sábado, 30 de julho de 2011

Edu

Edu é um moço gentil, de caráter benevoltente e honestidade incontestável. Por mais que ele diga que seu alter ego seja o Darth Vader, aqui mais uma vez ele deixa claro sua docilidade. E ainda me emprestaria sua crocs!

Serginho: Então, vamos lá, você tem uma forma peculiar de escrever, é proposital?
Edu: Inconsicente, talvez. Proposital só no sentido de que parece que tem gente que gosta, então eu continuo com meu jeitinho.
Serginho: É uma forma também de não se expor tanto em um diário?
Edu: Às vezes o Conselho de Auto-Regulamentação Publicitária mete uma certa censura. Afinal, mesmo sendo meu diário tem coisa que não 1) pode 2) deve 3) fica divertida sendo exposta literalmente. :-)
Serginho: A internet é dinâmica, as redes sociais tem proliferado dia após dia. O que acha disto? Como você participa destas mídias?
Edu: Ah, as redes sociais... Você sabe que demorei a me "converter", né? Era bicho-de-blog e não queria dar bilhões ao talzinho do FB. Mas com a gentil insistência do Urso Left eu entrei. E aos poucos achei um jeito gostoso de interagir com ela. Não que eu pretenda migrar o blog pra lá, mas gosto da interação imediata que proporciona. Já o twitter eu só uso pra xingar mooooito.
Serginho: O que poderia citar como pontos positivos e negativos que elas trazem?
Edu: Tá rolando uma discussão atualmente sobre a tal da FOMO (Feeling of Missing Out ou coisa parecida), que é quando vc sente que todo mundo (mesmo) tá se divertindo lá fora e vc não. Povo postando das festas, exposições, da rua... e vc só em casa vendo tudo pela janela do monitor. Mas quem me conhece sabe que eu só sofro de FOME, mesmo. Então eu uso essas redes pra angariar convites pra pizza, churrasco, padarias, cafézinhos e pavês com ganache. Porque seu ponto positivo é servir de ponte pro contato "real". E até pra fazer novos amigos, off-blog!
Serginho: Na internet conhecemos aquilo que as pessoas nos oferecem. Já se afastou de alguém por achar que o que oferecia não condizia com o que dizia?
Edu: Ótima pergunta. Não me recordo de nada muito específico o muito profundo. Geralmente consigo perceber logo (isso em se tratando de blogs - FB é mais difícil) se "o santo bate". Não quer dizer que a pessoa seja chata, ruim, boba, feia. Mas você entende. Por outro lado já teve gente que se afastou de mim. E gente com quem briguei, nos afastamos, e voltamos depois (né DO, seu lindo?)
Serginho: Que bom que voltaram!
Edu: DO é um cara "apaixonado". Posso não concordar com ele em algumas coisas, mas adoro a garra com que ele defende suas opiniões. Precisamos de mais gente assim. E a quiche supera tudo!
Serginho: Saindo do âmbito virtiual, você tem uma relação duradoura com o Mau. Como conseguem hoje em dia lidar com esse mundo tão conturbado e carente?
Edu: Esse mundão tá mesmo complicado e o Maurício sempre dá um jeito de se envolver em algo "vamos salvar o mundo". Sub-síndico, comissão anti-enchente, conselho municipal... Mau é Gente que Faz. E eu acho que tenho a função de relaxar um pouco o Bicho. Levá-lo pra passear no parque, desencanar, rir. Ele melhorou muito nesses anos. E eu, pela razão inversa, também. Acho que por isso a gente se "curte" tanto: aquilo de um aprender com o outro, assimilar o melhor do outro e retribuir com o melhor de si. Por isso outro dia falei de como seria esquisito e até divertido misturar os casais que conhecemos. Porque essa integração entre um par, após uns anos, fica bem forte. Mas é algo que às vezes a gente pode pensar. Como seria eu com outro? Penso na trabalheira que daria construir tudo de novo. Não é um trabalho ruim, pelo contrário, mas dá... trabalho!
Serginho: O Maurício é engajado politicamente mas e você?
Edu: Eu acompanho. Não dá pra ser síndico e afins - essas coisas precisam de tempo, dedicação (e geralmente não dão retorno financeiro). Mas acho extremamente importantes. Se não tem falcatrua na administração (do que quer que seja), por tabela a gente ganha/economiza também. Nem toda atividade é remunerada com salário direto, mas com a economia que ela proporciona. Pra isso, contudo, ele precisa ter o suporte financeiro-careta. Minha parte. Mas sempre que dá eu meto a mão também.
E eu reciclo, economizo energia, procuro votar "esquerdo", sou Timão, diferenciado mas limpinho (quando preciso).E uso crocs com meia no inverno. Tudo manifestações políticas! Pra você eu empresto meus crocs "anytime".
Serginho: Mas mudando o foco. O que você tem visto e escutado hoje em dia, um ano depois da entrevista que fizemos?
Edu: Marcelo Jeneci! E a tiazinha de Recife, AD me deu de presente, mas me foge o nome. E ando deixando o preconceito de lado e assistindo todos os clipes musicais que o povo coloca no FB ou blog, seja música inglesa, francesa ou hindu. Pra assistir eu recomendo veementemente Modern Family. Mike & Molly são (literalmente) fofos! E Fringe, Breaking Bad, Big Bang, os de sempre! 
Serginho: Existe algo que tenha feito que se arrependa?
Edu: Poderia dizer que foi o relacionamento com meu primeiro namorado. Ele era muito confuso, perturbado, e eu não soube conduzir a história bem. Depois de 8 meses eu simplesmente parei de telefonar, de ir na casa dele. Covarde pra terminar propriamente. Imaturo. E se tem algo de que me arrependo é quando percebo que "brinquei" (mesmo por falta de experiência) com os sentimentos dos outros. Qualquer outra coisa, qualquer outra burrada, a gente conserta. Já quando a gente causa uma decepção, aí é quase impossível.
Serginho: Porque acha impossível?
Edu: Sempre fica a lembrança, o arranhão no cristal do sentimento. Mesmo que a gente perdoe, a lembrança está ali. E com ela, o medo. Claro que esse cristal é a gente que cria, muitas vezes, com ilusão. E os arranhões às vezes vêm pra transformar a paixão-cega em amor-cúmplice. Mas eu poderia ter feito melhor, naquele caso.
Serginho: Mas quando se perdoa não deveria esquecer? 
Edu: Esquecer a gente nunca esquece. A sinapse fica lá. Perdoar é voltar a acreditar, mesmo sem esquecer. E é possível sim. Mas na questão do arrependimento, eu preferiria não ter feito da forma que fiz. A propósito, hoje temos uma relação de amizade. Ele me mandou mais livros de sua autoria, tá no meu FB, enfim.
Serginho: Qual seu maior medo?
Edu: Tô pensando... Acho que medo de "faltar" pra minha família quando/se eles precisarem. Parece que tudo vai dar certo, segundo dizem as bruxas por aí, mas nem falo apenas de dinheiro. Medo de faltar em carinho, caráter ou como seja. Medo de perder todas as chances de dizer/demonstrar que os amo. Bah, tá muito gay essa resposta, mas se ser gay é ter amor pelas pessoas, so be it!
Não é que eu seja lindo ou especial ou destemido. Medo eu tenho vários. Mas tb confio que consigo superar qualquer coisa, de um jeito ou de outro.
E eu tenho medo de abelhas e outros bichos voadores picadores!

terça-feira, 26 de julho de 2011

Sobre filmes que veremos (ou não)

Eu falei há algum tempo atrás, sobre um projeto chamado Torre Negra, adaptação da saga escrita por Stephen King para o cinema capitaneada por Ron Howard. O projeto era grandioso demais: três filmes de alto orçamento e entre os filmes, séries para completar a história. Acontece que sonharam alto demais e tudo isso virou pó! A Universal, não a igreja do demo e sim o estúdio americano, vetou tudo e disse que se a coisa seguisse adiante, seria feito apenas um filme. Ron Howard pôs a viola no saco e só resta procurar outro estúdio que tope esse sonho mirabolante do diretor.

E para quem ainda não viu... aqui está o primeiro teaser oficial do novo Batman e aqui está o primeiro trailer do novo Homem Aranha com o fofo do Andrew Garfield ao lado.

terça-feira, 19 de julho de 2011

Tudo Novo (de novo)


Milhões e milhões de obrigados ao queridíssimo Cain Sodom pelo avatar e pelo logo. Lindíssimos, assim como ele!

sábado, 16 de julho de 2011

Bratz (Enfim, é o que tem pra hoje!)

Há um ano atrás ele me deu a honra de ser entrevistado, um ano depois aqui está ele novamente. Um ser impar, com senso de humor único. Paulo Braccini!

Serginho Tavares: 
Primeiro, mais uma vez queria mais uma vez agradecer pela oportunidade de conceder esta outra entrevista.
Paulo Braccini:
Imagina querido, nada a agradecer, é sempre um prazer poder interagir com você e com seus leitores. 
Serginho Tavares: 
Ter um blog não é um trabalho fácil, já se cansou dele?
Paulo Braccini: 
Blog não é um trabalho fácil, FATO, mas cansar do ENFIM, never. Pelo menos até agora. Não saberia viver sem interagir com os amigos que nele conquistei.
Serginho Tavares:
Na maioria das vezes você posta textos de outras pessoas, não é fácil achar estes textos que tenham a ver com o blog e consequentemente com você, como faz esta pesquisa? Pensa em transformar o blog em mais autoral?
Paulo Braccini:
Os textos não autorais sempre têm que possuir este lado de identidade plena com o Bratz. Eles retratam totalmente o meu modo de ser, de viver e de pensar. Sou muito cobrado neste aspecto de postar coisas autorais e já me pensei muito nisto. No entanto não sou um escritor e falar de mim como diário não gosto. Tenho publicado algumas coisas do meu dia a dia quando o assunto foge da rotina e permitem dar um tom de brincadeira aos fatos, tipo os meus encontros com os blogueiros. Ainda vou encontrar a minha veia certa neste sentido, pode esperar.
Serginho Tavares: 
Muitas pessoas confundem o mundo real com o virtual e vice versa, você acha que do jeito que a internet mudou o mundo, o tornando mais globalizado, ela tem também deixado as pessoas mais solitárias e carentes?
Paulo Braccini:
Acho que são duas faces de uma mesma moeda. São complementares. A partir da virtualidade muito acrescentamos à nossa realidade. Quando decidi blogar meu objetido era justamente este, ampliar meu leque de interatividade com as pessoas. Gosto disto e por isto mesmo já conheço inúmeros blogueiros pessoalmente e todos se tornaram grandes amigos reais.
Serginho Tavares:
Mas e quanto aqueles que tem medo de sair deste mundo virtual? A internet é responsável por isso ou não tem nada a ver?
Paulo Braccini: 
Sim, eu tomei as iniciativas e a maioria correspondeu a elas prontificando-se a esta relação mais real. Claro que alguns permanecem no mundo virtual por medo mesmo mas isto é uma coisa pessoal deles e não culpa da internet. Eu, por mim, uso a net como instrumento de aproximação. Jamais conseguiria vivenciá-la exclusivamente no campo da virtualidade.
Serginho Tavares: 
Muita gente lê o seu blog e talvez tenha sido tocado ou aprendido algo diferente sobre determinada coisa, recebe o feedback disto?
Paulo Braccini: 
Sim e muitos. Interessante é que muitos, por motivos pessoais, não comentam no blog mas através de e-mails ou no Face. Mas enfim, respeito a forma de ser de cada um, embora ache que o mais lógico seja se permitir mais, se mostrar mais, ousar mais para q a interação seja mais ampla entre o Blogueiro que escreve, o leitor e todos os outros que comentam. Um comentário em um post pode, muitas vezes ser mais importante que o próprio post. Ser mais rico e abrir portas para reflexões coletivas interessantíssimas. Já vivenciei isto.
Serginho Tavares: 
Saindo do blog e indo pra sua vida pessoal. Você é bem resolvido sexualmente, tem um casamento feliz de muitos  anos, já pensou em ter filhos?
Paulo Braccini: 
Sinceramente não! Não tenho esta vocação, na verdade nunca tive. Acho que assumir uma paternidade ou maternidade exige muito preparo e muito equilíbrio das pessoas. Não me sinto completo para esta função. Hoje em dia, ou sei lá, acho que sempre foi assim, as pessosa casam e têm os seus filhos mais por terem, cumprindo tão somente um papel social, sem o menor preparo, sem nenhuma estrutura para tal. Isto vale tanto para héteros como para homos. Ser responsável por uma nova vida não é uma brincadeira ou um siples rito social, exige muita competência.
Quanto à minha sexualidade e minha vida pessoal sou extremamente bem resolvido e feliz com ela.
Serginho Tavares:
Já se relacionou sexualmente com mulheres? 
Paulo Braccini:
Not!
Serginho Tavares:
O que diria pras pessoas que veem em você um referencial? Aliás, isto te incomoda?
Paulo Braccini: 
Não sei se as pessoas me veem como referencial! Acho q elas se prendem um pouco na minha maneira de ser, de ver e de pensar a vida. Isto não me incomoda em nada, pelo contrário. Acho que se isto servir para alguém que está começando a sua caminhada fico até muito feliz em poder, de alguma forma, estar contribuindo no processo. Sou uma pessoa como todas as outras, só que participo de um universo onde a maioria é bem mais jovem que eu e por isto menos estrada na vida. Sou uma pessoa rodada em todos os sentidos, rs.
Serginho Tavares:
O que diria para todos seus leitores e qual mensagem deixaria para o JeD?
Paulo Braccini: 
Bem, para os leitores eu digo que BlogsVille é algo maravilho que a modernidade nos proporciona. Saber vivenciá-la é uma arte que pode render muita coisa boa. Adoro esta comunidade toda, adoro cada um de seus membros.
Ao JeD eu digo: adoro este espaço e adoro ainda mais o Serginho, um cara temperamental, difícil, por vezes muito chato (rs) mas uma pessoa das mais dignas que conheci por aqui. Já brigamos horrores, mas logo logo o amor fala mais alto e voltamos logo às boas. Eu te adoro cara e você sabe disto. Você está no patamar dos verdadeiros amigos. Nossa relação extrapola o universo do Blog. Ela é permeada pelo MSN, Face, e-mails etc...

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Emmy 2011

Saiu a lista com os indicados ao Emmy deste ano, várias séries legais como True Blood e Fringe ficaram de fora dos principais prêmios, Mildred Pierce e Mad Men lideram e Game of Thrones conseguiu um lugar ao sol. Jane Lynch, de Glee, será a apresentadora da festa que acontece dia 18 de setembro.
A lista completa você pode conferir aqui. E eu achei super legal ver o Matt LeBlanc de Episodes entre os indicados a melhor ator de comédia.

terça-feira, 12 de julho de 2011

A Catedral de São Basílio

É uma catedral ortodoxa russa erguida na Praça Vermelha em Moscou, Rússia, entre 1555 e 1561. Construída sob a ordem de Ivan o terrivel, para comemorar a captura de Kazan e Astrakhan, marca o centro geométrico da cidade e o centro do seu crescimento, desde o século XIV.
O edifício original, conhecido como "Igreja da Trindade" e depois de "Catedral da Trindade", continha oito igrejas laterais dispostas ao redor do edifício central; a décima igreja foi erguida em 1588 sobre o túmulo de São Basílio, dai o nome como é conhecida hoje em dia.
O conceito inicial era construir um grupo de capelas, cada uma dedicada a cada um dos santos em cujo dia o Czar ganhou uma batalha, mas a construção de uma torre central unifica estes espaços em uma só catedral. A lenda fala que o Czar Ivan deixou cego o arquitecto Postnik Yakovlev, para evitar que construísse outra construção magnífica para mais alguém.
A partir de hoje tem início as comemorações dos 450 anos da fundação da Catedral que devem se estender pelos próximos três meses.

Fontes: Wikipédia e Diário da Rússia.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Adam Levine

Adam Levine nasceu em Los Angeles em 18 de Março de 1979 e para quem não sabe é vocalista e guitarrista da banda Maroon 5.
O gato começou a carreira com a banda Kara's Flowers, que não vingou mas anos depois eles criaram o Maroon 5 alcançando o sucesso.
Este ano ao lado de Christina Aguilera, Cee Loo e Blake Shelton foi um dos jurados do programa The Voice que segundo o queridíssimo André Mans foi muito bom!
Enfim, Adam Levine é um destes homens que gostaríamos de ser (ou ter).

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Mais um post de quinta, não me julguem!

E para quem pensa que no Complexo do Alemão só tem babado, confusão, tiroteio e correria, está muito enganado, tem homem peladão também. Porque eu sou fã do Mans e leio o Blogy*.
Preciso dizer que este video é para maiores de 18 anos e que não devem acessar do trabalho, faculdade, casa da avó com a mesma ao lado, ou qualquer outro local público, correndo sério risco de constrangimento?

terça-feira, 5 de julho de 2011

Frida Kahlo

"Pensaram que eu era surrealista, mas nunca fui. Nunca pintei sonhos, só pintei a minha própria realidade."

domingo, 3 de julho de 2011

Rock of Ages

Baseado no musical da Broadway, esta é a primeira imagem de Tom Cruise já no primeiro dia de filmagens como o roqueiro Stacee Jaxx. No elenco, Alec Baldwin, Russel Brand, Catherine Zeta-Jones e Mary J. Blige.