terça-feira, 30 de agosto de 2011

Top 10 - Atores do Brasil

Os filmes românticos hard nacionais já tiveram seu apogeu. Nos anos 70 David Cardoso foi o percussor da moda, passou o bastão (isto não é uma metáfora) para Fábio Scorpion que, posteriormente com o advento do VHS, tornou-se uma lenda, mesmo as histórias se perdendo nos fast forward da vida. O público, entretanto não desistiu. Hoje veremos aqui alguns dos seus ilustres representantes.

Tony Tigrão 
ator/pagodeiro
Pode ser considerado o maior representante dos cafuçus no segmento, hoje não aparece tanto quanto deveria, entretanto deixou um legado inesquecível. Humilde, assumia claramente sua dificuldade em chegar lá.

Geovanni Valente
ator/casca grossa
Ele não tinha o mesmo perfil dos seus colegas e talvez justamente por isto, tenha feito sucesso por ser como aquele cara que entrega o gás.

Leonardo Martins
ator/galã
Casou? Morreu? Ninguém sabe, ninguém viu! Virou uma lenda justamente por desaparecer sem deixar rastro.

Rogê Ferro
ator/tagarela/papudo
Ingressou na carreira apadrinhado por Fábio Scopion e mesmo esbravejando que esteve com mais de duas mil mulheres, há quem diga que o negócio dele é outro. Quem já o viu, tem certeza!


Carlão Bazuca
ator/michê/ex-gordo
O ápice de sua carreira foi ter contracenado com a Leila Lopes. E só isso.

Igor Picachu
ator/michê/falido
Quando esteve no auge esqueceu o conselho do guru Renato Russo de que tudo era pra sempre, mas o pra sempre, sempre acaba... 

Pitt Garcia
ator/stripper/gogo-boy/Dj
Ele renega alguns dos seus primeiros trabalhos, não porque eram péssimos, afinal todo o resto também era, mas sim por causa do elenco com quem contracenava.

Victor Gaúcho
ator/michê/modelo e sabe-se lá mais o quê
Surgiu como uma grande promessa, mas à medida que o tempo passou, virou arroz de festa e ninguém o suportava mais!

Loupan
ator/ex-pedreiro/quase global
Pode incluir no currículo que, assim como a Luana Piovani, já esteve no Profissão: Repórter.

Kid Bengala
ator/pornô (e nada mais)
Nasceu com um talento imenso. Quando se aposentar pode virar entidade em terreiro de umbanda.

sábado, 27 de agosto de 2011

No more drama, please!

Daí você acorda toda cagada, em pleno sábado, achando que sua vida é um lixo, sem um tostão no bolso, sem lembrar do que fez na noite anterior, sem saber porque ninguém quer te dar (ou principalmente sem saber porque ninguém quer te comer), mas cara amiga leitora, tem como ficar pior!

E você ainda faz drama? Acorda menina! 

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Women in Love


"...Mem'ries may be beautiful and yet
What's too painful to remember
We simply choose to forget
So it's the laughter we will remember
Whenever we remember the way we were..."


"...Twist your head around
It's all around you
All is full of love
All around you
..."


"...He'll build a little home, just meant for two
From which we'll never roam; Who would, would you?
And so all else above I'm waiting for the man I love
..."


"...But I'm gonna show you, baby, that a woman can be tough
I want you to come on, come on, come on, come on and take it,
Take it!
Take another little piece of my heart now, baby..."


"...Since we've been together
Loving you forever
Is all I need
Let me be the one you come running to
I'll never be untrue
Let's, let's stay together..."

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Moços de Fina Estampa

A novela estreia hoje, dizem que o gênero já cansou, enquanto decidem se cansou ou não, vamos ver quem pode te cansar nos próximos meses, caso você decida assistir.

Baltazar (Alexandre Nero)
Machista que faz da vida da mulher e filha um verdadeiro inferno é o tipo de personagem que você já cansou de ver, feito para provocar ódio. Ou pena.

René (Dalton Vigh)
Ele cansou de ser malzinho em quase todas as novelas que fez e agora quer ser bonzinho. Vai cansar de pegar a Torloni (eu já cansei só de ver as chamadas) pra pegar a Lília Cabral.

Paulo (Dan Stulbach)
Tom Hanks cansou de Hollywood e veio ao Brasil-sil-sil. Se ele vai cansar você eu não sei, mas tem chances.
José Antenor (Caio Castro)
O papel de filho que rejeita a mãe pobre pode ser visto em Morde & Assopra e em outras novelas como Dona Xepa e Lua Cheia de Amor. Se você cansou de tudo isso, aguente que vem de novo!

Juan (Carlos Casagrande)
Ele não cansa e até agora eu não conheci quem cansou de vê-lo.

Ferdinand (Carlos Machado)
Wolf Maya cansou de Maurício Mattar. Muita gente achou estranho, mas ninguém reclamou do substituto.

Wallace (Dudu Azevedo)
Se Marcio Garcia cansou de fazer novelas e por isso recusou o personagem, não tem problema, physique du role o outro tem de sobra!

Victor (Fábio Keldani)
Salva-vidas não cansam ninguém. Luma de Oliveira concorda.

Daniel (Guilherme Boury)
Em toda novela, alguém tem um melhor amigo, afinal diálogos são necessários, cansativos muitas vezes, mas necessários.

Fábio (Guilherme Leicam)
Filho de pai/gato, gatinho é e isto ninguém cansa de ver. Mas o eterno conflito pai versus filho é outra história.

Joaquim José (Malvino Salvador)
Ele cansou de falar de sua vida pessoal, mas a impressa não. Aqui ele vive o filho bonzinho da protagonista que foi largado pela Carolina Dickman e sofre com isso. É o eterno corno sofredor: não cansa nem na vida real quanto mais nas novelas.

Crô (Marcelo Serrado)
Depois de ser bandidão na outra emissora, agora ele tem a chance de mostrar que é um bom ator ou cansar o público com esse papel estereotipado.

Rafael (Marco Pigossi)
Já foi rosa chiclete/bofe escandâlo para pegador/cliché em outra novela das sete. Agora ele pode brilhar na novela das nove como um moço que dá duro e dá golpes. Moços assim, nunca cansam?

Guaracy (Paulo Rocha)
Depois  de importar Tom Hanks, a Globo resolveu apostar no mercado exterior e trouxe de Portugal um ator pra correr atrás da Lilia Cabral. E se ele cansar do ofício, vai ter gente correndo atrás dele sem cansar!

Edvaldo (Rafael Zulu)
O autor não se cansa de mecânicos em suas novelas. Teremos mais um boy magia sujo de graxa? Oxalá que sim!
Leonardo (Rodrigo Simas)
Rapaz que quer subir na vida de maneira fácil tem aos montes e em todas as novelas, mas parece que não cansam ninguém!

E ai? Cansaram?

Superstar

Porque hoje eu estou no clima "...fell in love with you before the second show..."

domingo, 21 de agosto de 2011

Curiosas expressões na língua portuguesa

JURAR DE PÉS JUNTOS:
Mãe, eu juro de pés juntos que não fui eu. A expressão surgiu através das torturas executadas pela Santa Inquisição, nas quais o acusado de heresias tinha as mãos e os pés amarrados (juntos) e era torturado pra dizer nada além da verdade. Até hoje o termo é usado pra expressar a veracidade de algo que uma pessoa diz.

MOTORISTA BARBEIRO:
Nossa, que cara mais barbeiro! No século XIX, os barbeiros faziam não somente os serviços de corte de cabelo e barba, mas também, tiravam dentes, cortavam calos, etc, e por não serem profissionais, seus serviços mal feitos geravam marcas. A partir daí, desde o século XV, todo serviço mal feito era atribuído ao barbeiro, pela expressão "coisa de barbeiro". Esse termo veio de Portugal, contudo a associação de "motorista barbeiro", ou seja, um mau motorista é tipicamente brasileira.

PENSANDO NA MORTE DA BEZERRA:
A história mais aceitável para explicar a origem do termo é proveniente das tradições hebraicas, onde os bezerros eram sacrificados para Deus como forma de redenção de pecados. Um filho do rei Absalão tinha grande apego a uma bezerra que foi sacrificada. Assim, após o animal morrer, ele ficou se lamentando e pensando na morte da bezerra. Após alguns meses o garoto morreu.

TIRAR O CAVALO DA CHUVA:
Pode ir tirando seu cavalinho da chuva porque não vou deixar você sair hoje! No século XIX, quando uma visita iria ser breve, ela deixava o cavalo ao relento em frente à casa do anfitrião e se fosse demorar, colocava o cavalo nos fundos da casa, em um lugar protegido da chuva e do sol. Contudo, o convidado só poderia pôr o animal protegido da chuva se o anfitrião percebesse que a visita estava boa e dissesse: "pode tirar o cavalo da chuva". Depois disso, a expressão passou a significar a desistência de alguma coisa.

DAR COM OS BURROS N'ÁGUA:
A expressão surgiu no período do Brasil colonial, onde tropeiros que escoavam a produção de ouro, cacau e café, precisavam ir da região Sul à Sudeste sobre burros e mulas. O fato era que muitas vezes esses burros, devido à falta de estradas adequadas, passavam por caminhos muito difíceis e regiões alagadas, onde os burros morriam afogados. Daí em diante o termo passou a ser usado pra se referir a alguém que faz um grande esforço pra conseguir algum feito e não consegue ter sucesso naquilo.

ÁGUA MOLE EM PEDRA DURA, TANTO BATE ATÉ QUE FURA:
Um de seus primeiros registros literário foi feito pelo escritor latino Ovídio (43 a. C.-18 d. C), autor de célebres livros como "A arte de amar" e Metamorfoses", que foi exilado sem que soubesse o motivo. Escreveu o poeta: “A água mole cava a pedra dura". É tradição das culturas dos países em que a escrita não é muito difundida formar rimas nesse tipo de frase pra que sua memorização seja facilitada. Foi o que os portugueses fizeram com o provérbio.

GUARDAR A SETE CHAVES:
No século XIII, os reis de Portugal adotavam um sistema de arquivamento de jóias e documentos importantes da corte através de um baú que possuía quatro fechaduras, sendo que cada chave era distribuída a um alto funcionário do reino. Portanto eram apenas quatro chaves. O número sete passou a ser utilizado devido ao valor místico atribuído a ele, desde a época das religiões primitivas. A partir daí começou-se a utilizar o termo "guardar a sete chaves" pra designar algo muito bem guardado.

PARA INGLÊS VER:
A expressão surgiu por volta de 1830, quando a Inglaterra exigiu que o Brasil aprovasse leis que impedissem o tráfico de escravos. No entanto, todos sabiam que essas leis não seriam cumpridas, assim, essas leis eram  criadas apenas "pra inglês ver". Daí surgiu o termo.

RASGAR SEDA:
A expressão que é utilizada quando alguém elogia grandemente outra pessoa, surgiu através da peça de teatro do teatrólogo Luís Carlos Martins Pena. Na peça, um vendedor de tecidos usa o pretexto de sua profissão pra cortejar uma moça e começa a elogiar exageradamente sua beleza, até que a moça percebe a intenção do rapaz e diz: "Não rasgue a seda, que se esfiapa".

ANDAR À TOA:
Toa é a corda com que uma embarcação reboca a outra. Um navio que está à toa é o que não tem leme nem rumo, indo pra onde o navio que o reboca determinar.

QUEM NÃO TEM CÃO, CAÇA COM GATO:
Na verdade, a expressão, com o passar dos anos, se adulterou. Inicialmente se dizia quem não tem cão caça como gato, ou seja, se esgueirando, astutamente, traiçoeiramente, como fazem os gatos.

DA PÁ VIRADA:
A origem do ditado é em relação ao instrumento, a pá. Quando a pá está virada pra baixo, voltada pro solo, está inútil, abandonada decorrentemente pelo homem vagabundo, irresponsável, parasita.

NHENHENHÉM:
Nheë, em tupi, quer dizer falar. Quando os portugueses chegaram ao Brasil, os indígenas não entendiam aquela falação estranha e diziam que os portugueses ficavam a dizer "nhen-nhen-nhen".

VAI TOMAR BANHO:
Em "Casa Grande & Senzala", Gilberto Freyre analisa os hábitos de higiene dos índios versus os do colonizador português. Depois das Cruzadas, como corolário dos contatos comerciais, o europeu se contagiou de sífilis e de outras doenças transmissíveis e desenvolveu medo ao banho e horror à nudez, o que muito agradou à Igreja. Ora, o índio não conhecia a sífilis e se lavava da cabeça aos pés nos banhos de rio, além de usar folhas de árvore pra limpar os bebês e lavar no rio as redes nas quais dormiam. Ora, o cheiro exalado pelo corpo dos portugueses, abafado em roupas que não eram trocadas com frequência e raramente lavadas, aliado à falta de banho, causava repugnância aos índios. Então os índios, quando estavam fartos de receber ordens dos portugueses, mandavam que fossem "tomar banho".

ELES QUE SÃO BRANCOS QUE SE ENTENDAM:
Esta foi das primeiras punições impostas aos racistas, ainda no século XVIII. Um mulato, capitão de regimento, teve uma discussão com um de seus comandados e queixou-se a seu superior, um oficial português. O capitão reivindicava a punição do soldado que o desrespeitara. Como resposta, ouviu do português a seguinte frase: "Vocês que são pardos, que se entendam". O oficial ficou indignado e recorreu à instância superior, na pessoa de dom Luís de Vasconcelos (1742-1807), 12° vice-rei do Brasil. Ao tomar conhecimento dos fatos, dom Luís mandou prender o oficial português que estranhou a atitude do vice-rei. Mas, dom Luís se explicou: "Nós somos brancos, cá nos entendemos".

A DAR COM O PAU:
O substantivo "pau" figura em várias expressões brasileiras. Esta expressão teve origem nos navios negreiros. Os negros capturados preferiam morrer durante a travessia e, pra isso, deixavam de comer. Então, criou-se o "pau de comer" que era atravessado na boca dos escravos e os marinheiros jogavam angu pro estômago dos infelizes, a dar com o pau. O povo incorporou a expressão.

(Recebi por email)

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

I love Rock and Roll!

Eu não falo muito de música aqui, mas hoje resolvi quebrar este paradigma. Ai estão algumas das coisas que eu gosto de ouvir.

Eu conheci o Genesis com o Phill Collins, sabia que o Peter Gabriel havia passado pela banda e deixado uma marca insubstituível, ai está minha música preferida do grupo que meu amor me apresentou logo no nosso começo de namoro, Genesis numa performance arrebatadora que eu não canso de ver!

Descobri o Queen ainda pequeno, nem sabia que o nome era um calão para gay, para mim 'queen' era rainha, mas eu era uma criança e Fred Mercury sem camisa um tesão, sim, sou precoce, quando vieram para o inesquecível primeiro Rock in Rio. Esta música pode ser a preferida de todos e nem precisamos explicar o porquê

Quando um amigo me apresentou o Pink Floyd eu virei a cara, talvez ele tenha mostrado as músicas erradas, talvez eu não quis escutar, talvez, talvez... Esta é a prova de como eu fui um idiota naquela época!

Ney Matogrosso, foi revelado nos Secos & Molhados, como todos sabem ou deveriam saber, entre tantos sucessos eu escolhi esta música que eu amei quando ouvi a primeira vez na voz do Paulo Ricardo.

E para não dizer que eu não escuto nada novo, ok, nem tão novo assim, mas vamos comparar com as anteriores, aí vai a banda mais hiper mega tesuda desde o Led Zepelin, Queens of The Stone Age.

terça-feira, 16 de agosto de 2011

E para não dizer que não falei das flores...

... feliz aniversário, Madonna, um presente do Ciello Poloni

Que fofo!

Esta imagem é do box da saga Harry Potter com os oito filmes da saga. Ele terá 16 discos, será vendido apenas pela Amazon a partir de 30 de novembro e custará 199 euros. Como podem ver a caixa tem uma varinha na parte de cima e eu achei um luxo.
Lógico que eu quero!

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Dan Chiaroti (Naipes Flamejantes)

O entrevistado deste mês é um garoto que caiu de páraquedas no JeD em virtude do concurso que escolheu os blogayros mais lindos. Ele não venceu, mas merecidamente ficou no top 10. Lindo, sensível, sagitariano, conhecedor das coisas boas da vida e explorador de novas sensações (delícia!), Dan Chiaroti é um sonho e ainda acha que não tem fãs e que ninguém sonha com ele. Bobinho, se ele soubesse... Ok, confiram a entrevista com o dono dos Naipes Flamejantes.

Serginho Tavares: Como, quando e porque você resolveu criar um blog?
Dan: Eu sempre fui ligado à internet. Logo que surgiram as redes sociais e fotologs da vida já me interessei e fiz meus cadastros. Já com o blog foi diferente. Acessava vários e não achava que teria um. Depois de um tempo, como sou redator, resolvi publicar algumas coisas que tinha escrito, mas sem intenção nenhuma de ser reconhecido ou seguido. E o blog foi tomando corpo. Além de um espaço pra publicar meus textos ele serve pra desabafo, pra postar músicas que gosto, coisas bacanas de internet e, o que descobri bem depois, para fazer amigos.
O Naipes Flamejantes nunca teve o intuito de ter muitos seguidores, mas sim de ser um espaço mais pra diversão mesmo.

Serginho Tavares: Quais os posts escritos por você que mais os considera sendo especiais?
Dan: Os posts que mais gosto geralmente, e coincidentemente, falam de alguém com quem me envolvi. Acho que fico mais inspirado. Alguns são bem autobiográficos, mas sempre têm uma licença poética. Gosto de lê-los depois de algum tempo pra ver como me sentia na época e comparar como estão os sentimentos hoje. E olha que o blog só tem um pouco mais de um ano e já comprovei que sou um cara que vive um turbilhão de sentimentos.
Um post que gosto muito é um que fiz falando do meu pai e como foi contar pra ele que eu era gay. Se quiser vê-lo, só acessar aqui.

Serginho Tavares: O seu blog faz sucesso na blogosfera, tem conhecimento disto?
Dan: Será? Sucesso é relativo né? Acho que existem pessoas que se identificaram comigo e gostam de visitar o blog. Fico feliz porque nunca foi algo que eu esperei. É bacana ver gente que se identifica com você e gosta de incluir o blog em seu dia a dia. Mas daí a fazer sucesso mesmo é outra história. Prefiro continuar fazendo amigos do que ter um blog altamente conhecido e comentado. Essa não é a intenção mesmo.

Serginho Tavares: Os comentários são importantes? Interage com seus leitores?
Dan: Eu fico esperando os comentários. E ver as diferentes reações sobre um texto, uma música, uma opinião é extremamente prazeroso. Além disso, você se aproxima do leitor sim. Fica conhecendo como ele pensa, o que ele acha e quais você tem afinidade. É uma troca. E percebe-se que a cada comentário os laços se estreitam. Adoro receber comentários e na verdade eles são uma das razões para escrever. Tem gente ardida, tem gente fofa, tem gente que pensa diferente, e isso é incrível! Gente de todo jeito comentando no seu blog deixa ele bem mais interessante.

Serginho Tavares: Acredita que atingiu seu objetivo com seu blog?
Dan: Como já disse, ele nunca teve um objetivo concreto. Sempre pensei nele como uma válvula de escape mesmo. Bom, se pensarmos por este lado, cumpriu sim o objetivo. E muito bem! Ele me ajuda realmente a desabafar e entender melhor o que penso e sinto.

Serginho Tavares: Você foi escolhido pelos leitores do JeD como um dos mais lindos, como reage a isto? Te envaidece?
Dan: Ahauhauah. Eu adorei aquilo sabia? Ainda mais porque eu nem estava sabendo do "concurso". Mas acho que essa coisa de beleza é complicada. Ainda mais na internet. As fotos podem ter me favorecido. ahaha.
Claro que dá pra ficar envaidecido, pelo menos um pouquinho. Quem não gosta de ser elogiado? Se bem que no blog estou mais preocupado com as músicas e os textos mesmo. Se alguém se apaixonar por mim apenas pelo conteúdo dele, acho que ficaria ainda mais envaidecido.

Serginho Tavares: Fale um pouco sobre sua vida. Que livros, filmes, peças de teatro, tipos de música, você gosta?
Dan: Eu sempre gostei muito de música, de filmes e de leitura. Os livros que mais me interessam são os de ficção, estou lendo agora o clássico "O Diário Secreto de Laura Palmer" que sempre quis ler e nunca tinha tido a oportunidade. Essa semana, caiu na minha mão. É meio velhinho, mas to me divertindo. Gosto bastante do realismo fantástico do Gabriel García Marquez e Mia Couto, um escritor africano. Agora, filmes e músicas são minha real paixão e, apesar de ser redator e ter o dever de ler bastante, são eles que despertam em mim o maior interesse. Acho que o único tipo de filme que não me agradava era o de terror. De um tempo pra cá, até eles têm me segurado em frente a tv. Em relação a música, ouço de tudo, mas tenho uma tendência a gostar mais de vozes femininas, como acho que dá pra perceber no blog. Meu ídolo de todos os tempos, se é que eu tenho isso, é o Bowie e toda sua majestade! Rock and roll sempre vai ser meu estilo preferido, em todas as suas vertentes.

Serginho Tavares: O que pensa a respeito das redes sociais hoje em dia? São mesmo imprescindíveis?
Dan: Cara, pra mim sim! Elas são imprescindíveis no mundo moderno. Seja pra você estreitar seus relacionamentos, para conhecer gente, pra fechar negócios. Eu como publicitário tenho que estar presente nelas, interagir, entender e usar todo este mundo online a favor de meus clientes. E acabo me envolvendo também. É muito bacana você ter notícias de um amigo distante, acompanhar a vida do seu sobrinho que mora longe, saber que aquele carinha que você paquera é mesmo solteiro.
Os tempos mudaram e temos que acompanhar as mudanças. A rede social veio pra ficar e eu estou completamente nela, de um jeito ou de outro.

Serginho Tavares: Política é algo que te interessa? No caso de afirmativo, como observa a política brasileira, está satisfeito?
Dan: Por muito tempo fiquei alheio à política, o que não acontece mais. Hoje trabalho com comunicação pública e marketing político, não tem como não me envolver né? Por isso prefiro manter meu posicionamento político mais reservado, pra não gerar problemas pessoais. Mas posso afirmar que acho que o país tem andado por um caminho que me agrada, apesar dos muitos problemas que ainda estão por aí. Satisfação na política parece ser uma coisa distante para todo brasileiro, ainda.

Serginho Tavares: O Dan Chiaroti está namorando ou seus fãs podem continuar sonhando?
Dan: Ahahaha. Duvido que tenha gente sonhando comigo. Fãs, então, nem devem existir, aí já é demais né? Mas estou solteiro sim. Solteiríssimo!

Serginho Tavares: Como é sua relação com sua família? Eles sabem de sua orientação sexual?
Dan: Moro longe da minha família faz tempo já, mas isso não quer dizer que somos distantes. Meus pais, apesar dos meus 33 anos de independência, são meu porto seguro. Eles moram a 500km de distância e a gente se vê menos do que gostaria. Mesmo assim, nos falamos sempre. Um ano depois de ter entendido que era gay, (fiquei com um cara pela primeira vez aos 23 anos), eu estava bem diferente. E meu pai, mesmo a distância, percebeu algo fora do comum acontecendo.
Já desconfiado, ele me perguntou se tinha algo pra contar (exatamente o assunto do post que citei na pergunta 1. Contei que era gay e a partir daí todos em casa ficaram sabendo. No começo foi meio complicado, mas eu já morava fora então eles não tinham muito o que fazer. Meu pai sempre foi o mais compreensivo e depois meus irmãos. Minha mãe relutou bastante pra aceitar, mas hoje leva na boa. Não que seja a coisa que mais a agrada na vida, mas...

Serginho Tavares: Algum arrependimento?
Dan: Serginho, acho que não. To aqui tentando lembrar de algo, mas são besteiras. Nada que eu tenha me arrependido realmente. Acho que se errei, aprendi com isso e por isso não me arrependo. Sou daqueles que me arrependo de não ter feito algo, como todo bom sagitariano. Tem um amigo meu que diz que eu não vim a este mundo pra passar vontade. E convenhamos, não vim mesmo!

Serginho Tavares: O que diria para todos que te leem?
Dan: Obrigado! Obrigado! Obrigado!
Acho que se vocês leem é porque gostam e, se voltam, é porque querem. Quero dizer que fico muito feliz com isso: com a presença, a interação e o carinho de todo mundo. Vocês me fazem bem de verdade! Espero continuar agradando pra que vocês estejam sempre presentes!

Serginho Tavares: Obrigado pela entrevista Dan, você é muito querido por todos do JeD. Beijos.
Dan: Obrigado você querido! O moço mais fofo da blogosfera! Espero que gostem. Eu, adorei!

sábado, 13 de agosto de 2011

Manual das dez vantagens de ser pobre... e gay!

Neste pequeno manual você encontrará conselhos para que possa arrasar mesmo não tendo um único centavo para comprar purpurina.

1) É simples;
Você não perde seu tempo com grandes sonhos. Quem precisa ir no show da Madonna em Londres? Quem precisa de uma coleção da Dolce & Gabanna? E quem precisa de um diamante? O maior sonho que você vai ter é da padaria ou o Sonho de Valsa.
2) É valorizado;
Em um mundo cheio de bofes tão interesseiros, oportunistas e michês, somente os sinceros e verdadeiros vão querer seu cu.
3) É saudável;
Você tem praticamente uma vida de atleta: corre para alcançar o ônibus, malha para conseguir um lugar para sentar e corre para não se atolar no ônibus. Tampouco tem dinheiro para gastar com fast-foods.
4) É antiestressante;
Nenhum vendedor te liga para empurrar alguma coisa, tendo em vista que você não tem telefone fixo, só celular pré-pago e que apenas recebe.
5) É aliviante;
Com sua fama de bicha pão-com-ovo suas amigas penosas não te pedem dinheiro emprestado e dependendo do seu grau de pobreza nem amigas você tem.
6) É emocionante;
Você nunca sabe se o dinheiro vai chegar no final do mês e, se ele chegar, vai embora rápido sendo assim uma rotina muito imprevisível, cheia de emoções a cada momento.
7) É invejável;
Enquanto esse povo que viaja são barrados em aeroportos europeus, pegam trânsito no feriado, sofrem em praias lotadas, você descansa em casa durante as férias. Não que tenha algo para fazer...
8) É útil;
Você tem de trabalhar aos domingos para fazer hora extra e assim não precisa assistir Faustão ou Gugu.
9) É seguro;
Você quase nunca leva sua carteira quando sai pois ela está sempre vazia. Assim os trombadinhas vão passar quilômetros longe de você.
10) É gratificante;
Sem dinheiro você não vai comprar computador na Casas Bahia ou nunca vai fazer um curso de informática, sem o curso de informática você nunca vai saber o que é Lan House sendo assim nunca encontrará blogs ou textos idiotas como este!

Texto escrito não sei por quem, achado por ai, num grupo do caralivro. Quem souber o verdadeiro autor, favor avisar. Ou não.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Memorable Quotes {parte X}

I'll admit I may have seen better days, but I'm still not to be had for the price of a cocktail, like a salted peanut. 

Margo Channing in All About Eve

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Alguns bons motivos para ver Teen Wolf

Scott McCall (Tyler Posey), o protagonista da série, é um garoto que sonha ser títular do time de lacrosse de sua escola. Após ser mordido por um lobisomem ganha extraordinárias habilidades sobrenaturais e começa a viver um conflito entre tentar esconder sua nova condição dos amigos e viver a vida que desejou ter.

 
Derek Hale (Tyler Hoechlin), por ter nascido um lobisomem, tenta ensinar Scott a dominar e controlar algumas de suas habilidades, como a sua transformação, por exemplo. Muitos acreditam ser o único sobrevivente da família Hale, que fora vítima de um incêndio. O que não é verdade. Chegou à cidade em busca de sua irmã, Laura.

Jackson Whittemore (Colton Haynes), o arrogante capitão do time de lacrosse suspeita que Scott esconde algum segredo e fará tudo para descobrir.

 
Danny (Keahu Kahuanui), o melhor amigo de Jackson e abertamente gay. Frequentemente tenta acalmar o amigo quando ele está irritado ou com raiva.

Chris Argent (JR Bourne), o pai de Allison, o interesse romântico de Scott. Sua familia é uma caçadora de lobisomens e sua relação com a filha é tenso.

Stiles Stilinski (Dylan O'Brien), o melhor amigo nerd de Scott, adora ouvir os chamados policiais do pai, o xerife da cidade, a contragosto do mesmo. Sabe do segredo de Scott e tenta ajudá-lo.

Sheriff Stilinski (Linden Ashby), o xerife da cidade e pai de Stiles. Estuda os assassinatos cometidos na cidade e percebe que estão conectados a família Hale.

Peter Hale (Ian Bohen), o antagonista da série é o responsavel pela condição de Scott. O tio de Derek já matou algumas pessoas e tem o objetivo de se tornar o mais poderoso de sua alcatéia.

domingo, 7 de agosto de 2011

Ashton Kutcher


Ashton Kutcher foi o primeiro usuário do Twitter a atingir mais de um milhão de seguidores, mas isto todo mundo que pesquisa sobre o rapaz sabe, assim como sabe que o moço é casado com a Demi Moore, que já foi casada com Bruce Willis, que participou de Friends quando este era o seriado de maior sucesso da TV Americana. Hoje quem está no topo é Two And a Half Men, que já foi de Charlie Sheen e agora será de Ashton Kutcher, um destes homens que gostaríamos de ser ou ter e se ele vai dar conta do recado só esperando pra ver!

sábado, 6 de agosto de 2011

Enola Gay


Enola Gay foi o nome dado ao bombardeiro que lançou em 06 de agosto de 1945, sobre a cidade japonesa de Hiroshima, a bomba atômica. O nome era uma homenagem a mãe do piloto. O genocídio é sem precendentes e até hoje ninguém foi considerado culpado pelo ato.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

“A homossexualidade é uma ilha cercada de ignorância por todos os lados”

A homossexualidade é uma ilha cercada de ignorância por todos os lados. Nesse sentido, não existe aspecto do comportamento humano que se lhe compare. Não há descrição de civilização alguma, de qualquer época, que não faça referência à existência de mulheres e homens homossexuais. Apesar dessa constatação, ainda hoje esse tipo de comportamento é chamado de antinatural.
Os que assim o julgam partem do principio de que a natureza (ou Deus) criou órgãos sexuais para que os seres humanos procriassem; portanto, qualquer relacionamento que não envolva pênis e vagina vai contra ela (ou Ele). Se partirmos de princípio tão frágil, como justificar a prática de sexo anal entre heterossexuais? E o sexo oral? E o beijo na boca? Deus não teria criado a boca para comer e a língua para articular palavras?
Se a homossexualidade fosse apenas perversão humana, não seria encontrada em outros animais. Desde o início do século 20, no entanto, ela tem sido descrita em grande variedade de espécies de invertebrados e em vertebrados, como répteis, pássaros (em virtualmente todas as espécies de pássaros, em alguma fase da vida, ocorrem interações homossexuais que envolvem contato genital, que, pelo menos entre os machos, ocasionalmente terminam em orgasmo e ejaculação) e mamíferos cujo comportamento homossexual envolvendo fêmeas e machos foi documentado em pelo menos 71 espécies, incluindo ratos, camundongos, hamsters, cobaias, coelhos, porcos-espinhos, cães, gatos, cabritos, gado, porcos, antílopes, carneiros, macacos e até leões, os reis da selva.
Relacionamento homossexual entre primatas não humanos está fartamente documentado na literatura científica. Já em 1914, Hamilton publicou no Journal of Animal Behaviour um estudo sobre as tendências sexuais em macacos e babuínos, no qual descreveu intercursos com contato vaginal entre as fêmeas e penetração anal entre machos dessas espécies. Em 1917, Kempf relatou observações semelhantes. Masturbação mútua e penetração anal fazem parte do repertório sexual de todos os primatas não humanos já estudados, inclusive bonobos e chimpanzés, nossos parentes mais próximos.
Considerar contra a natureza as práticas homossexuais da espécie humana é ignorar todo o conhecimento adquirido pelos etologistas em mais de um século de pesquisas rigorosas.
Os que se sentem pessoalmente ofendidos pela simples existência de homossexuais talvez imaginem que eles escolheram pertencer a essa minoria por capricho individual. Quer dizer, num belo dia pensaram: eu poderia ser heterossexual, mas como sou sem vergonha prefiro me relacionar com pessoas do mesmo sexo.
Não sejamos ridículos; quem escolheria a homossexualidade se pudesse ser como a maioria dominante? Se a vida já é dura para os heterossexuais, imagine para os outros.
A sexualidade não admite opções, simplesmente é. Podemos controlar nosso comportamento; o desejo, jamais. O desejo brota da alma humana, indomável como a água que despenca da cachoeira.
Mais antiga do que a roda, a homossexualidade é tão legítima e inevitável quanto a heterossexualidade. Reprimi-la é ato de violência que deve ser punido de forma exemplar, como alguns países fazem com o racismo.
Os que se sentem ultrajados pela presença de homossexuais na vizinhança, que procurem dentro das próprias inclinações sexuais as razões para justificar o ultraje. Ao contrário dos conturbados e inseguros, mulheres e homens em paz com a sexualidade pessoal costumam aceitar a alheia com respeito e naturalidade.
Negar a pessoas do mesmo sexo permissão para viverem em uniões estáveis com os mesmos direitos das uniões heterossexuais é uma imposição abusiva que vai contra os princípios mais elementares de justiça social.
Os pastores de almas que se opõem ao casamento entre homossexuais têm o direito de recomendar a seus rebanhos que não o façam, mas não podem ser fascistas a ponto de pretender impor sua vontade aos que não pensam como eles.
Afinal, caro leitor, a menos que seus dias sejam atormentados por fantasias sexuais inconfessáveis, que diferença faz se a colega de escritório é apaixonada por uma mulher? Se o vizinho dorme com outro homem? Se, ao morrer, o apartamento dele será herdado por um sobrinho ou pelo companheiro com quem viveu trinta anos?

(Drauzio Varella, é um médico oncologista e escritor brasileiro, conhecido por popularizar a medicina em seu país, através de programas de rádio e TV. Foi também um dos fundadores da Universidade Paulista e da Rede Objetivo, onde lecionou física e química durante muitos anos.)

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Vam'bora ser feliz?

Paulo Braccini postou, Edu replicou e eu refaço porque coisas assim sempre valem a pena serem sempre repetidas.
"As pessoas complicam muito as coisas. Tá com saudades??? Ligue. Quer encontrar??? Convide. Quer compreensão??? Explique-se. Tá com dúvidas??? Pergunte. Não gostou??? Fale. Gostou??? Fale mais. Tá com vontade??? Faça. Quer algo??? Pedir é a melhor maneira de começar a merecer. Se o "NÃO" você já tem, só corre o risco do "SIM". A vida é uma só!!! Bora ser feliz. (em Soraia Mousinho Araujo)"

Verdadeiro ou Falso?

Parece que o personagem de Charlie Sheen vai mesmo morrer em Two and a Half Men. A ideia do primeiro episódio da temporada seria mostrar seu funeral onde várias ex-namoradas deveriam comparecer. A seguir sua casa seria colocada a venda e vários compradores famosos se interessariam, entre eles o personagem de Ashton Kutcher. Por enquanto é o que andam dizendo, mas todos os envolvidos teriam que assinar um compromisso de sigilo total. Então não se pode dizer se é algo verdadeiro ou falso.
A estreia acontece nos EUA, dia 19 de setembro na CBS. 

Especulações à parte, a verdade é que Harry Shum Jr, o Mike Chang, de Glee, está mesmo fazendo aulas de canto pra tentar uma oportunidade maior na série. O ator começou quase como um figurante e aos poucos foi encontrando seu lugar entre os outros atores do elenco. Glee volta nos EUA, para mais uma temporada, dia 21 de setembro na FOX.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Ela aceitou Jesus!

Menina: Odeio católicos! Se pudesse matava todos eles!
Rapaz horrorizado: Que horror, como pode dizer isso?
Menina: Eu sou evangélica!
Rapaz ainda horrorizado: E porque o ódio? Não te ensinaram que Jesus pregava o amor?
Menina: Eu aceitei Jesus , o meu Salvador, isto me basta. Eu tenho fé!

Baseado em fatos reais.