terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Nil Witchimichen (Querido Armário)


Querido, gentil, um artista divertido, com grande senso de humor, observador, engajado e bonito pra danar. O moço de sobrenome difícil não esconde sua origem e suas qualidades. Confiram um pouco do que ele nos reserva fora do armário!

Serginho Tavares - Seu blog em pouco tempo fez tanto sucesso que virou matéria da revista Junior. Como tudo começou e a quem credita esta vitória?
Nil Witchimichen - Acredito que vários fatores. É um assunto pouco explorado, e de interesse dos leitores, portanto chama a atenção. As tirinhas levam vantagem em vários meios de comunicação, é algo rápido, direto e visual. Acredito que ter a sensibilidade para conseguir traduzir a minha visão do cotidiano em quadrinhos ajuda um pouco. Haha

Serginho Tavares - Você se inspira em eventos cotidianos, de onde surgiu a ideia de fazer tais tirinhas e porquê?
Nil Witchimichen - Sim, os eventos cotidianos são uma fonte inesgotável de inspiração para mim. Acredito que a maioria dos artistas, senão a totalidade, usa a arte para traduzir seus sentimentos, sua vida, seu dia-a-dia. O que diferencia um do outro, além do estilo é o quanto criptografados em elementos metafóricos estão estes sentimentos.

Serginho Tavares - A internet ajuda a diminuir ou aumentar a homofobia?
Nil Witchimichen - É difícil dizer, a internet é um meio de comunicação sem limites. As pessoas acessam os sites com que mais se identificam, pessoas que defendem os direitos das minorias vão acessar sites dessa natureza, enquanto que as pessoas que defendem o chamado "orgulho hétero" vão acessar sites que defendam as idéias em que eles acreditam.

Serginho Tavares - O que você acha das paradas gays? Elas ajudam a diminuir o preconceito?
Nil Witchimichen - É um tema delicado. Acredito que há uma lacuna muito grande sobre o objetivo principal da Parada Gay aos olhos da população em geral.
Quando falamos em diminuir o preconceito, estamos falando em "atacar" um público específico, os preconceituosos.
Eu não acredito que com o formato atual das paradas gays, estaríamos usando a melhor abordagem para alcançar uma pessoa preconceituosa e fazer ela se questionar sobre seus próprios pontos de vista.
A Parada hoje serve bem como a celebração do orgulho gay e das conquistas que obtivemos durante o ano.

Serginho Tavares - Ultimamente grandes artistas da música se foram (como por exemplo Amy Winehouse e Whitney houston) e tantos outros levadas pelas drogas... as drogas ainda são um grande problema em todo o mundo, as campanhas publicitárias não tem sido eficientes, o que fazer para diminuir isto. um blog ajuda a combater tal coisa ou as pessoas estao alienadas demais para tal?
Nil Witchimichen - É complicado falar de drogas. Dizer para alguém não usar drogas, quando a droga é só a ponta do iceberg. Os problemas não começam com as drogas, eles terminam com nelas. Uma familia desestruturada que não têm tempo ou habilidade pra educar seu filho, deixou passar muita coisa para que esse jovem chegue nas drogas. Acredito que o problema começa muito antes disso.

Serginho Tavares - A quem você credita tal alienação da juventude?
Nil Witchimichen - Essa geração atual é reflexo do auge da liberação sexual, tudo era permitido, menos deixar de falar de (e fazer) sexo. E os frutos dessa catarse são pais, em geral, muito jovens e despreparados para criar um filho. Sem a orientação necessária, estas crianças e adolescentes perambulam pelo mundo em busca de identidade.

Serginho Tavares - Os gays buscam a juventude eterna, o que acha disto?
Nil Witchimichen - Acho que um pouco de vaidade não faz mal a ninguém. Porém o que vejo muito por aí, é que as pessoas ficam buscando em atributos físicos, motivos pra gostar de si mesmos. Ao meu ver, se você não têm uma auto-estima saudável, não é tendo um corpo perfeito que você vai conseguir. Este não é o caminho, não é por fora, é por dentro.

Serginho Tavares - Se pudesse mudar o mundo começaria por onde?
Nil Witchimichen - É pra usar a imaginação né? Acho que um bom começo, seria exigir que as pessoas tenham licença para ter filho.   A pessoa precisaria ter, primeiro, idade suficiente para entender o que está fazendo. Precisaria estar psicologicamente e emocionalmente saudável. Teria que ter condições financeiras de criar um filho decentemente. A pessoa precisaria passar por cursos, fazer estágios em creches e orfanatos, para que quando ela finalmente estivesse pronta, traria ao  Acredito que ter um filho possa ser uma das maiores alegrias do mundo, mas não há dúvida de que é a maior responsabilidade que existe.

Serginho Tavares - quem você gosta de ouvir, ler, assistir? que filmes, músicas ou seriados te inspiram?
Nil Witchimichen - Tenho as minhas fases para tudo. Um dia estarei ouvindo Sandra de Sá, no outro Britney Spears... Gosto muito de Engenheiros do Hawaii, Kid Abelha, Owl City, Maroon 5, Bee Gees, Air Suply...
Assim é com as séries, tendo no topo a imbatível Friends! Passando por Old Christine, Will and Grace. Também gosto muito de animes, comecei com Cavaleiros do Zodíaco e não parei mais: Shurato, Pokémon e um que eu não canso de recomendar: Claymore!
Os filmes, não tenho dado muita atenção pra eles, pobrezinhos, mas tenho que citar Segundas Intenções como meu favorito, Orações Para Bobby (perfeito) e se prepare pra chorar com Uma Prova de Amor (My Sister's Keeper) 

Serginho Tavares - Do que tem verdadeiramente medo?
Nil Witchimichen - Medo... De me acomodar com uma situação "mais ou menos", medo de não buscar sempre melhorar como ser-humano, como profissional. Medo de parar de questionar se as coisas estão certas, se o que era certo ontem será certo hoje.

Serginho Tavares - O Brasil tem jeito?
Nil Witchimichen - Sim! Claro! Óbvio! Eu amo meu país e acredito que as coisas podem e estão melhorando. Temos visto cada vez mais coisas assustadoras acontecendo, não porque elas não aconteciam antes, mas porque a mídia antes não conseguia chegar a todo lugar. Só estamos mostrando mais do que antes.
As leis estão aí, os direitos humanos, os defensores dos animais, as pessoas não aceitam mais as coisas que eram aceitas antigamente, ou colocadas debaixo dos panos.
Resumindo: Eu sou um otimista sem concerto.

Serginho Tavares - Como se definiria?
Nil Witchimichen -  Deixa eu refletir um pouco sobre isso, vou ali na frente do espelho... Bom... O Nil é uma pessoa com uma sensibilidade muito aguçada. Uma pessoa que apesar dos pedregulhos que encontrou pela vida, jamais perdeu a capacidade de acreditar no amor, e jamais perdeu a capacidade de rir de si mesmo. Uma pessoa que se irrita um pouco demais com duas coisas que encontramos todos os dias por aí, a injustiça e a ignorância. Esse sou eu hoje, e espero que seja melhor amanhã.

11 comentários:

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

conheci o Nil a pouco, mas o suficiente para me encantar com ele ...

Fred disse...

Adoro esse homem em "tirinhas"... hehehehe! Maravilhosa entrevista, Serginho! Congratz aos dois! Bjzzzz!

Cores da Crise de meia idade! disse...

Sempre encantador....sempre uma linha firme e criativa...Um belo ser humano!
Bjs

Nil Witchimichen disse...

AHHHHH SEUSLINDO!!!! <3
Adoro vocês ^^

Daniel disse...

O NIL é o cara!!!!!

Fred disse...

Peraí... a foto mudou, não mudou?
Que luxo isso... entrevista com foto randômica... só no J&D... hahaha!
Beijooooooo, Serginhoooooo!

Nil Witchimichen disse...

Claro que mudou, foi um pedido especial e ele não tinha como negar ;D

cesarjuniior disse...

O Nil possui um intelecto superior, a cada resposta ele demonstra o ser humano lindo e transparente que ele é. A imaginação do Niil vai muito além da compreensão de pessoas convencionais, impossível não amar.

Cara Comum disse...

Gente, bonito, talentoso, inteligente... Uau!! rs

Fred disse...

Mas é PURA INTRIGA DA OPOSIÇÃO... te juro, Serginho... hahahahahha! Bjz!

Edilson Cravo disse...

Serginho:

Suas entrevistas sempre são um charme e os entrevistados muito bacanas. O Nil é ótimo mesmo. Abraços aos 2.