros que as professoras mandavam, sempre eram aqueles livros sobre drogas, gravidez na adolescência ou os clássicos que ninguem entende por ter linguagem de 1800 e minha avó de maiô, mas sempre que escrevia era elogiado, desde criança. Ganhei um concurso de literatura (um livro de poesia), comecei a escrever várias histórias como livros, mas fazia a trama muito extensa e me desanimava, mas no final do ensino médio para a faculdade eu era muito ocupado e comecei a me distanciar da escrita e minha leitura passou a ser bem específica sobre os assuntos do cursinho ou da faculdade e depois comecei a namorar até que comecei a me sentir bastante enferrujado, queria voltar a escrever para treinar minha redação mesmo, simplesmente isso, sem motivos de fazer parte de pseudo-comunidades intelectuais de gays ou poetas, nada disso, mas o stopin para que eu começasse o blog foi o término de um namoro, isso me deu a inspiração e a vontade necessária para escrever e desabafar, por mais que eu tenha começado por códigos por assim dizer, poemas e músicas de diversas autorias.
Serginho Tavares:
Como observa esta blogosfera?
Renato Orlandi:
Para mim a blogosfera é um tipo de universo infinito, no qual devemos tomar muito cuidado para não andar em círculos, sobre os assuntos ou temas. Poucos são os lugares de horizontes amplos, então, no meu caso, tenho meu porto seguro, meus blogs de sempre, que são amigos, que falam de homossexualidade, mas também leio blogs que saem dessa zona de conforto, por assim dizer, blogs de poesia, literatura, música, cinema, astrologia, portugueses, ingleses, blogs que não são diários. A blogosfera é uma forma de enxergar o mundo, pelos olhos das pessoas comuns, então tento sempre evitar as panelinhas ou discussões desnecessárias.
Serginho Tavares:
Saindo deste universo, você é assumido perante sua familia e amigos? No caso de sim, como foi se assumir completamente? Você tem uma irmã gay também, como é a relação entre vocês? 
Renato Orlandi:
Sou assumido, nós dois já contamos claramente, palavra por palavra e traduzimos para termos chulos e demos detalhes, mas minha família tem a tradição milenar cristã de viver de aparência, então todos fingem que não sabem, forçam ver o que querem, eu posso sair montado e de peruca a meia noite dizendo que vou ao parque que todos acreditam, mas para chegar a esse ponto não foi fácil, houveram muitas discussões, muito choro, eu estava namorando quando me assumi, contei para minha mãe exatamente no mesmo momento após minha irmã ter se assumido, cheguei onde minha mãe estava e olhando sua cara de choque (até entao sem saber o motivo) despejei minha bomba também. Ela ficou no quarto por alguns minutos, chocada olhando para o nada e depois saiu do quarto igual a menina do filme "O Exorcista", andando de costas pela parede e vomitando jatos verdes para todos os lados. Disse coisas horríveis das quais eu nunca me esquecerei, apesar de me esforçar muito para entender seu ponto de vista, sua criação, as coisas que acredita e até sua frustracao por nao poder ter mais "netos legítimos", uma vez que "ser o primeiro filho homem" significa muito na minha familia. Depois de muito tempo ela começou a aceitar e a dizer isso de forma muito codificada e sutil. Para as minhas amigas me assumi de forma que as chocou também, porque eu gosto de causar. Simplesmente cheguei na faculdade de aliança e disse "estou namorando" e elas super felizes e ansiosas para saber, se eu finalmente tinha "pegado" a menina que desmaiou em cima de mim na semana anterior, perguntaram "quem é a sorturda?". Eu apenas mostrei a aliança por dentro, elas viram o nome de um homem, os sorrisos ficaram amarelos e deram parabéns, mas aceitaram muito bem. Inclusive me ajudaram a superar as frases de efeito de minha mãe como "voce vai terminar drogado e com AIDS, sozinho no muno e jogado numa sarjeta na República, bairro aqui de São Paulo", especifica né? Faltou somente o dia e a hora, isso demonstra quão internalizado estão as coisas, por mais que tenha amigos gays.
Sobre ter uma irmã lésbica é como equilibrar o universo. Eu apanho dela, eu faço os trabalhos de casa e ela conserta as coisas, ela tem a voz mais grossa e eu que uso cremes hidratantes, apesar de ser toda feminina é um saco. Ela que mata as baratas e eu que fico recolhendo os lixinhos que caem do chão sabe? Eu acho que a minha mãe soube criar bem os filhos: fez dois gays, quer coisa melhor?
Serginho Tavares:
E o seu pai?
Renato Orlandi:
E o seu pai?
Ele fugiu quando eu era criança, traiu minha mãe, assumiu outra familia com outras 3 crianças e desapareceu no mundo depois da tentativa inútil da outra mulher tentar devolvê-lo, então considero meu avô como pai, ele nos ajuda muito, em todos os sentidos.
Serginho Tavares:
Você passa a ideia de ser muito apegado a sua família, deve isso ao seu avô?
 Renato Orlandi:
Talvez eu deva isso ao meu pai, depois da separação, ainda em Minas, sem ninguém por perto para ajudar nos unimos muito, minha mãe, irmã e eu, sentimos todos a traição, por mais que não fossemos culpados, ele não traiu apenas minha mãe com outra mulher, ele assumiu os filhos dela e não ligou mais no nosso aniversário, é algo que não entendo, e por mais que seja apenas da conta dos meus pais eu também me senti traído, não posso dizer que ele não tentou, mas quando tudo era muito recente evitávamos vê-lo em suas duas ou três tentativas de aproximação. Isso fez com que eu admirasse muito mais minha mãe, que voltou a estudar, sozinha e trabalhou para não precisar depender de qualquer condição de casamento por acomodação, entende?
Seria mais fácil aceitar a traição depois de 15 anos de casamento do que mandá-lo embora e voltar a estudar e assumir a casa e os filhos, mas ela optou por fazer o certo!
Serginho Tavares:
Como vê o preconceito contra gays hoje em dia? O que falta? O que acha que como cidadão pode ajudar a contribuir?
Renato Orlandi:
Essa é uma questão muito difícil, porque o Brasil tem muitas diferenças e mesmo aqui em São Paulo pude perceber que dependendo do lugar onde se está é visto de determinada forma por ser gay, mesmo dentro da capital onde possui, digamos um "pensamento mais evoluido" existe aquilo da "tolerância" mas não do respeito. No interior as coisas são bem piores e as pessoas bem mais enrustidas, acho que estamos muito atrasados, que temos um longo caminho pela frente e todas as condições de nos tornarmos exemplo nesse assunto, reconheço e vibro a cada pequena vitória, mas sei que isso não significa muito, é algo para ser sentido pela massa, no dia-a-dia daqui a muito tempo, digo isso porque o fato de algumas leis serem aprovadas não vai mudar o fato de eu ser xingado na rua, e só quem já foi xingado na rua entende. Acho que devemos continuar a sensibilizar as massas e tentar contruir um futuro onde a igualdade esteja realmente difundida por todos, mas é uma luta eterna, assim como a das mulhares ou dos negros. Acho que falta educação e respeito.
Sendo bem simples não entendo em que influência aquilo que eu faço na cama para o meu convívio social com as pessoas, mas estamos em evidencia, ninguém reconhece um pedófilo para ficar xingando na rua, ou alguem que gosta de inúmeras esquisitices para ficar batendo com lâmpadas. A população tem que ter um inimigo comum, ainda mais num país sem guerra ou desastre ou epidemias. E eu nem vou falar de religião. Talvez eu seja fobiofóbico. (risos)

(Continua...)

Para as mães que são essa Coca-Cola toda!

sábado, 7 de maio de 2011

Jovani Barreto

Ele ficou no Top 24, mas não prosseguiu no American Idol. Nem achava a voz dele grande coisa mesmo e o motivo dele estar aqui é pra lembrar que hoje tem o show de calouros mais famoso do mundo, sem Simon, mas com J.Lo e Steven Tyler na Sony, às 20 horas.
Ok, o motivo do post nem foi isso, mas valeu como desculpa.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Sabe o Daft Punk?

Então, uma tal orquestra chamada Trinity pegou músicas deles e deram sua versão mais que linda e sinfônica. Eles são da Irlanda, portanto logo ai ao lado da terra da Cate e dizem que a ideia surgiu da direção da orquestra do colégio Trinity, em  fazer o primeiro espetáculo do mundo sem equalizadores eletrônicos de uma banda que é essencialmente eletrônica. Nada mais Justo & Digno ser do Daft Punk não é pessoal?
Eles pegaram músicas do álbum Discovery. “One More Time” e “Around The World” começam mesmo por volta de 1:00. Confiram abaixo o resultado.
Eu amei!

quinta-feira, 5 de maio de 2011

O Canalha!

Acabei de ler no Uol:
Jesse James, ex-marido de Sandra Bullock com nome de bandido do velho oeste, escreveu em sua autobiografia que trair a atriz foi sua única opção.
Ele diz que se sentia preso no casamento com a atriz e que "não tinha como fugir (...) estava desesperado para encontrar algo que me trouxesse algum senso de liberdade (...) pensei naquilo que poderia me dar a sensação de independência. Infidelidade, infelizmente, estava no topo da minha lista".
Jesse James ainda disse que não se sentia bom o suficiente para Sandra, e nunca se convenceu de que ela o amava. 
Mas esperem! Não conheço o casal na intimidade, mas tem uma coisa que eu não achei bacana nesse discurso hipócrita. Dizer que infidelidade estava no topo da lista é muito pra mim. Se ele se sentia assim preso porque não conversou com ela antes? Sandra teve que descobrir através da imprensa os diversos casos de infidelidade dele. E ninguém merece isso!

terça-feira, 3 de maio de 2011

# eu sou gay


"Adriele Camacho de Almeida, 16 anos, foi encontrada morta na pequena cidade de Itarumã, Goiás, no último dia 6. O fazendeiro Cláudio Roberto de Assis, 36 anos, e seus dois filhos, um de 17 e outro de 13 anos, estão detidos e são acusados do assassinato. Segundo o delegado, o crime é de homofobia. Adriele era namorada da filha do fazendeiro que nunca admitiu o relacionamento das duas. E ainda que essa suspeita não se prove verdade, é preciso dizer algo.
Eu conhecia Adriele Camacho de Almeida. E você conhecia também. Porque Adriele somos nós. Assim, com sua morte, morremos um pouco. A menina que aos 16 anos foi, segundo testemunhas, ameaçada de morte e assassinada por namorar uma outra menina, é aquela carta de amor que você teve vergonha de entregar, é o sorriso discreto que veio depois daquele olhar cruzado, é o telefonema que não queríamos desligar. É cada vez mais difícil acreditar, mas tudo indica que Adriele foi vítima de um crime de ódio porque, vulnerável como todos nós, estava amando.
Sem conseguir entender mais nada depois de uma semana de “Bolsonaros”, me perguntei o que era possível ser feito. O que, se Adriele e tantos outros já morreram? Sim, porque estamos falando de um país que acaba de registrar um aumento de mais de 30% em assassinatos de homossexuais, entre gays, lésbicas e travestis.
E me ocorreu que, nessa ideia de que também morremos um pouco quando os nossos se vão, todos, eu, você, pais, filhos e amigos podemos e devemos ser gays. Porque a afirmação de ser gay já deixou de ser uma questão de orientação sexual.
Ser gay é uma questão de posicionamento e atitude diante desse mundo tão miseravelmente cheio de raiva.
Ser gay é ter o seu direito negado. É ser interrompido. Quantos de nós não nos reconhecemos assim?
Quero então compartilhar essa ideia com todos.
Sejamos gays.
Independente de idade, sexo, cor, religião e, sobretudo, independente de orientação sexual, é hora de passar a seguinte mensagem pra fora da janela: #EUSOUGAY
Para que sejamos vistos e ouvidos é simples:
1) Basta que cada um de vocês, sozinhos ou acompanhados da família, namorado, namorada, marido, mulher, amigo, amiga, presidente, presidenta, tirem uma foto com um cartaz, folha, post-it, o que for mais conveniente, com a seguinte mensagem estampada: #EUSOUGAY
2) Enviar essa foto para o mail projetoeusougay@gmail.com
3) E só!
Todas essas imagens serão usadas em uma vídeo-montagem será divulgada pelo You Tube e, se tudo der certo, por festivais, fóruns, palestras, mesas-redondas e no monitor de várias pessoas que tomam a todos nós que amamos por seres invisíveis.
A edição desse vídeo será feita pelo Daniel Ribeiro, diretor de curtas que, além de lindos de morrer, são super premiados: Café com Leite e Eu Não Quero Voltar Sozinho.
Quanto à minha pessoa, me chamo Carol Almeida, sou jornalista e espero por um mundo melhor, sempre.
As fotos podem ser enviadas até o dia 1º de maio.
Como diria uma canção de ninar da banda Belle & Sebastian: ”Faça algo bonito enquanto você pode. Não adormeça.” Não vamos adormecer. Vamos acordar. Acordar Adriele.
— Convido a todos os blogueiros de plantão a dar um Ctrl C + Ctrl V neste texto e saírem replicando essa iniciativa —"

O prazo para enviar as fotos foi prorrogado para o dia 8 de maio. Participem!

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Get Outta My Way


Sem ideia do que postar neste dia de chuva na cidade da lama e do caos, vai esse video como homenagem para mim mesmo, eu mereço, afinal como diz a música, saia do meu caminho, algo bem normal para quem tem sol em Câncer, ascendente em Sagitário e lua em Touro!
Um bom começo de semana para todos vocês